Quando a gente se questiona sobre sermos quem somos

Nas últimas semanas antes de sair de Brasília eu passei por dias muito difíceis. A mudança em si, as caixas, isso foi moleza, mesmo eu tendo ficado até duas da manhã encaixotando coisas depois de trabalhar o dia todo e resolver milhares de pendências. Eu digo que foi moleza porque tudo na vida é relativo. E comparado com os outros problemas que enfrentei nessas semanas, colocar coisas dentro de caixas, fechar e empilhar é realmente moleza.

Claro que eu sabia desde o começo que teria que resolver vários problemas sozinha, já que o Gustavo já estaria em São Paulo durante esse processo. Eu sempre soube que não seria fácil, já que todas as coisas que já são complicadas de ser feitas a dois, seriam todas feitas somente por mim, que ainda estava trabalhando e cuidando de duas crianças.

Pausa

Nessa hora eu tenho que agradecer muito à minha grande amiga e chefinha, Calu. Ela me entendeu como ninguém, me deixou flexibilizar meus horários pra que eu pudesse resolver tudinho. E ainda me deu tempo de desencaixotar minhas coisas aqui em Sampa antes de voltar com tudo pro trabalho. E a amo, mas não é uma relação lésbica, tá? rsrs

Despausa

Enfim, uma das coisas que mais me baqueou nesses dias foi um puxão de tapete que levamos de uma pseudo advogada, que fez um acordo conosco, nós cumprimos a nossa parte, ela disse que não iria cumprir a dela e inventou um monte de desculpas. Fiquei arrasada, me sentindo idiota por ter acreditado. Porque eu sou assim, eu tenho a tendência de acreditar nas pessoas. Está enraizada em mim a crença de que eu tenho uma palavra e sempre procuro cumprir o que prometo. Eu sou tão chata com isso que raramente falo a palavra "prometo", a não ser que eu tenha plena certeza de que vou poder cumprir aquilo. E mesmo assim, mesmo sem falar a temida palavra, eu sempre me faço em mil pra cumprir os compromissos que firmo. Então tenho a tendência a acreditar que as pessoas também têm palavra, que cumprem o que falam. E fico arrasada quando alguém quebra um acordo assim, com a maior facilidade e cara de pau do mundo.

Confesso que fiquei me questionando se o meu jeito de ser estava certo. Se eu não deveria mudar e ser mais "esperta", deixar de acreditar nas pessoas. Mas assim que eu pensei nisso, logo vi que assim é que eu estava sendo idiota. Eu não vou permitir que ninguém faça com que eu me sinta mal por ser do jeito que eu sou, por estar do lado "bom" do mundo.

E conversando com minha querida amiga Lele, que também está chateada por motivos muito parecidos, chegamos à algumas conclusões. Nós não somos bobas e ingênuas não. Nós é que estamos certas de sermos como somos. Nós podemos colocar a cabeça no travesseiro todas as noites, porque temos certeza de que cumprimos nossa palavra. Nós temos é que nos orgulhar de sermos assim, de acreditarmos nas pessoas, porque mesmo que as vezes a gente caia do cavalo, sempre tem alguma vez em que fizemos a diferença pra alguém justamente por sermos do jeito que somos.

O mundo seria muito melhor se as pessoas fossem como nós somos. E além disso, nossos filhos aprendem pelo exemplo. E nem eu nem ela queremos criá-los com o exemplo de pessoas que desconfiam dos outros, que não têm palavra, que vivem sem essa abertura que temos.

Vítor está começando a aprender sobre a lei do lobinho, que diz que eles devem fazer uma boa ação todos os dias. E aprendendo que a boa ação, para ser uma verdadeira boa ação, deve beneficiar o outro e não a gente. Aí falei pra Lele: "Então não somos mais só eu e você. Já temos o Vítor. E a Isa. E daqui a pouco teremos a Alice e o Ota. Viu como já estamos nos multiplicando? :-)"

E um viva a todas as pessoas assim!!!!

10 comentários:

Ligiane, mãe do Rafael disse...

Amiga querida,

Ser a formiguinha no deserto (era assim a historinha?rs) dá muito trabalho, mas vejo como sendo a única saída. Pra dormir com a alma tranquila, pra ter a certeza que os filhos aprenderão com o exemplo, pra ser feliz.

Mas eu entendo o que vc sente. Nos cansamos, nos desiludimos.... E vamos em frente.

O bom é que na vida quem realmente permanece na vida da gente não são os opostos, e sim os iguais.

Aí vale o esforço.

Um beijo grande e bem vinda à terra dos galos!

rsrsrs

Fanny Barbosa disse...

Tati,

As vezes acordo e pergunto a mesma coisa, Será que sou idiota por sempre cumprir minha palavra?
Mas dai percebo que ao meu redor meu amigos confiam em mim, e que pessoas estranhas as vezes por eu ser sincera e falar a verdade, também confiam.
Claro eu já fui passada pra trás, hoje aprendi a me defender sem deixar de ser como eu sou.
Isso é possível, o tempo e os tombos ensinam!

Tuka Siqueira disse...

Pode juntar-me a esse seleto grupinho, também sou assim, do "pior" tipo pois ainda sou uma eterna e incorrigível otimista. Mas sou assim por convicção e não pretendo mudar. O dia que mudar isso em mim, estarei morrendo um pouquinho...

Beijos querida, e bola pra frente porque o mundo é redondo e gira, numa dessas voltas a pessoa que te lesou terá que confrontar-se com as consequencias dos seus atos.

Sam disse...

Thaty,

Me identifiquei muito com o seu post....
Vim de Brasília para São Paulo a 6 meses....e realmente a parte mais fácil foi encaixotar as coisas....rsrs
Também tive um grande problema com a palavra da transpostadora que contratei para fazer a mudança.....além deles atrasarem 1 semana a entrega, as minhas coisas vieram quebradas....móveis estragados e faltando peças, colchões molhados,afff, melhor nem falar tudo pq sempre fico nervosa com essa história....e a minha palavra que foi a de pagar tudo certinho, eu cumpri....
Mas ainda vejo uma esperança no fim do túnel...não é porque algumas pessoas são más é que eu serei assim....continuarei a ensinar meus filhos a serem pessoas de bem e ponto final!!!
abraços
Sam

Têh~° disse...

Eu realmente não como como essa pessoa que se diz mais esperta que a outra consegue dormir a noite. mas enfim, não devemos deixar de sermos por causa dessas tais pessoas. se a gnt sempre pensar que tem q se dar melhor que o outro nunca seremos felizes e depois o tombo é bem maior.
espero de coração que esteja tudo bem com vcs.. pq aqui a vida esta tão corrida que acabo ficando bem ausente e me perco nas novidades.
beijos em vc e nas crias.

Tathy disse...

Ai, eu sempre me frustro com pessoas que não cumprem o que falam! Porque eu também tenho a fé que as pessoas são como eu - nós e vão cumprir o que dizem. Quer me deixar louca da vida é prometer e não cumprir!
Mas não podemos perder as esperanças porque o mundo ainda tem bastante pessoas como nós e estamos fazendo a nossa parte para que essa quantidade se mulitplique! Acrescenta a Ellis na listinha ai! rs

Bola pra frente, porque apesar de me frustrar com esse tipo de coisa eu tb penso que fazendo a nossa parte um dia a gente não vai se frustrar mais.

Bem-vinda à ZN amiga, com galo e tudo! rs

Beijos

Helo disse...

Ah minha querida...

Como já tive vontade de mudar, nem te conto qtas vezes por achar que EU estou errada e não ELES, por não entrar em esquemas, por abrir mão qdo minhas atitudes tem a chance de prejudicar alguém. Mas depois penso como qro criar minhas filhas e aí vejo que não tem outro comportamento a ser seguido. EU estou certa em acreditar, prezar pela honestidade. Como vc diz: Deitamos tranquila.

Beijos e bem vinda a SP. Estou doida para te conhecer.

Fique com Deus!

Karin disse...

Realmente, creio que somos frustadas todas os dias pelas pessoas, principalmente aquelas que nos amam. Criamos uma expectativa além da média e isso de certa forma, não nos faz bem SEMPRE!

Gostei da parte que você diz que está multiplicando, que seus filhos já estão aprendendo... e que bom que eles tem um ótimo exemplo dentro de casa.
Nossas crianças precisam de exemplos reais e não figurinhas imaginárias com super poderes!!!

Elas precisam aprender com os verdadeiros heróis, com aqueles que escrevem suas histórias todos os dias: os seus pais.

Precisamos de pais sadios e cheios de vontade de estar com seus filhos, precisamos de pais que se comprometam com a educação, que se comprometam em ensinar valores para seus filhos...

Fico imensamente feliz que seus filhos tem ótimos exemplos pertinho deles!!!

Beijos
Karin

Ana Amaral disse...

eu vivo me peguntando isso também. se deveria ser mais espertinha. mas acho que não. quando deito de noite, minha consciência está tranquila. e isso não tem preço.

um beijo e bem vindos!

Ana Amaral, do http://maedevenus.blogspot.com

Aoki Shop Brechó Infantil disse...

Thaty,

Me identifiquei super com o seu post, pois tb estou de mudança e tenho um bebê de quase dois anos. Estamos no meio de uma mudança, programação da festinha de aniversário...etc..

Não fique muito chateada com a questão da advogada... Eu tb sou uma...rs.. Se precisar conte comigo.

Bj

Estela Aoki

Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires