Nossa casa

11 comentários
Quem me acompanhou do outro blog aqui sabe que a gente estava com tudo certinho pra mudar pra um apartamento. Pequeno, mas nosso. (Se vc não sabe, veja aqui) E sabe também que por vários problemas, não deu certo.

Hoje em dia eu só sofro porque sei que, quando formos ter nossa casinha, muito provavelmente não será por aqui. É que moramos num condomínio muito gostosinho e legal. Mas toda essa área está no meio de uma disputa judicial (vou colocar lá embaixo a explicação do fato), o que significa que nenhuma casa tem escritura. O que significa que não é possível conseguir financiamento pra comprar aqui. E sem financiamento, nada feito pra gente, né?

Algumas pessoas acham que aqui é longe. Minha mãe é uma dessas pessoas. E eu pergunto: longe do quê? Porque eu moro a 15 km do meu (ex) trabalho e da escola do Vítor. Com engarrafamento, levo uns 20 minutos pra chegar lá. Sem trânsito, em 10 eu chego. O trabalho do Gustavo também é pertinho daqui. Mas quem é de Brasília tem essa mania. É que como as coisas desenvolveram primeiro para o lado Sul e depois pro Norte, tudo que fica nesse último é considerado "longe", mesmo que seja muito mais perto do que os do Sul.
Vítor e a linda vista que temos.

Ah, mas eu ainda vejo um montão de vantagens: pro lado de cá as coisas são bem mais em conta do que lá pro centro. Como escola, faxineira e coisinhas pra festa (aluguel de brinquedos, cadeiras e mesas, decoração), por exemplo. É que no Plano Piloto geralmente mora gente mais endinheirada, então as coisas são mais carinhas. Aqui dá pra encontrar coisas legais, mas com preços mais "saudáveis". 

Eu também gosto de morar na "serra". Duvida? Olha aqui esta foto. Tá vendo aí, eu moro em cima deste morro. Pra ter uma noção da altura, olha ali embaixo o tamanho do "poste" (como chama esse troço de passar fios, que parece uma super antena?) perto da serra.



E o friozinho gostoso que faz aqui? Assim eu gosto, não é exagerado como lá no Sul, mas dá pra sentir o gostinho. Sem contar que a vista é linda!

Vítor pronto pra ir pra escola, às 6 e pouquinho da manhã.

Aí vem a vantagem de se morar num condomínio fechado, com guarita onde todo mundo só entra depois de apresentar documento e se cadastrar. E com ronda de moto a cada 15 min, aproximadamente. Muitas casas daqui não têm muro nem cerca. Ou tem bem baixinho, acho que só pro cachorro não fugir ou coisa do tipo. Se eu vou ali na padaria ou outro lugar assim pertinho, nem fecho o portão. E se o Gustavo esquece de trancar alguma coisa, não preico mais brigar e ficar estressada. Os gatos ficam soltos, podem passear por aí a vontade. E aqui tem parquinho, pracinha, lagoa com patos, peixes e tartarugas e uma academia (dessas da terceira idade, sabe? Ao ar livre).

O lago

Os meninos brincando de barquinho de papel, os patos passeando tranquilos.

Ah, é um silêncio também!! E olha que moro numa rua que dá acesso a vários outros conjuntos. Mesmo assim é uma calma muito boa. Passarinhos cantando. E nada daqueles caminhões infernais que entregam o gás e levam sua paciência embora.

 A garça prontinha pra abocanhar uns peixinhos.

Meu cunhado empurrando as crianças no balanço.

É, eu sei que ter um cantinho nosso de verdade vai ser muito bom. Mas enquanto isso, acho que vou curtindo isso aqui o máximo que eu puder!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------

*Explicando o troço da decisão judicial. Aqui onde moro deve ter uns 30 condomínios ou mais. Antigamente era uma fazenda imensa, cujo dono faleceu e os filhos dividiram a terra que receberam de herança. Aí um deles resolveu vender a parte dele. Provavelmente ele percebeu que o negócio dava dinheiro e que os irmãos não tinham percebido o potencial que tinham em mãos. Então, ele resolveu vender também o dos irmãos. Claro, sem que estes soubessem disso. E mais claro ainda é que ele sumiu com todo o dinheiro. Desde então, está uma briga judicial sem fim pra resolver o "enrolation" que sobrou por aqui.

Caldas Novas e Rio Quente - segunda parte

 A parte que mais gosto do Rio, na beira do Águas da Serra.

Particularmente, preciso dizer que essa vai ser a parte mais empolgada do post. E não quero nem saber, porque até posso ser jornalista, mas aqui na minha "casa" não tenho obrigação nenhuma de ser imparcial, né? Afinal, não tô ganhando pra promover nada e com certeza vocês querem saber os verdadeiros prós e contras...:)

Vamos lá! Rio Quente fica bem pertinho de Caldas. É infinitamente menor, praticamente só tem uma rua "utilizável", mas - provavelmente por causa disso - tem muito menos gente e é muito mais fácil conseguir ficar nela em um feriado sem perder a sanidade, o que não existe em Caldas Novas.

Até pouco tempo, quem ia a Rio Quente era porque ficaria no Rio Quente Resorts. Que é maravilhoso, diga-se de passagem, mas custa o olho da cara. Dependendo da instalação que você escolher, os dois olhos da cara e os da cara de mais alguns membros da sua família kkkk Porém, se você - assim como eu - não tá podendo desembolsar cerca de 2, 3 mil reais para o casal por apenas dois dias, cola aqui que vou te dar as dicas de como se divertir por lá.

Lembra que eu disse "até pouco tempo"? Pois é, agora as coisas mudaram. Tem um monte de apart-hotéis lá, que não são do complexo Rio Quente Resorts e têm preços bem mais em conta. Mas aí você vai me dizer: mas também não têm acesso ao parque aquático do Resort! Não, realmente não tem. Mas vamos ao pulo do gato: a maior parte das pessoas que vai ao Rio Quente Resorts está mesmo interessado no Hot Park - que vamos combinar, é um barato! E para isso não precisa estar hospedado lá. Sem contar que quantos mais ingressos você compra (mais dias), mais em contar fica cada dia.

Outra coisa que acho muito interessante. Dentro do complexo você não pode entrar no rio quente. Não, você não leu errado: não tem onde nadar no rio quente dentro do Rio Quente Resorts. Quer dizer, tem se você pagar pra fazer o mergulho. Nos aparts não, o rio tá ali, implorando pra que você entre lá e fique cozinhando um bocadinho...rs

Eu já fiquei hospedada no Águas da Serra, no Thermas Paradise e na Pousada Vivendas. Os três têm acesso livre ao rio, os dois primeiros com mesinhas, cadeiras e espreguiçadeiras na beira. Todos também têm piscinas com bar molhado e parquinho. Dos dois flats, gosto mais do Águas da Serra. Primeiro porque a parte do rio que passa por lá é um pouco melhor. Segundo porque ele é o único que tem convênio com o Hot Park que dá um bom desconto no ingresso, além da possibilidade de você sair de lá pra almoçar e voltar depois (tem que pagar o que consumiu durante a manhã e ir a uma portaria especial, onde tiram sua foto). Terceiro porque gosto do atendimento de lá.

No Thermas Paradise fiquei durante uma parte da minha lua de mel e não gostei do cara que me atendeu. Ele simplesmente "esqueceu" minha reserva e não me avisou que seria preciso levar roupas de cama. Tem mais piscinas do que o Águas da Serra - na verdade são duas a mais, pequenas, parecidas com ofurôs.


Vista da área externa do Thermas com o parquinho e um de seus ofurôs

Na Pousada Vivendas eu fiquei agora no Carnaval. São chalés bem gostosinhos, em meio a natureza. Tem duas piscinas e costuma ficar vazio durante o dia, mesmo quando está com a capacidade esgotada. Isso porque as pessoas costumam se hospedar lá para passar o dia no HotPark. O que foi muito bom pra gente, pois tinhamos a piscina só pra gente, até a Alice se esbaldou! Também é possível fazer trilhas na beira do rio juntamente com o pessoal da própria pousada. Gostei muito de lá, mas aqui também tenho os meus "poréns": as coisas da sala de jogos estavam completamente empoeirados e cheios de folhas, só limparam quando dissemos que queriamos jogar. Isso em pleno Carnaval, com todos os chalés cheios de hóspedes. A sala de tv estava cheia de teias de aranha e o sofá meio empoeirado. Como tem tv em todos os chalés, nem usamos lá, mas ficou a má impressão, né? Outra coisa que não gostei é que uma vez liguei pra lá pra saber o preço da estadia num período que seria durante a semana, fora de temporada. E eles me disseram que não sabiam se teriam hóspedes suficientes para ter café da manhã (como assim??). Quer dizer, o preço seria o mesmo, com ou sem café. Nem preciso dizer que não fiquei lá dessa vez, né?

Vítor no escorregador de tucano do Vivendas e todos nós na piscina;

Tem uma rua onde ficam praticamente todos os restaurantes da cidade. Fique atento pois, se você for fora da temporada, muitos não estarão abertos, ou abrirão somente para o almoço ou o jantar. Tem também uns dois ou três locais onde você pode tomar um bom café da manhã por um precinho bem em conta. Achamos um bom restaurante que fica fora desta rua, mas tem faixas indicando o caminho. Também tem uma feirinha que eu ainda não consegui definir em que dias acontece, mas que tem comidas de todos os tipos, todas uma delícia!

E chego então no quesito HotPark. Ah, o meu amado HotPark. Eu já fui só com o Gustavo. Já fui com minha mãe, minha irmã e o Vítor. Já fui só com o Vítor. Já fui com Vítor e Gustavo. Já fui com Vítor e Alice. É um bocado de vezes, né? :) Me diverti muito em todas elas. Se tem quem fique com as crianças, desço em todos os toboáguas possíveis - quer dizer, todos não, mas já chego lá.  E tem pra todos os gostos: fechado (totalmente escuro), aberto, alto, baixo, médio, com bóia, sem bóia, com tapete, de rampa com bóia... Tem o Lazy River, onde você deita em cima de uma deliciosa bóia e deixa a correnteza te levar. E tem o Half-Pipe, um toboágua em formato daquelas pistas de skate. E é exatamente esse que me faz dizer que não desço em todos. Nesse eu desci uma vez e nunca mais. Quase morri de medo, nem consegui gritar! kkkk

A parte infantil é um caso a parte: escorregador, rio lento (para bebês e crianças pequenas), balanço, tina de água (que o Vítor morre de medo até hoje! rs), jorrantes (são águas que caem de uma especie de casinha que tem no meio da piscina) e mini-toboáguas. Também têm uma equipe de recreação infantil chamada Equipe Boto Infantil, que promove brincadeiras como caça ao tesouro, escolinha de artes e gincana.

Na parte infantil, Vítor sentado com o palhaço da beira da piscina.
  E com o bichinho da entrada da Praia do Cerrado.
Outra coisa muito legal e que o Vítor A-M-A: a Praia do Cerrado. Uma praia artificial (sim, tem areia) com piscina térmica com ondas. Além de ser muito bonito e dar lindas fotos, é uma diversão boa para as crianças. Até a Alice entrou e adorou. Pras crianças menores, tem uma parte bem rasinha, separada das demais por uma espécie de cerquinha. E é bem rasinho mesmo, dá pra ficar tranquilo. Outro detalhe: em todas as piscinas do HotPark tem plaquinhas indicando a profundidade.
 Vítor na parte infantil da Praia do Cerrado e eu com a Alice prontas para ir embora, no fim do dia.
Vale dizer que as gestantes pagam apenas 50% do valor do ingresso (também, elas não podem brincar em um monte de coisas). Pessoas acima de 60 anos também tem desconto, não sei de quanto ao certo. Crianças também pagam preço diferenciado.

Todos esses locais aí em cima e também outros nos quais eu ainda não fiquei você pode encontrar no Alugue Temporada. 

Bom passeio!

E vocês, já conhecem Rio Quente? Têm mais alguma dica a acrescentar? Coloquem aí nos comentários!!

Dica de Viagem - Caldas Novas e Rio Quente

Conforme o prometido, aqui vai a primeira dica de viagem do Entre Fraldas e Livros: um roteiro bem conhecido pra quem mora aqui em Brasília - pelo menos Caldas é - e bem legal de fazer com crianças. 

Caldas Novas e Rio Quente são duas cidades localizadas no Estado de Goiás e conhecidas por suas águas hidrotermais. Caldas é mais conhecida e mais popular. Rio Quente é bem menor e acaba sendo mais um ponto de apoio para quem fica na famosa Pousada do Rio Quente, agora Rio Quente Resorts.

Eu já fui MUITO a Caldas Novas. Atualmente, tenho preferido ir a Rio Quente. A distância entre uma e outra é de aproximadamente 20, 25 km. Então dá pra ir de uma a outra com muita facilidade.

Vou começar por Caldas. Então vamos lá!

Caldas Novas

Vítor e Gu na piscina infantil do HotSprings (ele tá agachado, claro...rs)

Depois que eu virei gente grande e passei a ir sozinha pra Caldas, sem meus pais, já fiquei em uns 4 lugares diferentes lá: HotSprings, Pousada Cariama, DiRoma e um apart hotel. Se você gosta de ficar junto com muitas outras pessoas, de várias piscinas e ter muitas atividades, o HotSprings é o local certo. Tem hidroginástica, gincana e de noite bingo e noite dançante. O pacote vem com café da manhã e almoço. Se vc tem crianças grandes é melhor ainda: elas podem ficar pulando de piscina em piscina, como adoram fazer, enquanto você escolhe a sua favorita e fica lá, morgando. Para as crianças pequenas tem brinquedoteca. Dentro dos quartos tem uma super banheira, que o Vítor usava como piscina de noite, em uma vez que fomos lá e ele tava meio gripadinho. Se for ficar lá, tente pegar os apartamentos que dão para o lado de fora do complexo, já que de noite dá pra ouvir o bingo como se fosse no vizinho, mesmo nos andares mais altos. E se você gosta de dormir até mais tarde, a hidroginástica também é escutada na mesma altura.

Vítor achando que a banheira é uma piscina privativa

O DiRoma eu confesso que me decepcionou um pouco. Pelo preço que pagamos, não vi nada assim tão extraordinário. Tem praticamente o mesmo número de piscinas que o HotSprings e as mesmas atividades. Como fomos só eu e meu marido - era parte da nossa Lua de Mel - não sei se tem atividades para crianças. Mas tem arborismo, tirolesa e um parque aquático que fica fora do hotel. Ainda está em obras, por enquanto é meio fraquinho. 

 Eu e Gu no circuito de Arborismo do DiRoma

A Pousada Cariama é pra quem prefere tranquilidade e abre mão daquele tanto de piscinas e atividades. Gostei muito de lá e do casal proprietário, foram muito atenciosos comigo. Fui apenas com o Vítor, ele tinha uns 2 aninhos. Me colocaram num quarto bem pertinho da piscina, de modo que de noite pude deixar o Vítor dormindo e ficar cozinhando na água morna, gostei. Se ele chorasse, eu conseguia escutar. Durante o dia eu e ele nos esbaldamos nas duas piscinas de lá e no parquinho. Tem bastante vegetação e pássaros, uma gracinha. Recomendo.

Pra quem quer uma opção mais econômica e mesmo assim com variedade, tem também os apart-hotéis. São dezenas deles, pra todos os gostos e bolsos. São bem mais baratos do que os hotéis da cidade, mas não contam com café da manhã e nem arrumadeira. Em muitos é preciso levar roupa de cama e banho. Já fiquei no Millenium  e gostei. Se quiser dar uma olhada em algum, vai no site Alugue Temporada que tem um montão.

 Eu e o chafariz diferente do centro da cidade

Na cidade você não pode deixar de andar de trenzinho (estou supondo que você tem filhos, já que está aqui neste blog, tá?). É aquela coisa básica de toda cidade pequena, mas eles adoram! rs Nem de ir comer picanha (ou outro tira-gosto gostoso) no Centro da cidade. E lá também, em frente à Igreja Matriz, tem um chafariz legal, bem diferente de todos os outros, as crianças adoram ficar correndo entre os jatos de água que saem do chão! Eu também adoro jantar numa churrascaria bem legal que tem lá, perto de uma escola pública. Infelizmente não consigo achar aqui o nome, vou ficar devendo essa. Uma coisa bem legal que tem nessa churrascaria? Além do atendimento ser nota 10, eles ainda têm berços pra colocar do lado da mesa. Você forra com seus "paninhos", bota seu bebê pra dormir e come tranquila.

A picanha na chapa que adoramos traçar quando vamos a Caldas

Também tem que visitar a feirinha que acontece todo sábado (acho) atrás do Parque de Diversões. E não se esqueça de comprar sua roupa de banho na cidade, os preços lá são imbatíveis!!

O post sobre Rio Quente vem amanhã, senão vocês ficam cansados...rs

 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Atualização do post:

A nossa amável leitora J.Torres nos fez a gentileza de lembrar qual o nome da churrascaria que adoro. É Picanha na Brasa e o site é esse aqui. Muito obrigada!!

Mais um pouco de viagem

Lembram que eu falei sobre viajar com os filhos? E que falei que a próxima seria em julho, pra visitar meu pai que mora num barco? Então, ele fica mesmo em Angra, mas está subindo aos poucos com o barco e mais outras pessoas que também moram em barcos, até Recife, para a regata Recife-Fernando de Noronha. Então vamos participar de uma etapa dessa travessia, uma curtinha. A que vai do Rio de Janeiro a Búzios.

Meu pai e Vítor, na última vez que visitamos a casa flutuante dele.

Bem, mas o que eu ia falar não era bem isso. Era que a gracinha da Sut-Mie, do blog Viajando com Pimpolhos, leu aqui o que eu falei e foi correndo tirar da gaveta um post M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O sobre coisas legais pra fazer no Rio de Janeiro com as crianças. Olha, eu já fui no Rio um montão de vezes. Umas 60 vezes ou mais - tenho família lá. Mas muita coisa que ela colocou lá eu não sabia, como o quiosque Baixo Bebê do Leblon e o da Lagoa. Outras eu já sabia e me deu a maior vontade de ir novamente, como o Pão de Açúcar e o Planetário. E aí ela não colocou lá não, mas também pensei em visitar o Submarino-Museu, que o Vítor já me pediu uma dúzia de vezes.

No fim das contas, a viagem ia ser rapidinha: eu ia visitar minhas amigas, embarcar no Alphorria (o barco), passar uns dois dias em Búzios e voltar. No fim das contas, a visitinha com as amigas foi estendida e eu ainda vou arriscar passar em Juiz de Fora pra visitar a minha amada avó, de onde veio o nome da minha pequena Alice.

E quando eu voltar, vou poder fazer um post bonitinho também aqui pra vocês, né? Mas enquanto eu não faço o post, vai lá visitar o Viajando com Pimpolhos, vai? E deixa comentário pra ela, diz que viu aqui tá? Deixem nós duas bem felizes! :)

Eu, Vítor e o escotismo

Nós 3 com a camiseta do Acampamento de Grupo - Acampam
Contei que o Vítor entrou no Movimento Escoteiro? Pois é!! Por enquanto ainda é informalmente, porque ele ainda não tem 6 anos e meio. Claro que isso termina no mês que vem, quando ele finalmente alcançará esta idade.Eu fui escoteira por muitos anos. Fiz muita coisa legal, aprendi muita coisa legal. Até chefe de lobinhos eu fui (lobinhos é como são chamadas as crianças entre 7 e 11 anos que fazem parte do Movimento Escoteiro).

Engana-se quem pensa que ser escoteiro é só aprender a acampar, fazer fogueira com dois pauzinhos (coisa que eu não sei até hoje) e ajudar velhinha a atravessar a rua. No Escotismo se aprendem valores importantes e meio esquecidos hoje em dia, como valorizar e amar a nossa Pátria, disciplina e responsabilidade, entre muitos outros.

Pra se ter uma idéia, basta ver a definiçao da Missão do Movimento Escoteiro, de acordo com a União dos Escoteiros do Brasil (UEB):


Missão
A missão do escotismo é contribuir para a educação do jovem, baseado em sistema de valores baseados na Promessa e na Lei Escoteira, ajudando a construir um mundo melhor, aonde se valorize a realização individual e a participação construtiva em sociedade.

Foto tirada pelo chefe Souza Neto, num acampamento de chefia, em 1998

Mas o melhor de tudo isso é que as crianças, na maior parte do tempo, nem percebem que estão aprendendo tudo isso. Como? Vou dar um exemplo de uma atividade que fiz, há muitos anos, em uma atividade em que estavam reunidos lobinhos de todo o Distrito Federal. Cada Grupo Escoteiro estava responsável por desenvolver atividades sobre uma região do País. O nosso ficou com o Centro-Oeste. Então inventei uma história sobre um menino que tinha um grande sonho: construir uma cidade. Que todos zombavam dele e diziam que aquilo era apenas um sonho, que nunca iria acontecer. E blá-blá-blá, fui inventando coisa na história, dizendo que ele teve que estudar pra ser médico, pois precisava ganhar dinheiro e que o sonho foi ficando cada vez mais distante, mas que ele nunca desistia. Aí eu não me lembro mais o que foi que eu inventei (afinal faz tempo pra dedéu) mas cheguei no ponto em que ele se tornou Presidente da República e construiu Brasília. Só me lembro que perguntava pras crianças: e aí, vocês sabem quem foi este menino? E eles gritavam: siiiiiimmm!!! Juscelino Kubtschek!!!

  Nos meus tempos de chefe de lobinhos

Aí depois a gente fazia uns joguinhos sobre os outros Estados da Região Centro-Oeste, que eu não me lembro absolutamente nada do que eram, mas que se eu fosse fazer hoje, por exemplo, seriam sobre as características mais famosas, como o Pantanal, comidas típicas, por aí. O que eu quero explicar é: e fosse aula de geografia e história, duvido que eles teriam aprendido com tanta boa vontade como aprenderam nessa atividade. Em tempo: esse "encontro" de lobinhos chama-se Jambra (se não me engano, Jângal Brasília - me corrijam se eu estiver errada, faz muito tempo já).

Se faz diferença na vida dessas crianças. Sim, faz. Muita. Vamos começar pela minha vida: aprendi a me virar, a ser independente, a tomar a liderança, como ser líder, cozinhar, administrar, entre outras coisas. Na vida de muitas pessoas que conheci: meninos que aprenderam a cozinhar (coisas que a maioria não tinha aprendido em casa), lavar louça, ter cuidado com a aparência e as roupas, organizar suas coisas, respeitar as pessoas, entre muitas outras. Coisas que já vi que estão dando diferença na vida do Vítor, mesmo ele estando lá há aproximadamente dois meses: já sabe lavar o próprio copo, prato e talheres, sabe cortar coisas simples, como uma cebola ou linguiça e já sabe se virar com o próprio sanduíche.

Vítor e Gui cozinhando no Acampam

Então, gostou? Quer saber mais? Vai lá no site da UEB, lê tudinho. Se gostar mesmo, procura lá o endereço do Grupo Escoteiro mais próximo e faz uma experiência com seu filho. Eu acho que vale muito a pena! 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
P.S.: Vou aproveitar pra contar uma historinha engraçada. Um dia estávamos em uma atividade com escoteiros de todo o DF no Eixão e eu estava completamente uniformizada e precisando de uma informação. Cheguei perto de uma senhora velhinha pra perguntar e, antes mesmo que eu abrisse a boca, ela começou a falar: não preciso que me ajudem a atravessar a rua. E eu ia abrir a boca e ela repetia: não preciso que me ajudem a atravessar a rua!!! Eu quase tive que gritar que não queria ajudá-la a atravessar o diabo da rua, que só precisava de uma informação! kkkk

Eu Viajo com Meus Filhos e Dicas de viagens

Nessas minhas navegadas por aí, encontrei um blog muito legal, o "Eu Viajo com Meus Filhos". Eu, que já estava preparando um post sobre isso, achei a idéia ótima. Afinal, conheço um monte de gente que adora viajar mas não leva os filhos junto. Eu, particularmente, não sei como. Já viajei sem o Vítor umas duas ou três vezes e morri de saudade o tempo todo, não parava de pensar em como ele estaria curtindo ali. Fica aí a dica do blog legal e o aviso de que o selinho vai morar ali do ladinho agora.



Então, de vez em quando vou dar aqui uma dica de viagem boa para quem tem filhos. Vou tentar fazer isso semanalmente, mas não vou prometer porque quem tem criança pequena e cuida da casa não é dono da própria vida! rs

Sabe, sinto falta disso por aí: dica de locais com preços acessíveis para pobres mortais como eu. E acho que vão ajudar bastante também aquelas mamães que, assim como eu, não têm babás que as acompanhe em suas viagens por aí. :) E também tenho que ser sincera: sinto prazer em brincar e tomar conta dos meus filhos durante as viagens. Eu já faço isso normalmente. Fazer em um local diferente é um prazer, principalmente porque lá eu não preciso cozinhar, lavar e nem arrumar nada. Muito bom!

Eu sempre gostei de viajar. Esse foi um "vírus" que meu pai me passou. Como nossa família morava (e muitos ainda moram) no Rio de Janeiro, íamos pelo menos uma vez por ano pra lá. E nessa época não era tão barato andar de avião, então a maior parte das nossas viagens era mesmo de carro. As vezes de ônibus. Também sempre viajamos para a praia nas férias, também de carro. No começo, era pelo Estado do Rio. Depois fomos subindo pela costa do Espírito Santo, Bahia, etc. Chegamos até o Rio Grande do Norte. Meus pais nunca deixaram de viajar por terem duas crianças. Também nunca tiveram babá para ajudar a cuidar. Quando perguntado se dávamos trabalho a eles, meu pai respondia que a gente dava trabalho quando ficavamos muito tempo presas em casa...hehehe

A primeira viagem do Vítor foi com um mês, para uma cidade que fica próxima a Brasília, Goiás Velho (ou Cidade de Goiás, terra da poetisa Cora Coralina). Com 4 meses fomos de carro para Juiz de Fora, Penado e Paraty. Daí pra frente o menino ganhou o mundo. Alice tá mais modesta, só foi duas vezes para Rio Quente e uma vez para Juiz de Fora. Mas como ela tem só 7 meses, tá bom.

Tem duas viagens que ainda vou fazer este ano, mas são viagens especiais. A primeira será em julho, para o Rio de Janeiro e a segunda em setembro, para Recife. Por que especiais? Porque iremos encontrar meu pai, que agora mora em um barco. E embarcaremos com ele, na primeira vez para Búzios e, na segunda, para Fernando de Noronha. Iremos os 3: eu, Vítor e Alice. Gu não vai não, que Gu enjoa até aqui no Lago Paranoá...rs

Então aguardem aí que semana que vem teremos a primeira dica quente (com o perdão do trocadilho): Rio Quente, cidade de Goiás, ao lado de Caldas Novas.

Papos futebolísticos

E a Copa do Mundo tá chegando, corro pra dar tempo de assistir ao amistoso entre Brasil e Tanzânia. Queria muito levá-lo a um lugar com bastante gente, onde as pessoas estivessem torcendo bastante e fazendo barulho, pra que ele saiba bem como é.

Pausa para explicação
Vítor é chato, não é muito fã de lugares muito barulhentos. E reage ainda pior se não é preparado pra isso com antecedência. Como ele está super empolgado com a Copa, vou começando logo.
Play again

E dá-lhe explicações durante o jogo, o que é falta, quem é aquele cara com a bandeirinha, o que é um escanteio, o que é um gandula... aí vem mais uma famosa pérola. Explico que o gandula é aquele cara que pega a bola quando ela sai do jogo.

- Em qualquer lugar?

- Sim, filho. Em qualquer lugar.

- Até no meio da arquibancada?

- Até no meio da arquibancada. Em qualquer lugar.

- Mas ele que quis isso, né? Ele é que foi procurar esta profissão!!!

Passei horas rindo sozinha!! hahahaha

O stress nosso do dia-a-dia*

*Sabiam que a partir de 2012, quando o Novo Acordo Ortográfico entrará em vigor pra valer, não existirá mais diferença entre dia a dia e dia-a-dia? (Nem sabia que existia? Então abafa e olha aqui ó) Viu? Entre Fraldas e Livros também é cultura! :)

Eu ando meio estressada, eu sei. Primeiro que passo o dia em casa cuidando de duas crianças e da casa, sem babá nem empregada. Esse é o primeiro problema. Até seria o menor deles, se a Alice dormisse a noite inteirinha. Mas não, a bichinha acorda de duas em duas horas pra mamar.

Tá achando pouco? Então toma lá: Vítor tá se rebelando contra os deveres escolares e contra a alimentação saudável. Também só quer saber de brincar, brincar e brincar. Arrumar o quarto depois, botar pijama, escovar os dentes... isso tudo é feito em velocidade "lesmônica". aí da-lhe bronca!

Sem contar que os dentes da Alice estão nascendo TODOS AO MESMO TEMPO. Não estou exagerando não. Semana retrasada nasceu um em cima. Semana passada nasceu o outro. Essa semana estão nascendo os dois da frente de cima e mais dois de baixo. É ou não é um filhote de jacaré? kkkk

E não sei vocês ou se é só comigo, mas aqui marido tem um problema sério. Além é claro dos problemas típicos de todos os homens, claro. A memória do protozoário é prodigiosa perto da memória do meu marido. É verdade! Ele é do tipo que esquece que está estendendo a roupa no meio do serviço (sério mesmo, já fez isso várias vezes) e não lembra mesmo! Então dá pra ver que tipo de ajuda eu tenho por aqui, né? Ainda bem que tudo o que eu peço ele faz (claro que eu preciso pedir, perceber sozinho... é mais fácil nevar em Brasília) e que nos fins de semana fica com os dois por umas horinhas pra que eu cochile um bocadinho.

Mas pouco a pouco vou botando as coisas em ordem. Consegui instalar uma rotina aqui, estou procurando uma pessoa pra me ajudar e fazendo meu curso de webdesign. Também já vou colocar em prática a Remoção Gentil (veja aqui o que é isso) pra Alice dormir melhor e Gráficos Motivadores (desculpe, não achei um link para explicar, mas prometo um post sobre isso depois) para melhorar o comportamento e incentivar a proatividade do Vítor. Os outros problemas eu vou resolvendo também, mas aí já é outra história...rs

Pra dar mais leveza a este post, aí vão umas fotos das crianças. Eles estão cada dia mais lindos!!





De cara nova

Alguns já perceberam, outros ainda não. Mas o Entre Fraldas e Livros tá de cara nova. Ainda não é a definitiva não, tá sendo só um teste. Explico: estou fazendo o meu tão desejado curso de webdesign. E ainda tô na metade. Mas e a vontade de colocar em prática o aprendizado?

Então peguei um layout pronto e mudei todinho, pra ficar do jeito que eu queria. Ainda tem um monte de erros, coisa que não tá assimétrica (tá de um tamanho de um lado e de outro tamanho do outro), figuras que não se encaixam perfeitamente e as listras ficam diferentes, o babado que eu queria ter feito aparecer inteiro e no fim acabei cortando, coisas do tipo. Mas já fiquei muito feliz de ter conseguido fazer sozinha. E acho que vale como ponto positivo o fato de que eu ainda tava sem mouse e que minha mesinha de notebook quebrou, o que significa que fiz tudo no colo, em cima de uma almofada.

O próximo já vou fazer em html, porque já vou ter aprendido direitinho no curso. E já vou fazer com mouse, porque eu já comprei um. A mesinha eu não posso prometer não, mas dos males o menor, né? :) E dentro em breve vocês poderão me contratar pra embelezar o blog de vocês, chique!!

Ah! Aproveito e deixo aqui o endereço do blog do Vítor. Aquela criatura me azucrinou por semanas até que eu fizesse um pra ele. E não é que o danadinho posta mais do que eu?? Ele só fala nisso, tudo ele quer colocar no blog, fala tanto que eu vou lá e digito pra ele. E não se enganem, não sou eu quem cria os textos não, é ele mesmo. Vai ditando pra mim, palavra por palavra, eu só digito. As vezes corrijo algum erro. Mas vem tudo daquela cabecinha esperta. De vez em quando, no meio do que ele tá me ditando, eu começo a rir e ele fica bravo. Mas é porque ele acha que eu estou rindo dele, mas eu estou é rindo da esperteza da criatura e das palavras difíceis que ele usa! :)

Visita lá e deixa um recadinho, ele lê tudinho e fica super feliz: O Fantástico Mundo do Vítor
Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires