A maternidade e as comparações


As pessoas têm mania de comparações. Elas adoram comparar uma coisa com a outra. Principalmente as mães. E também adoram entrar numa de "meu filho não está fazendo o mesmo que o filho da fulana está". Algumas pessoas também adoram torturar pobres mães com frases do tipo "como assim seu filho tem 7 meses e ainda não senta?", "seu filho tem 1 ano e não fala? Tem algo errado!" ou ""sua filha tem 8 meses e não engatinha? Não pode!!"


E se temos dois filhos então? Ah, aí as comparações são inevítáveis. Ainda bem que a minha família não é muito disso, senão seria assim: "Ué, Vítor com a idade da Alice já ficava em pé sozinho com apoio". "Nossa, o Vítor com 8 meses já engatinhava, será que não tem nada errado com a Alice?". Mas claro que o fato da MINHA família não falar, não impede que OS OUTROS falem, né? kkkk
Ainda bem que sou muito light com isso. E eu não caio - como algumas mães caem - na tentação de ficar sofrendo por algo que o filho não faz e o filho da vizinha, da mesma idade, já faz. 

Cada criança é uma criança. Melhor ainda: cada ser humano é um ser humano. Temos nossas diferenças, nossos ritmos, nossos gostos. Todos esses são particulares. Claro que existem 2 (ou mais ) indivíduos com ritmos parecidos ou gostos parecidos. Mas não dá pra fazer disso uma regra. Se você tem 10 filhos e cria todos do mesmo jeito (se isso fosse possível), eles vão ser diferentes.

O que fazer então? Claro que isso é a minha opinião, cada um tem a sua. Mas na MINHA (humilde) opinião, o negócio é fazer como os pinguins do Madagascar, sorrir e acenar (não conhece? Olhe aqui). Aliás, ainda acho que essa é a primeira lição que toda mãe deve aprender, desde que fica grávida. Mãe que não utiliza essa tática, sofre demais na vida, aff!

Aproveitando este tema, outra coisa eu que me incomoda demais são as pessoas que acham que só tem um jeito certo na vida para educar os filhos. E claro que esse jeito é o jeito dessas pessoas, né? Claro. Então vem as pérolas que dizem que você é menos mãe se tem filho por cesariana, é menos mãe porque não amamenta, é menos mãe porque dá outros alimentos antes dos 6 meses, é menos mãe porque trabalha fora, é menos mãe porque tem uma babá, é menos mãe porque põe o filho na creche. Eu poderia passar o resto do dia aqui falando isso.

Acontece que NÃO existe SÓ UMA forma de criar os filhos. E sabe por que? Justamente pelo que falei lá em cima: cada ser humano é um ser humano diferente. Tanto as mães quanto os filhos. Então dizem: é fácil amamentar. Pode ter sido pra você, mas tem outras milhares de mães por aí que também queriam muito e não conseguiram. Eu tenho algumas amigas que passaram por isso e sofreram bastante, coitadas. (Flavinha não me deixa mentir, né sister?). E sofreram principalmente por causa dessa opressão generalizada. Dá pra crer que a paravam na rua e diziam "coitadinho", quando ela falava que não conseguiu amamentar? Pois é, Pedrão é 3 dias mais velho do que a Alice e tá lá, lindo, forte, sapeca e saudável. E engatinha desde os 6 meses. Alice com 8 meses ainda não engatinha. Dá pra comparar então?

Uma mãe não é boa mãe porque introduz alimentos antes dos 6 meses? E as que precisam trabalhar, vão matar seus bebês de fome? Decerto isso é ser boa mãe, deixar as crianças desnutridas. Uma mãe é imperfeita porque contrata uma babá para ajudar em casa? Então carregar o mundo nas costas e ficar sobrecarregada e estressada deve ser requisito pra ser boa mãe, certo? Uma mãe é partidária de dar palmadinhas nos filhos, isso dá direito a outra pessoa de vir criticar? Como disse minha amiga Marília Mercer, eu gostaria da minha parte dos palpites em fraldas, por favor.

Algumas pessoas por aí dizem que não existe isso de SER MENOS MÃE. Eu acho que existe sim. Uma mulher é MENOS MÃE DO QUE OUTRA quando negligencia os filhos, quando espanca as crianças a ponto de mandar pro hospital, quando as deixa sozinhas em casa de noite para ir pro bar encher a cara, quando abandona um recém nascido na lata do lixo e não se arrepende do que fez. Assim como a lista de críticas, eu poderia passar o resto do dia aqui listando a lista das mães que são menos mães do que as outras.

Se uma mãe ama seu filho, ela é quem sabe o que é melhor pra ele. Ela pode estar errada? Claro que pode! Mas o que dá direito a outra pessoa ir lá criticar? Por acaso ela também não está errada em nada, nadinha? Nunca vai estar? Pois é, entramos na velha história de atirar a primeira pedra.

Acho que poderíamos propor ao mundo um acordo: vamos ser mais solidários com o próximo, tentar enxergar melhor as dificuldades do outro. A maternidade precisa ser mais valorizada e menos criticada. E aí fica o mote pro próximo post, quando vou falar de um movimento muito legal que tá rolando na internet.

Eu amo muito os meus filhos e estou sempre tentando fazer o melhor para eles. Se errei? Claro que errei, um montão de vezes. Mas ainda assim fiz achando que era o melhor para a vida deles. E quando vi que estava errada, fui logo atrás de outra forma de alcançar o objetivo. Afinal, o bom desta vida é que a gente pode recomeçar. E pra isso, graças a Deus, existem MUITAS formas de alcançar o mesmo objetivo.

19 comentários:

@thalilopes disse...

Oi Taty, então que AGORA estou grávida e o que mais tem são pessoas que querem dar palpites, tenho umas tias q tem mais de 70 anos e já começaram a falar, primeiro para eu não engordar, daqui a pouco com certeza vão querer dar pitacos na criação do baby e ahhhh comparações com certeza teremos muitas. E eu??? estou me preparando para lidar com cada coisa e fazer como os pinguins, sorri e acenar SEMPRE.
Beijocas,
Nas fofuras Vitor e Alice.

Lele disse...

Olha, cada filho é de um jeito, cada momento é unico.
Com o Otavio parece tudo tão mais rápido, tão mais facil, mas é porque sou menos ansiosa agora.
Sou a caçula de 3 e sempre houve comparação entre nós... nem ligo!
Cada um é de um jeito!
E eu sou uma mãe BOA PRA CCCC
heheheheh
e vc tb!!
bjao

Kátia Güttler Siqueira disse...

O qye mais tem na vida de uma mãe são palpites. Tem que ter muita paciência. Minha tática é concordar com tudo ou simplesmente fazer cara de paisagem como se estivesse ouvindo atentamente sem tampouco ouvir nada. É o jeito ou a gente enlouquece. Ouço só os "palpites" dos pediatras e mesmo assim, ainda questiono às vezes. Ser mãe é a arte de usar o bom senso. Sempre.

Layana disse...

Apoiado! Apoiado e apoiado!

O povo complica muito as coisas, se o dna já nos mostrou que cada ser é único, pra quê comparar né...

Só quem deveria ter licensa pra comparar dois irmãos é a própria mãe - e mesmo assim, sem falar perto das crianças - porque na nossa cabeça a gente compara automaticamente.
Beijos

Heloiza disse...

Querida...

Que post emocionante!
Apoio tudo o que vc escreveu, inclusive em ser mais solidárioa com quem faz diferente da gente, pq, muitas vezes, mesmo sem querer, acabamos por cometer o erro de comparar e de dar pitaco, né?

Bjs carinhosos e fique com Deus

Laudiane disse...

Cada caso é uma caso....cada criança uma criança....
Se erramos é tentando acertar...
Amei seu post pra variar...
Lindo feriado pra vc e sua família que Deus os abençoe sempre
Mil beijos

P.S linda família

Marilia Mercer disse...

Concordo com tudo o que disse, maternar é uma experiência pessoal, que deveria ser mais colaborativa entre as mães.
Antigamente era assim, as mulheres se ajudavam. Hoje em dia além de não ajudar, ainda dão palpites que você não pediu, fazem comparações ridículas, quando não ficam falando mal de você no consultório médico haha!
Vamos mudar pessoal?

BjoS!

Mayri Lopes disse...

Amei o post, n conhecia o blog, arrasou, é tudo isso aí mesmo q vc disse, mais solidariedade, menos críticas q n constroem! Fico agoniada com esse povo q fala fala e n te estende a mão pra pegar uma fralda... q se danem! Beijo pra tu, adorei o blog!

Vanessa e Enzo disse...

Conforta ler seu blog Tati! Sofro com comparações feitas por MIM (as das outras pessoas incomodam, mas p elas ligo o F fácil)... O chato é qd vc msm compara! Cm vc disse o bom é que podemos recomeçar... e eu venho tentando me disciplinar qt a isso!

Blog (abandonado) da Grávida disse...

Escrevi este post mentalmente nos últimos 7 meses! Cada vírgula, cada ponto, cada palavra. Você leu minha mente??? É exatamente o que penso: que cada criança é de um jeito e que cada mãe é que sabe o que é melhor pro seu filho. Mesmo que ela erre ao tentar acertar. Ninguém tem nada a ver com isso. A não ser que ela peça ajuda ou opinião, ninguém está autorizado a dar pitaco.

Nas duas últimas semanas então...nem se fala! Tenho escrito estas palavras mentalmente todos os dias! Praticamente um mantra. Minha sogra está de férias e veio de mala e cuia pra minha casa. Ela critica tdo o que faço e repete o tempo todo que teve 3 filhos ,por isso sabe mais do que eu, que tenho apeans um. No fim de semana não aguentei e cometi SOGRAcÍDIO. Falei "Então me explica, se você tem 3 filhos, por que não vai aborrecer as outras duas noras?" Aí ela fez as malas e foi mesmo kkkk Mas prometeu que volta antes do fim das férias. Aff

Obrigada, Thaty! Beijo!

Dina disse...

Super comcordo com vc hahaha ja plagiei vc viu kkkk vou la no meu blog colar seu post kkkk

♥♥ Thata ♥♥ disse...

Nossa, gostei muito do seu post. Eu me enquadro na categoria de MENOS MÃE, pq meu filho nasceu de cesárea, não amamento e ele vai pra escolinha aos 5 meses. É uma opressão mesmo e quem tem a cabeça um pouco mais fraquinha cai em depressão com tudo isso.
Parabéns e boa sorte com seus filhotes!

Magali disse...

Meu Deus! A melhor coisa que eu ja li na minha vida! Simplesmente brilhante! Serio, Tati, quase chorei lendo esse post. Sei que tu escreveu com alma, com coracao. E é bem isso. Vou linkar no meu blog, se eu pudesse imprimia e colocava debaixo da porta de cada mae desse planeta. Adorei.

Beijao!

Cacau Ferreira disse...

Tati, é de utilidade pública esse seu post, gostei muito.

Só discordo, de novo, desse ponto do "menos mãe". Sou da turma que acho que isso não existe, nunca vi uma mulher dizer pra outra "vc é menos mãe porque não amamenta" o que sempre vejo é a própria mulher dizer "não sou menos mãe porque não amamento". E isso pra mim é algo mal resolvido da própria mulher que precisa reafirmar se ela é ou não mais ou menos mãe.

Pra mim, mulheres que jogam seus filhos na lata do lixo não são mães. Nem menos nem mais, elas simplesmente não o são. O significado da palavra MÃE pra mim vai muito além de simplesmente gestar um outro ser humano. Isso qualquer mulher pode fazer, agora ser mãe não.

Enfim, muito bom.

Beijos

Cacau Ferreira disse...

Tati, é de utilidade pública esse seu post, gostei muito.

Só discordo, de novo, desse ponto do "menos mãe". Sou da turma que acho que isso não existe, nunca vi uma mulher dizer pra outra "vc é menos mãe porque não amamenta" o que sempre vejo é a própria mulher dizer "não sou menos mãe porque não amamento". E isso pra mim é algo mal resolvido da própria mulher que precisa reafirmar se ela é ou não mais ou menos mãe.

Pra mim, mulheres que jogam seus filhos na lata do lixo não são mães. Nem menos nem mais, elas simplesmente não o são. O significado da palavra MÃE pra mim vai muito além de simplesmente gestar um outro ser humano. Isso qualquer mulher pode fazer, agora ser mãe não.

Enfim, muito bom.

Beijos

Gabriela Gomez disse...

Oi Tati, perfeito seu post...falou e disse!!!
Já recomendei para algumas amigas grávidas que com certeza precisam saber disso para não se sentirem "mal" quando isso acontecer.
Parabéns!!!
Bjs

Maya disse...

Que texto maravilhoso!
Acabei de conhecer seu blog pelo link da Magali.
Vou linkar esse post seu no meu blog tb, afinal é praticamente um guia para os abelhudos! hehe
Parabéns pelas palavras tão bem escritas!

Laudiane disse...

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!

Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!

Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!

Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!

Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!
Machado de Assis
(Sucesso esse post, tão bacana, muito bom ter sua amizade sabia...há pessoas que são iluminadas de verdade.
Tenha dias lindos flor beijos nas crianças e obrigada pelo carinho das palavras em meu blog.
Súper beijo,)

Sarah disse...

Olá! Fui clicando de blog em blog até chegar aqui... e adorei! Esse post em especial está ótimo. Acho que toda mãe ouve comparações né... Por aqui meu filhote é constantemente comparado ao priminho, que tem 4 meses a menos. Se o primo aprende algo antes dele, nossa... parece que meu filho está atrasado.
Concordo 100% com vc, cada criança é uma criança!
Estou te linkando e vou te seguir também, ok?!
Ah, se quiser conhecer meu pequeno, passa lá: http://maedobento.blogspot.com/
um beijo!

Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires