Vítor e a colônia de férias

Pela primeira vez, colocamos o Vítor numa colônia de férias. Primeira por vários motivos. O primeiro e mais importante é que eu não sei se esse fenômeno se repete em outras cidades do País, mas aqui em Brasília elas são bem caras. Sempre desistia na última hora, o bolso falava mais alto. O segundo motivo é que o Vítor sempre estudou em escola de período integral, daquelas que não têm férias. Então nunca tive que me preocupar em pensar com quem ele iria ficar ou ter o que fazer, eles sempre davam um jeito nisso. Terceiro porque o Vítor não era uma criança lá muito sociável e não queria ficar, chorava e era um trabalhão. Então eu nem queria me estressar com isso.

Esse ano foi diferente. Ele já ia mesmo sair da escola, então eu o deixei ficar em casa comigo, já que estou de licença maternidade. Mas ele quer atenção o tempo todo - e aqui vale uma pausa pra explicações: antes que venham dizer que isso é porque ele ganhou uma irmã, ciúmes e coisa e tal, explico logo que não tem nada a ver. Ele SEMPRE foi assim. Eu digo que se eu ganhasse 10 centavos por cada vez que o Vítor diz "mãe", eu estaria milionária. E como é que se cuida da casa (a faxineira tomou chá de sumiço), de um bebê e de tudo o mais com uma criança que te chama a cada 2 minutos?

Bem, ia eu saindo do condomínio quando vejo a faixa da colônia, num condomínio aqui do lado. Enrolei muitos dias, liguei pro telefone um dia antes de tudo começar. Gostei do preço, gostei da proposta e gostei mais ainda do responsável dizer que vinha na minha casa fazer a matrícula e mostrar a programação, as regras e conhecer o Vítor. Quando ele chegou aqui e eu vi a proposta, topei na hora. E foi ótimo!

Foram 5 passeios: o primeiro para o Zoológico, que até rendeu mais uma pérola do Vítor. O dia amanheceu chovendo, parecia que não ia rolar passeio. E o Vítor trombudo, com cara de choro. Aí eu disse pra ele: meu filho, não se preocupe. Se não der pra ir hoje, eu te levo outro dia. Afinal, o Zoológico não vai fugir, nem os bichos. E ele: os bichos só não vão porque tão presos, né mãe?

O segundo passeio foi para o RM Hotel Fazenda, onde eles passaram o dia inteiro. Inclusive estou doida pra passar um sábado ou domingo lá, parece ser muito legal e é pertinho da minha casa.

Os outros passeios foram: Cinema (viram Alvin e os Esquilos 2), Clube dos Previdenciários e Bay Park . E ele se divertiu horrores em todos eles. Além disso (foram 2 semanas), ele também participou de gincanas, show de mágicas (mamãe, ele FEZ APARECER um coelho, um pombo e um periquito!!), festa à fantasia, brinquedos infláveis e muitas outras coisas. E fez amizades, o que ele não fazia muito até o ano passado. Fiquei orgulhosa do meu filhote!

Às mamães que tiverem uma oportunidade como estas eu recomendo!

Alice e meu surto de banzo

Eu ando meio chorosa. Outro dia falei pro Gu: tô com banzo*... E não é por conta dos problemas que falei no post lá embaixo. Tá bom, também é, mas tem um motivo que tá me deixando mais chorosa ainda: a amamentação da Alice.

O Vítor parou de mamar aos 3 meses. Sozinho. Ele simplesmente não aceitava mais o peito, chorava sem parar. Eu acredito que foi porque eu volta e meia deixava o meu leite pra alguém dar na mamadeira e ele gostou muito mais dela, claro. Afinal, sai muito mais rápido e menino sente fome, né? Quer tudo pra ontem e se puder, pra anteontem. E olha que eu nem saia pra farra não. Era pro supermercado, pra resolver um problema na faculdade, coisas assim.

Com a Alice eu fiquei tão encafifada e com medo de acontecer o mesmo, que só tomou mamadeira uma vez na vida, com 15 dias. E a bichinha tava com tanta fome que tomou num desespero só. Da segunda vez que tentei, com quase 2 meses, ela não aceitou de jeito nenhum, cuspia o bico da mamadeira e cuspia o leite. Nunca mais tentei de novo. Todo lugar que eu vou carrego a minha "sombra" (aquela que não tem o meu formato, segundo o Vítor).

Agora vou ter que voltar a trabalhar, no dia 17 de fevereiro. Porque eu não consegui que me desse direito aos 6 meses de licença maternidade. E agora, em plena época em que os pediatras recomendam amamentação exclusiva por 6 meses, vou ter que introduzir outros alimentos pra minha pequena. Porque Nan eu não vou dar, acho um desaforo ter tanto leite e dar o artificial pra ela.

Mas eu já sofro desde agora, pensar que minha pequena não vai mais ter direito ao meu peito de 3 em 3 horas, como ela tanto gosta. De ficar agarradinha com a mãe, que nem carrapicho. E eu também, né? E fico tão triste, tanta mãe por aí dá Nan pra criança dormir a noite toda, eu que nem reclamo de acordar pra amamentar, nem que seja 200 vezes na mesma noite.

É, eu sei que o tempo passa, que as coisas evoluem e as crianças crescem. Mas eu tô pensando seriamente em me mudar pra Terra do Nunca com esses dois...
* Banzo - Nostalgia mortal dos negros da África, quando cativos ou ausentes do seu país. Adj. Bras. Triste; atônito; pensativo.

Vítor, um rapaz de 6 anos

Meu rapazinho fez 6 anos no último sábado e eu nem tive tempo de falar nada sobre isso aqui. Pois é, a cada dia mais inteligente, mais esperto, mais cheio de tiradas engracadinhas e, cada vez mais, vidrado na leitura de Nárnia! hehehe

As últimas pérolas:

"Vovó, minha mãe vai questionar isso aí..."

"Eu andei de búfalo, mas tava meio desagradável, porque eu tive que andar junto com a tia!"

"Eu não sei sobremesa de quê. Esse cara não comeu nada que preste, só bebeu e quer comer sobremesa..." (sobre o Tim Maia em "Tomo um guaraná/Suco de caju/ Goiabada para sobremesa")

"Vítor, sai do meu pé, para de me chamar! Eu já tenho uma sombra!!" "E essa sombra tem o seu formato, mamãe?" "Claro, né Vítor!" "Ah bom. Pensei que fosse a Alice..."

E algumas fotos:
Em cima de uma pedra que tem na beira do laguinho do nosso condomínio

Dando comida na boca, ops, bico do patinho.

Na frente da Dama da Noite que eu e ele plantamos na semana em que eu soube que estava grávida da Alice.

Soprando um dente de leão que nasceu ao pé da árvore.

Dia de pediatra

Hoje foi dia de consulta geral na criançada. Aproveitei que faz um ano que o Vítor não ia e marquei os dois, com a pediatra dele, que eu ainda não tinha conseguido levar a Alice por falta de vagas.

Excelente resultado, os dois tão ótimos de saúde. Crescendo bem e engordando mais ou menos, como é de praxe. Ela até brincou, que se não tivesse tratado do Vítor, ia pedir um monte de exames pra Alice. Mas como já sabe como são as coisas, tá tranquila. Ele está com 1,25 m e 21,700 kg. Ela está com 64 cm e 5,300 kg.

Só me deu bronca quando eu contei que, de vez em quando, amamento a Alice deitada.

Pausa

Isso normalmente acontece no fim da madrugada, comecinho da manhã. Eu, depois de ter amamentado sei lá quantas vezes, já tô um caco e instituo o sistema self service: vai mamando aí, quando terminar, solta e dorme.

Despausa

De acordo com ela, por causa da ligação entre o ouvido e a garganta, isso pode dar otite. Fiz uma pesquisa básica com as meninas da @turmadabarriga no Twitter e descobri que praticamente todas amamentam assim e nenhuma delas teve problema com isso. Uma sugeriu que pode ser predisposição. A querida Marília (@marimercer), inclusive, me mandou uns links que explicam que este problema existe em bebês que tomam mamadeira. Apesar de que o Vítor tomava mamadeira deitado e também nunca teve. De qualquer modo, vou passar a colocar o bracinho embaixo da cabeça dela e matar o problema. Porque a essa hora da manhã não sou ninguém mesmo, nunca fui. Me lembro das regatas longas, em que eu passava a madrugada toda acordada, muitas vezes timoneando o barco. Mas quando dava 5h30, 6 horas... me esqueçam, vou dormir. Aliás, velejar em regatas longas assim são um excelente treino pra quem vai ter um filho. Quem tá acostumado com o sistema de turnos num barco tira de letra as mamadas da madrugada.

Mas deixe-me voltar ao assunto. Também conversamos sobre a introdução da alimentação sólida da Alice. É, porque na prática, a teoria é outra e eu não terei direito aos 6 meses de licença maternidade. E ela só mama no peito, não vou botar a bichinha no NAN. Então vou começar uns 10 dias antes (ela quer 7, não vejo muita diferença) e vou tentar algo que nunca fiz: apresentar papinha doce e salgada ao mesmo tempo.

Aliás, essa volta ao trabalho tem doído horrores em mim. Com o Vítor não sofri tanto, talvez porque ele foi pra uma creche. Ou porque ele já não mamava no peito. Só sei que todos os dias agora me pego pensando em como seria bom estar em outra fase da vida, sem tantos problemas financeiros, pra largar tudo e ficar com meus filhos em casa. Preciso confessar que isso tem me dado vontade de chorar.

Mas vamos lá, a vida é assim mesmo. "E a gente vai levando, a gente vai levando..."

Leitura - Crônicas de Nárnia

Eu acho impressionante como o Vítor gosta de livros. Ele não tem muita paciência pra ler não, até porque começou agora, lê devagar, se perde bastante... aí ele fica irritado e quer logo parar. Mas se a gente lê pra ele... xiii, vai longe. Em 2009 li quase todo o livro Reinações de Narizinho pra ele. Foi uma diversão, ele gostou muito.

Agora estou lendo As Crônicas de Nárnia - O Sobrinho do Mago. Ele ama as histórias de Nárnia, já viu o filme O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa um monte de vezes. E embora diga que não, tem uma fixação pela tal da Feiticeira Branca. Nessa crônica que estou lendo pra ele, que é a primeira, eles contam como é que começaram as idas e vindas entre o nosso mundo e Nárnia. E lá no comecinho, quando nem se falava em Nárnia ainda, quando li que as crianças encontraram uma mulher muito alta ele já gritou: é a Feiticeira Branca!!! kkkk Até agora, 100 páginas depois (já terminamos este primeiro conto, hoje) ainda não se confirmou se ela é mesmo a tal feiticeira, mas ele tem certeza absoluta. E o melhor é que eu já li e sei que é mesmo! kkk Eita garoto esperto!

O melhor de tudo é ver a animação dele. Mesmo com os milhões de pergunta que ele faz, interrompendo a leitura toda hora, é maravilhoso ver quando ele ri de gargalhar (como na parte em que a Rainha Jadis faz o maior auê nas ruas de Londres) ou quando ele bate palmas de alegria (como quando Aslam cria os bichos de Nárnia). Estamos amando estes momentos!

Vale a pena ler este livro, mesmo que você nem tenha filhos. As histórias são ótimas!

Tempos difíceis

Muitos de vocês sabem que estamos passando por uma fase complicada em nossa vida. Principalmente financeiramente, já que o Gu saiu da empresa em que tinha uma sociedade com um colega. Some-se a isso o fato de que nosso apartamento ficou pronto e o habite-se saiu, o que significa que tivemos que cantar, dançar e rebolar pra limpar nosso nome e conseguir o financiamento. Quer dizer, tivemos não. Estamos fazendo isso ainda. Soma aí na lista também alguns probleminhas emocionais (com pessoas da família que fazem questão de atrapalhar sempre, nunca de ajudar), faxineira que desapareceu, Vítor de férias em casa e doido pra ter companhia 24 horas... é de surtar, né?

Mas esse post não é só pra reclamar não. É também pra agradecer a Deus pela família que tenho. Principalmente por meus pais, que fazem tudo o que podem para nos ajudar, em todos os momentos. Agradecer pelos filhos lindos e inteligentes que tenho, que nos enchem de amor e tornam esses momentos difíceis serem suportáveis. E agradecer por meu marido, que mesmo tendo seus defeitos (e quem não tem
?), é brasileiro e não desiste nunca. Esse momento ruim vai passar e, após essa fase, estaremos ainda mais fortes e unidos.

Presente do Papai Noel




Papai Noel trouxe um presente muito útil pra Alice. É uma estrelinha que toca música e projeta uma imagem no teto, da Fisher Price (Projetor Fundo do Mar). Ela fica tocando música por aproximadamente 12 min e desliga sozinha. Alice fica olhando fixamente pra essa imagem, enquanto a música ajuda a hipnotizar! kkk Ela dorme bem legal. Tem também o som do mar, mas isso ela não curtiu muito não.

Como meu sonho é ter aquele móbile dos Ursinhos Fofinhos, mas não tenho dinheiro pra isso, esse aí vai quebrando o galho! Recomendo!

Slingando

Uma das melhores coisas que comprei para usar com a Alice foi um sling. Mãe sem empregada que sou, preciso fazer as coisas em casa, né? Dá pra lavar louça, varrer casa lavar e estender roupa. Mas não inventa de cozinhar com ele não, tá? Isso é perigoso.

Também é perfeito para ir a lugares onde andar com o carrinho é um saco, como shoppings lotados, apresentações na rua, etc. Sem contar que é colocar a Alice no sling que ela apaga. Perfeito! Na apresentação de fim de ano da escola do Vítor ela dormiu umas 2 horas. Crianças corriam, gritavam, cantavam... e ela lá, apagada. Por causa desta experiência, testamos ir ao cinema com ela (minha mãe não dá conta de ficar com 2, né?). Assistimos Avatar com ela dormindo no sling. Quando eu achava que estava ficando com o barulho muito alto, tampava bem o ouvidinho dela. Mesmo assim, ela dormiu o filme todo e todo o caminho de volta pra casa. As vezes me pergunto se esse sling não tá enfeitiçado...rs

Mas muito cuidado na hora de comprar um. Eu já vi por aqui uns com a argola emendada, isso é um perigo sem tamanho. Compre de uma fonte confiável, porque isso garantirá a segurança do seu bebê. O meu é da Slinguru, recomendo. A Marĩlia Mercer (@marimercer no twitter) tem o maior cuidado com a produção deles e tem um atendimento simpático e profissional. Cada sling vem com um manual rápido impresso e um manual detalhado em pdf. Quando for comprar, aproveita e diz que viu aqui no Entre Fraldas e Livros, tá? kkk

Confere aí algumas das nossas farras:

Essa é a posição favorita dela quando está acordada: de frente pro mundo

Dia bonito, né? Foi no laguinho do nosso condomínio, Vítor tirou as fotos!

Essa foi no dia 25 de dezembro. Pra dormir, só mesmo ali...

Eu e Andréa (@deaesteves) no Independência Shopping. Rafa gostou da Alice! :D

Na Árvore de Natal da Esplanada dos Ministérios

Natal e Ano Novo

Estas foram as primeiras festas de fim de ano da nossa pequena princesa. E como é de praxe, fomos para Juiz de Fora - MG, passar com a familia e com minha querida avó Alice. No Ano Novo passamos em nossa casa, com a família da dinda da Alice e com a minha mãe. Desta última data não temos fotos, mas do Natal temos sim, aí vai!






De volta!

2 comentários
Tanta coisa pra postar, muita mesmo! Mas e o tempo? De qualquer modo, estamos de volta das festas de fim de ano, vou tentar ser mais assídua aqui! rsrs

FELIZ 2010 A TODOS!!
Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires