Out por uns dias

Eu ando sumida, eu sei. Em parte porque ando com um certo bloqueio criativo, em parte porque voltei a trabalhar, em parte porque estou empolgada com alguns projetos de arrumação da minha casinha. E prometo que venho com post novo sobre isso em breve.

Mas vou ficar recolhida por um tempo, não só aqui no blog, como também no twitter. Acho que vocês sabem que desde o ano passado estamos planejando participar da Regata Recife Fernando de Noronha - a REFENO. Só quem é velejador pode entender o que é participar desta regata, ela é o sonho dourado de todos aqueles que têm a vela como esporte e como paixão. É um evento que, quem participa, não esquece jamais. E quem não participou quer muito participar.

Então esse planejamento, que está acontecendo desde o ano passado, na época em que eu ainda estava grávida, tem sido muito esperado, tanto por mim quanto pelo Vítor. Não tem um dia em que o Vítor não fale sobre isso, ou que eu não deite minha cabeça no travesseiro e faça planos para essa viagem. Já tinha comprado passagem e conseguido dispensa no novo trabalho. Tudo porque está viagem é muito importante para a gente.

Mas eis que, por motivos alheios à nossa vontade, o barco do meu pai não irá mais participar da regata. Eu acredito que esta tenha sido uma decisão muito difícil para ele, e ele teve os motivos dele para isso. Acontece que estou profundamente desapontada pelas coisas não terem dado certo e sem saber como contar para o Vítor.

Explico logo que eu sou do tipo de pessoa que acredita que as coisas, quando têm que acontecer, acontecem. E que nada é por acaso. Mas não dá pra não ficar desapontada e triste quando uma coisa como essas acontece. Simplesmente não dá. Não pra mim. Pode parecer bobeira para as outras pessoas, acredito que quem é velejador entenda melhor o que estou dizendo e sentindo. De qualquer modo, é um planejamento de anos, indo pelo ralo. Eu não tenho como não ficar triste.

Eu sei que vai passar, eu sei que as coisas têm um motivo para acontecer e etc e tal. Mas também sei que eu tenho o direito de ficar triste, pois era um sonho meu que se desfez. E para ter esse direito de ficar triste é que vou me afastar um pouquinho. Eu sei que as pessoas têm boas intenções quando me dizem essas coisas, que querem me animar. Mas eu me sinto como que desrespeitada, como se ficar triste fosse uma coisa absurda, mesmo sendo uma coisa tão importante pra mim.

Então por isso vou ficar fora por uns dias, até que eu esteja melhorzinha. Até porque para que eu desempenhe meu papel de boa mãe, eu preciso estar bem comigo mesma, aí posso conversar com o Vítor na boa, passando bons exemplos e dando uma compensação legal, um outro passeio, algo do tipo. Sei que não vai substituir pra ele (nem pra mim), mas vai enganar um bocadinho e distrair.

Um abraço a todos e prometo que volto o mais rápido que eu puder!

7 comentários:

Andréa Peixoto disse...

Querida Thaty, não fique triste e nem se cobrando tanto assim. Entendo você perfeitamente. Agora imagine você nossos planos de engravidar novamente (já há três anos); mudarmos pra casa nova desde maio (e embora a obra esteja pronta, o habite-se já ter saído, ainda não recebemos as chaves) etc. Planos e mais planos a gente faz e temos mesmo o direito de fazer... Mas é que muita coisa independe da gente. E, tanto para o nosso crescimento quanto dos nossos filhos é preciso saber convivermos com nossos desapontamentos. Ainda assim, tenho certeza de que você se sairá bem com o Vítor. E, não se preocupe que a criatividade voltará à tona. (Pra falar a verdade, minha amiga, voltei das férias disposta a acabar com esse meu blog... Mas, muitas vezes acabo usando-o como válvula de escape, você me entende? Daí desisti.) Quanto ao seu recolhimento. Preserve-o. Ninguém nem nada têm o direito de nos tirar do nosso momento, da nossa introspecção. Se precisar de algo, sabe como me encontrar. Não se esqueça jamais de que o servo não é maior do que o Senhor e os planos Dele nem sempre são os nossos. Certamente, não era o momento de enfrentar o oceano. Beijo no coração. Andréa

Vanessa e Enzo disse...

Sou assim tb, supero se tive corado pitangas pelo que me deixou triste, e nem de longe to aqui para te tirar o direito de ficar triste com algo que foi planejado por anos. Mas volta logo que eu sinto saudades!

Vanessa e Enzo disse...

Sou assim tb, supero se tive corado pitangas pelo que me deixou triste, e nem de longe to aqui para te tirar o direito de ficar triste com algo que foi planejado por anos. Mas volta logo que eu sinto saudades!

Maria Betânia Fuller, mamãe de Lana Fuller, disse...

Owww amiga, que pena, mas estarei aqui te esperando voltar a postar ok? Todos nós temos nosso próprio momento e os eu como so outros tem que ser mais que respeitado...
Beijos e fico no aguardo da sua volta... Bel.

Cristiane Mota disse...

Puxa, voce faz regatas, que bacana !!! Tudo tem a hora certa, de ir e de voltar. Boa sorte e espero que volte ao blog.

Prazer, Cristiane, mae de primeira viagem, do Bernardo e sua seguidora :)

Marla Gass disse...

Ai, negra, expectativas frustradas são uma merda mesmo. Pode te sentir triste mesmo pq tu é humana, apesar de mãe, hehehe.
Falando sério: não dá para ir no ano que vem? Ou no outro? Tá, eu sei que não é a mesma coisa, mas... ajuda, né.

Well, no meio da tristeza, uma ótima notícia: emprego novo, então, negra!!! Quero saber TUDO! Contaê!

Bjs em vcs todos. E, amiga, "tudo, tudo, tudo vai dar pé!"
;-)

Ligiane, mãe do Rafael disse...

Querida amiga,
Fico imaginando o quão desapontadora foi esta notícia. Vejo que você é dedicada, perfeccionista, leva as coisas a que se propõe a sério e se planeja de corpo e alma para elas! Teu Vítor é muito especial, ainda mais é a relação que vocês tem. Este amor supera tudo, tenho certeza disso. Mas é preciso mesmo um tempo para voltar para o nosso prumo. Se respeite mesmo.
Quanto ao gurizinho, lembre sempre que estarás ajudando-o a lidar com coisas tristes, mas necessárias da vida: frustrações são dolorosas, mas aprender a lidar com elas formam nosso caráter! Que esta experiência se transforme em uma lição importante :O)

Um beijo grande, saudade!

Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires