Idéias para driblar o famoso "mico"



Toda vez que eu vejo esta propaganda do Space Cross na tv, eu acho que ela é o máximo. Já falei pro Vítor se cuidar, que vou fazer a mesma coisa com ele assim que começar esta história de "mico" por aqui. Por enquanto, ele morre de rir e diz: o que você vai falar pra mim, mamãe? E eu respondo: "você já fez uma velejada até Fernando de Noronha? Já participou de um campeonato brasileiro? Já andou de balão? Já fez rappel na cachoeira? Então me desculpa, mas se alguém tinha que ter vergonha de alguém aqui era eu, né?". Pronto, nós dois caímos na gargalhada.

Isso me lembra a história do americano que, depois que o filho disse que era mico ser levado até o ônibus escolar todos os dias, ele passou 170 dias aparecendo fantasiado para realizar esta tarefa, não repetindo as fantasias em nenhum dia. Os vizinhos ajudavam a arrumar novas fantasias e a família registrou tudo, até criou um blog com as fotos. Gosto dessas idéias bem humoradas.

E vocês, já chegaram nessa fase do mico? Ou imaginam como vai ser?

As novidades no cardápio do Mc Donald´s [editado]

Edição em 28/09 - As novidades no cardápio só estarão disponíveis a partir de 01/10

Definitivamente, ela aprovou as maçãs :)
Hoje eu e meus dois testadores mirins atendemos ao convite do Mc Donald´s e fomos lá conhecer as modificações que foram feitas no cardápio, com o objetivo de trazer benefícios na composição nutricional do que é oferecido pela rede. Foram dois anos de pesquisa para chegar ao resultado apresentado hoje, e o Brasil é o primeiro país da América Latina a ter essa modificação nos restaurantes Mc Donald´s.

A partir de agora, qualquer combinação do Mc Lanche Feliz contará com uma nova versão de batatas fritas - a McFritas Kids, que é menor e tem apenas 100 calorias, menos da metade da versão anterior. Além disso, um quarto item foi adicionado ao lanche: uma porção de frutas em pedaços, como sobremesa. A primeira porção oferecida é de maçãs e foi aprovada pela Alice, que comeu a dela e ainda roubou as do coleguinha Kassem, filho da Barbara Saleh. O Vítor gostou da nova versão do lanche, mas estranhou o tamanho da batata, disse que preferia a antiga, maior.

Também está sendo oferecida uma nova opção de salada, com quase o dobro do peso da anterior e com menos de 10 calorias  (sem o molho), que pode ser adicionada às Mc Ofertas. A quantidade de sódio foi reduzida em aproximadamente 10% nos pães, Mc Nuggets, queijos e ketchup oferecidos pela rede e a quantidade de açúcar adicionado nas bebidas à base de frutas foi diminuida em quase 40%.

De tudo que provamos hoje, o resultado foi: as crianças aprovaram o novo Mc Lanche Feliz, mesmo o Vítor não tendo comido todas as maçãs dele (já foi um grande avanço ele comer algum pedaço). O novo tamanho da batata foi ideal para a Alice, mas agora eu não posso mais roubar dela...rs Mesmo eu não gostando muito de saladas, aprovei a novidade, mas acho que deveria vir um pouco mais de tomate caprese (eu nem provei os meus, Alice foi mais rápida e se apossou deles). O sabor do suco e dos pães continua exatamente o mesmo pra mim, então acho que eles obtiveram sucesso com as pesquisas.

Eu e as lindas Priscila Perlatti e Barbara Saleh
E o que eu acho de tudo isso? Acredito que esse tipo de comida não é pra todo dia. (embora conheça várias pessoas que comem todos os dias e respeito a opinião delas). Eu gosto, meus filhos gostam, mas acho que, como tudo na vida, é preciso moderação. Nos fins de semana, ou nos momentos em que precisamos de uma refeição rápida (quando estamos atrasados para a atividade do escoteiro, por exemplo), comemos sim e comemos sem culpa. Então, se posso oferecer aos meus filhos (e pra mim, claro) uma opção com o mesmo sabor e mais saudável do que era antes, eu fico bem feliz. Se em um fim de semana posso levá-los para lanchar e se divertir, sabendo exatamente o que estamos ingerindo, acho que isso é muito válido!

Por falar nisso, ainda essa semana vou trazer novidades sobre produtos que seguiram a mesma linha do Mc Donald´s e inovaram em suas formulações para ficar mais saudáveis. Aguardem!

Uma homenagem para uma amiga MUITO especial

Hoje eu ia fazer um post sobre as crianças, atualizando as novidades e contando como estão espertas e lindas, coisas básicas de uma mãe muito coruja. Mas hoje é um dia muito especial, então vou deixar esse espaço todo dedicado a uma pessoa que eu gosto muito, que é muito especial, minha amiga Carolina Longo, mais conhecida como Calu.


A Calu foi a pessoa "responsável" pela minha mudança pra Sampa. Em um momento em que eu estava cheia de dúvidas, um momento super delicado da minha vida, ela estendeu a mão pra mim e me ajudou um bocado. A Calu é mais do que só minha chefe, é mais do que só minha amiga, muito difícil definir. Ela é uma pessoa que acredita no mesmo que eu, que realmente tem prazer em ajudar as pessoas, que sempre tem uma palavra gentil pra quem precisa, que sempre está disposta a participar de uma ação voluntária. Ela tem um coração do tamanho do mundo e se emociona com tudo, até mesmo com um pinguim sem família, abandonado por não ter pelos...rsrsrs Mãezona do Dudu e da Alice, educa os dois de maneira esplêndida, são crianças inteligentes, educadissimas e cativantes. Tudo o que eu posso dizer pra ela é: muito obrigada por me deixar fazer parte da sua vida!

Quem me conhece bem sabe que eu já perdi emprego porque não sei ser puxa-saco e bajuladora, principalmente de quem não merece. Então tenham certeza de que esse post não é pra babar ovo não, é porque a Calu realmente merece muito esta e muitas outras homenagens.

Eu poderia ficar o resto do dia aqui, falando sobre quem é a Calu. Mas, ao invés disso, vou abrir espaço pra outras amigas que, assim como eu, também acham a Calu uma pessoa super especial. Como tive a idéia do post ontem de madrugada, não deu tempo de chamar todo mundo. Mas se vc também quer participar da homenagem, vamos continuar nos comentários!

E Calu, eu tenho ainda mais um recado: por você eu faria mil vezes!!


 Lembro de um texto que eu fiz prum portal progressista explicando a capacidade que só mulheres têm de ser e de fazer mil coisas ao mesmo tempo. Embora eu não a conheça pessoalmente, já percebi que a Calu é a personificação da mulher que eu descrevi nesse post. Ela é capaz de pensar em trabalho a médio/longo prazo, mas tá pensando no jantar e na reunião da escola dos filhos. E todas as facetas dessa mulher convergem num ser humano fantástico. (Mas por favor, não sirvam suco de soja no café da manhã dela... :o)

A primeira vez que falei diretamente com a Calu foi com um :( Não estava bem. Ela me estendeu a mão, me mostrou que não estava sozinha, apresentou-me ao Mulher e Mãe. Hoje, mais de um ano depois, percebo que ela é uma pessoa mais que especial na minha vida e na vida de muitas outras pessoas! Calu :)))

Como posso falar algo de alguém que nunca senti o toque de um abraço apertado ou ouvi a voz em um conselho bom? mas a Calú é assim oferece apoio e carinho a uma amizade virtual, é com ela que divido segredos e linha de pensamentos, e até discuto sobre determinados assuntos sem medo de um julgamento torto, como se fosse uma irmã, a Calú e sua pele branquinha, seu sorriso moleque do melhor avatar, mas além disso é aquela que compartilha sentimentos, neuras, medos, que dar risadas, quando tudo isso passa, que brinca com nossos filhos virtualmente como tia, porque no fundo é isso, estamos ali todo dia ligadas pela mesma força, o desafio diário de sermos boas como mãe, esposa e principalmente mulheres. Defenderia ela de um leão, porque sei que ela faria o mesmo por mim. "Amigos se reconhece, e reconheci em vc uma grande amiga".

Quando vi a DM da Taty no celular, já era lá pelas 5 da madruga,logo pensei como falar da Calu em 5 linhas, que tenso, mas vamos lá... Mulher incrivel, mãe especial e amiga generosa e atenciosa. Logo assim que comecei a tuitar ela foi uma das primeiras amigas pela Rede Mulher e Mãe, e uma tarde coloquei no Twitter que estava muito triste, sem saber o motivo. Logo recebi resposta dela de apoio e força e qual não foi minha surpresa quando à noite chegou SMS no celular com mais força e carinho e se colocando ao meu lado para o que precisasse. Já este ano após um susto com a glicemia do Daniel, ela mais uma vez se fez presente, mandou apoio pelas redes sociais,procurou estar junto e me ligou... Nooossaaaaa,quanta alegria falar com amiga tão especial e que nunca encontrei... Assim é a Calu, na medida do possível, já que é bastante ocupada e mãe de gêmeos, ela nos acompanha, se mostra presente e nos abraça mesmo de longe... Por isso estou contando os dias para poder lhe dar um abraço. Te adoro,amiga linda do meu coração...

Conheci a Calu no 1º encontro das Twitmães no final de 2010. Calu é uma guerreira, mulher batalhadora, mãe de duas crianças lindas! É uma palhaça (tá vai, você vai me xingar quando ler isso!), ah amiga, mas você é assim, alguém com quem eu posso contar, confiar, rir (rir muito!) - Tá, te chamei de palhaça de novo? Você me perdoa? Bom, só tenho a dizer que você fará muita falta na Rede Mulher e Mãe mas desejo que este novo projeto em sua vida seja repleto de sucesso! Você merece! Amiga, obrigada por sua companhia, por sua amizade, por ser assim tão especial. A internet me proporcionou amizades assim: puras e verdadeiras! Boa sorte lindona!!! Sucesso!

Conheci a Calu por causa do São Paulo Futebol Clube; São Paulinas sempre são lindas, engraçadas e vitoriosas em tudo, e a Calu é exatamente assim! Desde então o carinho e amizade foi só crescendo, os encontros cheios de risadas foram ficando cada vez mais gostosos de estar se ela está presente. Uma amizade que quero levar pra sempre!!

Calu e eu fomos melhores amigas no primário. Nos reencontramos no terceiro colegial e agora aos 30 e poucos anos, e mães. Fiquei muito feliz com este acaso. Graças ao destino que sempre dá um jeito de trazer de volta para as nossas vidas pessoas importantes, em momentos importantes.


Alguém que mesmo sem conhecer pessoalmente, imprime em nós expressões de segurança e leveza na maternidade. Sempre que leio algum post seu ou alguma consideração sua em torno do nosso tema preferido que é a maternidade vejo porque as pessoas logo se indentificam contigo, você é querida e marcante. Curto demais ler tudo que escreve.

Calu, por Giuliana: "Calu é daquelas mulheres que comportam umas outras 500 mulheres dentro dela. É a mulher forte que aguenta qualquer tranco, que a faz ser admiravel. É a mulher inteligente e bem humarada que a faz ser agradavel. É a mulher doce que tem um coracao de manteiga, que a faz ser humana.É a mulher que fala o que pensa, (mesmo que te doa ouvir tanta sinceridade), que a faz verdadeira.

É a amiga generosa, daquelas que atravessa a cidade ou cidades so pra te dar um abraco e dizer q vai ficar tudo bem.É a mãeozona que faz a gente querer seguir o exemplo. Calu é uma mulher iluminada e sou agradecida por te-la como minha amiga."

A Calu sabe o quanto o trabalho dela de reunir mães net afora me trouxe paz num momento de profunda tristeza. Ela sabe quantas amizades se fizeram por causa do trabalho dela. Mas será que ela sabe o tanto de gente que se inspira nela? Que quer ser essa mulher sem papas na língua, toda decidida e cheia de vida? Mais que isso: todas "quer" ser a melhor amiga da Calu! Conheço pouco sua intimidade para dizer que sou sua amiga, mas conheço muito seu jeito de ser que faz de você uma pessoa incrível!

Calu, mulher e mãe. De Sampa mas justamente por conta do que idealizou mantemos contato como se ela morasse ao lado. Quantos corações angustiados de mães de 1ª, 2ª e 3ª viagem ela já acalmou diretamente ou por tabela? Hoje é dia de agradecer a alguém que é um pouquinho nossa mãe também, que nos adotou e se aproximou tanto que é impossível não gostar, bater palmas e agradecer!
Vanessa Ardisson

Um dia eu conheci e a Mulher e Mãe. Ao ler o perfil de quem as escreve, me deparei com uma mãe que diz que se tiver filhos de novo serão gêmeos e se chamarão Murphy e Mr. Bean. Assim é a Calu. Tem o poder de nos divertir e já em seguida nos levar às lagrimas com duas ou três palavras. Uma pessoa linda e iluminada, daquelas que dá vontade da gente ter pra sempre por perto, para compartilhar experiências, risos, lágrimas, enfim, compartilhar a vida. Adoro a força que se mistura à sensibilidade fazendo dela uma pessoa completamente única. Adoro me sentir acolhida por ela, nesse grande universo que é ser Mulher e Mãe. Obrigada por você nos unir e nos dar tanto apoio nos momentos que mais precisamos nesse delíciosa aventura da maternidade. Obrigada por ter entrado na minha vida e ter feito tanta diferença. Só por favor, não saia daqui nunca mais!!!!  

Calu? Não a conheço pessoalmente, não sei o som da sua voz ou o tom da sua risada, mas a amiga virtual está sempre ali, presente, mesmo quando não nos falamos. Gosto da maneira como ela se expressa, pela suavidade e leveza com que fala sobre temas polêmicos, pelo humor que coloca em situações normalmente tensas deixando tudo tão divertido. Teria milhões de coisas pra falar sobre essa menina, mas vou encurtar a história, dizendo que ela é uma dessas amigas que sonho em abraçar um dia.

Calu é uma mulher fenomenal, sempre divertida com muitas coisas legais para contar, sempre me identifico com as coisas que ela escreve. Sempre carinhosa e com otimas dicas. Gosto quando ela pega um tema serio (ou bizarro) e fala de um jeito divertido e critico.

A Calu é um doce de mulher. Mãe exemplar, profissional dedicada. Me encantei com ela desde o nosso primeiro contato, e desde então eu a admiro muito!!!

Conheci a Calu por intermédio do twitter. A exemplo de outras mães, ela já passou por histórias que bem renderiam um livro. Dona de opinião forte, por vezes considerada polêmica, defende a sinceridade na maternidade, mesmo em sua missão que é dobrada. Brilhante iniciativa a dela de agregar mães em torno do principal assunto delas e com isso, proporcionar a criação de várias amizades. Não a conheço profundamente (na amizade gente), mas sou uma das que rendem homenagem a ela por sua coragem.

Calu sua linda, quero te agradecer!! Agradecer por tudo que você é, agradecer a Deus por ter te colocado em minha vida! Você me trouxe companhia quando eu mais precisei, me trouxe auto estima e até força de mudar o que eu não tinha coragem, me trouxe sua amizade, a do André, a dos seus filhos e mais um monte da Rede! Uma pessoa especial, simples, amável e com certeza merece todo sucesso do mundo!! Obrigada Obrigada e Obrigada!
Natália Toledo

Calu é aquela amiga que percebe que você não está bem quando todas as outras não percebem e vem te perguntar se você precisa de alguma coisa.  Conheci virtualmente, mas com aquela sensação de que já conhecia há tempos. E quando nos conhecemos pessoalmente essa sensação se confirmou e eu tenho a certeza de que tenho uma amiga pro que der e vier. Amo muito viu?! Obrigada por ser a amiga que é!

Ela é a moça do sorriso largo e olhos brilhantes. Inteligente, sensata, maravilhosa. Alguém cujas qualidades enumeramos sem nenhum esforço, em quem você confia logo no primeiro encontro. Mãe, mulher, amiga, profissional: tudo da forma intensa e inteira como deve ser. Uma pessoa que eu admiro, respeito, amo e agradeço ter encontrado por esses caminhos incríveis da vida.


Não sei se posso dizer que nos conhecemos pouco, pois estamos conectadas em todas as redes e acompanho seu blog há tempos.... mas posso dizer que te admiro muito! Sua força, seu carisma, suas opiniões (embora não concordo com todas... heheh), seu jeito de levar a vida! Desejo muito sucesso, onde quer que você esteja!!

Calu não é apenas uma colega de trabalho. Desde o primeiro contato, quando ainda não nos conhecíamos pessoalmente, já pude sentir a paixão com que desempenha as coisas na vida. Amizade, afeto, atenção e solidariedade são os predicados que fazem a diferença nela. Obrigada, amiga, por ter me ensinado tanto, em tão pouco tempo.

Como o escotismo influencia a vida das pessoas - depoimento de Claudinei Cunha

Hoje temos mais um convidado especial aqui no blog, mais um que vai falar sobre como o escotismo influenciou a vida dele. O Claudinei é um cara muito bacana, chefe do grupo escoteiro do qual faço parte atualmente, desde que me mudei pra São Paulo. Sempre achei a história dele muito legal, porque toda a família faz parte do Movimento, mesmo sem que ele ou a esposa tenham sido escoteiros durante a infância. Seja bem vindo ao blog, chefe Claudinei!

 "Me chamo Claudinei e sou chefe da Tropa Escoteira Mista Xingu (mista porque hoje temos meninos e meninas também), com jovens de 11 a 15anos.

Eu não  sabia nada sobre escoteiros exceto que usavam uniforme e tinha todos os “achismos”  (é achismo mesmo, você acha que sabe, mas não sabe nada) que ao longo dos anos colocamos na cabeça. Isso ate meus 40 anos. Foi quando, fazendo uma compra de final de semana, vi no estacionamento do Supermercado aquele monte de jovens de uniforme fazendo o que me parecia ser uma exposição com barracas, pioneirias  e etc. Claro que tinha que ir lá e ver do que se tratava! Eram os escoteiros do 11º Grupo de Escoteiros do Mar Carmo. Conversei um pouco e fui convidado a ir em sua sede, que não é longe de minha casa. Como tenho 3 filhos  (14, 13, 10 anos) lá estava eu no próximo sábado com os 3, fiquei para ver do que se tratava:  o que fazem?  Ensinam o que?  Qual a filosofia? Com que tipo de gente meus filhos vão acampar?

Gostei do que vi,  do grupo, das pessoas, da filosofia de Baden Powell , ficamos!!!! Sempre ia levar as crianças nas tardes e como estava por lá, ajudava no que dava e no que sabia fazer. Fiquei sabendo que um cara como eu de 40 anos podia sim ser um escotista (escotista e não escoteiro! Tem diferença). Fui convidado a fazer parte da Chefia da Tropa Escoteira, pelo qual me apaixonei logo. Vieram os cursos Preliminares e Básico de Chefia, para poder entender e se aperfeiçoar dentro do escotismo.


Mas mesmo assim a família não estava completa lá! Faltava minha esposa Nilza, que ficava sozinha em casa nas tardes de sábado e em dias de acampamento. Depois de alguma resistência, ela resolveu dar uma chance e fazer uma visita ao grupo, visitinha simples sem nenhum compromisso claro! E logo estava formada nossa família escoteira, comigo na Tropa Escoteira, minha filha mais velha comigo, meus outros dois na Alcateia (os menores são chamados de Lobinhos) e minha esposa na Chefia da Alcateia. Está sendo um tempo de muito aprendizado, amizade, bons momentos juntos, e muito mais que aqui no computador eu não poderia descrever, só tentar!

É, não tive a oportunidade de ser um Escoteiro como meus filhos tem agora, mas sim, tive a chance de estar com eles agora e aproveitar tudo que o escotismo tem de melhor: a VIDA. Isso mesmo, vida sim, vida ao ar livre, na chuva, no mato, nas trilhas, na praia, rindo com eles, aprendendo, ensinando, tentando mostrar para esses jovens que PRA SER O MAIOR FAZER O MELHOR! E vá! Nem é assim tão difícil, e é bem divertido também.

SEMPRE ALERTA PRA SERVIR!
"

As coisas com as quais não adianta se estressar



Com o tempo eu aprendi que tem coisas com as quais não adianta se estressar. Aos poucos eu descobri que o problema era eu e não a Alice. Era eu que tinha programado fazer o almoço naquela hora, lavar a louça, a roupa ou varrer a casa. A Alice era apenas um pequeno bebê querendo a atenção da mamãe, quem não quer isso também? E como a mamãe não estava prestando atenção nela, ela arrumava mil modos de conseguir o que queria. Começou mexendo no que não podia, milhões de vezes. Como a mamãe a "prendeu" no cercadinho, ela resolveu usar outra tática infalível: chorar na maior altura possível. Como assim a mamãe se atreve a não prestar atenção nela??

Quem tava errada na história? Eu, é claro! Um bebê não tem a menor idéia do que significa horário. Ele não tem a menor idéia de onde vem a comida que ele come e nem pra onde vão aqueles "troços" onde o papá fica na hora de comer, se ficam sujos e precisam ser lavados. Um bebê não tem idéia de que a casa precisa ser varrida, de que tem visita em casa e a mamãe precisa "fazer sala". Bebês apenas têm necessidades e eles acham que precisam ser atendidos imediatamente cada vez que aparece alguma delas. E se a gente não dá bola pro que eles querem, pode contar que eles arrumam um modo de chamar a nossa atenção.

Com o tempo eu aprendi que tem coisas com as quais não adianta se estressar. Aos poucos eu descobri que não faz diferença se você almoça miojo de vez em quando, pra ter mais tempo de ficar coladinha com seu bebê. Descobri que a louça não precisa ser lavada imediatamente, que a roupa na máquina pode esperar um pouquinho pra ser estendida, que ninguém morre se a casa ficar suja um dia. Porque esses momentos que tenho com minha filha agora eu não terei mais no futuro. Eu já vejo isso com o Vítor. O meu vínculo com ele hoje é muito mais de personalidade do que físico, os abraços e beijos não são mais como eram antigamente. E não dá mais pra dormir com ele em cima da minha barriga, por motivos óbvios...rs

Claro que não dá pra fazer isso todos os dias. Então o negócio é ser mãe polvo e ir se virando nos 30. Pra fazer a janta as vezes eu coloquei um tapete no meio da cozinha e dei a ela um monte de panelas. Em outra vez coloquei no cadeirão do meu ladinho e fui dando uns trocinhos pra ela comer. É, eu sei que isso não é o ideal, que diminui o apetite dela, que faz bagunça e bla bla bla. Mas quer saber? Não tô concorrendo ao prêmio de mãe do ano, nem de dona de casa do ano. Minhas amigas que vêm me visitar sabem que tenho dois filhos, que trabalho o dia inteiro e que não tenho empregada. Elas são umas queridas (por isso são minhas amigas...hehehe) e não reparam nas bagunças por aí, mas se reparassem também eu só poderia dizer: sinto muito, é o que tem pra hoje.

Com o tempo eu aprendi que tem coisas com as quais não adianta se estressar. Aos poucos eu descobri que os meus momentos de estresse com o que eu queria fazer e não saia do jeito que eu queria só minava ainda mais os momentos que eu podia curtir com meus filhos. Quanto mais estressada eu ficava, mais eles também ficavam e, no final do dia, estavamos todos esgotados e irritados. Dormir era ainda mais complicado, por causa da agitação e da energia negativa.

Então minhas amigas, se eu posso dizer algo pra vocês, é: quando estiverem muito irritadas com um bebê que não te deixa fazer nada, que apronta todas, que não dá um minuto de sossego, tentem respirar fundo e inverter o ponto de vista. Coloquem-se no lugar dos pequenos e tentem imaginar como eles enxergam as coisas e porque estão agindo do jeito que agem. E permitam-se curtir mais alguns carinhos, mais alguns luxos, permitam-se largar um pouco as coisas. Eu sei muito bem que não é nada fácil. Sei muito bem porque passei e passo por isso todos os dias. Mas também sei muito bem que vale muito a pena parar esses segundos, respirar e tentar. Porque eu também sei que parece um grande clichê dizer que passa rápido, mas é a mais pura verdade! Com crianças nada permanece do jeito que está, tudo sempre está em constante mutação. E daqui a pouco você vai estar fazendo todas as suas tarefas domésticas tranquilamente. Mas não se engane, você vai ter outro desafio pra enfrentar (como banhos intermináveis, roupas que nunca são guardadas na gaveta, etc), é claro!

Como o escotismo influencia a vida das pessoas - depoimento de Marcelo Dipp


Hoje temos um convidado especial aqui no blog, o Marcelo Dipp. Ele é um grande amigo lá do Rio Grande do Sul, de muitos e muitos anos, de quando nenhum de nós dois nem pensava em casar e ter filhos. E nos conhecemos por meio do Movimento Escoteiro! Agora ele está casado com a lindissima Lu e tem uma filhinha ainda mais linda, a Juju. E ele veio falar um pouquinho de como o escotismo influenciou a vida dele, vamos conferir?

"A Thaty não faz idéia de como gostei do convite para escrever no blog.. ainda mais se tratando de um assunto que eu amo mesmo. Afinal, foi através do escotismo que nos conhecemos.

Como o escotismo influenciou a minha vida? Bom para começar, ser escoteiro (no sentido geral da palavra, sem distinguir sessões internas) é muito mais que ir acampar, participar de uma aventura, saber fazer nós... ser escoteiro é saber realmente honrar a palavra, é ter consciência cívica, ser leal ao que acredita, nossa.. se eu for falar tudo que é ser escoteiro só escrevendo um livro.

Entrei no movimento escoteiro com 11 anos, fiz minha promessa com 12, aos 15 recebi a condecoração LIZ DE OURO, ao 18 entrei no Clã Pioneiro, na qual participei de inúmeras atividades de apoio a instituições, soube realmente o que é ajudar ao próximo e aos 21 me tornei chefe, onde eu pude visualizar os jovens aprendendo tudo que eu já havia aprendido.. e qual era a importância daqueles ensinamentos aos olhos de um adulto.

Aprendi, depois de ser chefe escoteiro, que no escotismo, cada faixa de idade tem seus próprios desafios a serem enfrentados, proporcionando com que a criança/jovem, aproveite a sua idade. Fui ouvinte, fui pai (antes mesmo de ser pai), fui irmão, fui conselheiro, fui amigo... Na verdade, para alguns que foram meus escoteiros, eu ainda sou.

O Movimento Escoteiro surgiu da necessidade de treinar jovens para tarefas de staff durante uma batalha militar, mas BP(Baden Powell) viu além, por que não ensinar a estes jovens, sem tirar sua juventude, seus valores? Sei que dei uma volta enorme para falar como fui influenciado, e ainda sou, mas eu precisava colocar esses dados.

Bom, temos na “Lei escoteira” 10 artigos e nem sempre os segui, porém nos dias de hoje eu os sigo com orgulho. O que os nossos chefes/orientadores nos mostram são as leis.. e eles sabem que não vamos seguir elas de uma hora para a outra, mas tem como função sempre nos mostrar o caminho dos acertos.

- Não Mentir: já menti.. já escondi boletim da minha mãe e do meu pai, porém como vamos crescendo, vamos entendendo que a cada mentira sofremos um prejuízo, e eu realmente sempre sofri algum quando mentia.. rsrsrsr...

- Ser Leal: para uma criança o que é lealdade? É simplesmente ser amigo e não abandonar seu amigo, porém o escotismo me mostrou que é muito mais.. ser leal é estar em parceria com o mundo e com seu eu interno, é entender que uma mentira (voltamos a mentira..rsrs) pode quebrar o elo com quem mais acredita em você (você mesmo... te deixando noites em claro).

- Estar Atento:  todos brincam que o escoteiro tem que estar sempre alerta, mas o sempre alerta vai além de perigos reais (que são muito importantes), abrange estar atento ao que nos rodeia, estar atento à possíveis ruas que podem ser utilizadas para assalto e não passar por alí, estar atento no trabalho para que consiga focar em um assunto e ir até o fim do mesmo. O lema SEMPRE ALERTA é sim para TUDO.

- Valores morais: muito se fala em valores morais hoje em dia, mas pouco se faz, cada vez mais vemos jovens se encaminhando para marginalidade, criminalidade, prostituição.

Todas essas coisas aprendi sim em casa e foram reforçadas no escotimo. Vou repetir uma frase que vi esses dias: “a maioria dos grandes nomes da história, passaram pelo movimento escoteiro. E nenhum presidiário passou pelo movimento escoteiro!”. Eu vi essa frase de um chefe brasileiro. Não recordo o nome dele, porém acredito nela e acho que ela diz tudo.

É difícil dizer como um movimento grandioso, sério e dedicado que é o movimento escoteiro me influenciou se ainda hoje me influencia, mesmo estando afastado. Com o escotismo aprendemos a cada dia, a cada encontro. 

Hoje, como pai, espero ver minha filha se tornar uma lobinha, escoteira, guia, pioneira e quem sabe chefe... mas fica uma pergunta: e se ela não gostar ou não quiser seguir os princípios do movimento? Não tem problema, aprendi nos escoteiros que cada um tem seu jeito, se ela tiver um pedacinho da influência que eu tive do Movimento escoteiro, aí sim posso dizer que fiz a minha parte...

Terminarei o meu depoimento com um grito clássico para nós: ´UMA VEZ ESCOTEIRO, SEMPRE ESCOTEIRO – UM POR TODOS, TODOS POR UM – ROMPE-SE À CADEIA? NUNCA, JAMAIS´

Fica o meu SEMPRE ALERTA PARA SERVIR O MELHOR POSSÍVEL.
"

Gentileza gera gentileza - sem demagogia


Hoje acordei meio desanimada com a humanidade. Sei que é só hoje, que amanhã estarei animada com o futuro novamente e coisa e tal, mas hoje acordei assim. Acordei de saco cheio das pessoas que enchem a boca pra falar mal do mundo, pra dizer que o mundo hoje não é mais como era antigamente, pra dizer que o trânsito é cada dia mais caótico e agressivo, pra dizer que as pessoas não são gentis e que o fim do mundo está chegando.

De saco cheio porque a maior parte dessas pessoas reclama, reclama e não faz absolutamente nada pra mudar a situação. E eu fico me perguntando o que elas acham da vida, porque se elas mesmas não são gentis com os outros e somos nós que formamos a população mundial, como é que as coisas podem mudar? Como disse um amigo meu, o ruim desse tipo de gente é que eles acham que já estão fazendo a parte deles ao reclamar. E que essa história de que gentileza gera gentileza é pura demagogia, utopia, papo de quem acha que pode mudar o mundo. Ser gentil não é pra ser na base da troca. Não dá pra ser gentil apenas se as outras pessoas também forem com você. Mas também não é ser boboca e deixar que te façam de gato e sapato.

Eu não sou perfeita, pelo contrário, estou muito longe disso. Lembro de um post que minha querida amiga Rogéria Thompson fez um dia desses, falando que brasileiro não pode reclamar dos políticos que têm, porque faz um monte de coisas erradas, sabendo que são erradas e continuam a fazer assim mesmo, achando que está tudo bem. E eu me encaixava em alguns itens, como comprar dvds piratas e falar ao celular enquanto dirijo. Mas, mesmo assim, eu sei que ter defeitos todo mundo tem e que isso não tem nada a ver com ser omissa e deixar de fazer todas as outras coisas por causa disso. Sei que a velha história de cada um fazer a sua parte é sim muito verdadeira. Porque se eu faço, você faz e ele faz, as coisas já ficam um pouquinho melhor.

Quer um exemplo? As pessoas reclamam que não existe mais gentileza e tal, mas quando tem um carro querendo mudar de faixa, aceleram logo pra não deixar que ele entre. Ou fingem que não estão vendo que a pessoa logo atrás de você na fila do supermercado está apenas com dois itens na mão e não custaria nada deixá-la passar na sua frente. E param na vaga de deficiente/idoso, com a desculpa de que vai ser rapidinho ou que não vai aparecer ninguém precisando dela agora. Acham um saco algumas pessoas terem direito à prioridade nas filas e pra entrar no avião, como se isso fosse um privilégio qualquer e não uma necessidade dessas pessoas. Afinal, essas prioridades são ótimas e lindas, até o momento em que passam a interferir em suas vidas. Como se perder um minuto, cinco ou dez, fosse fazer muita diferença depois. Pra mim, a verdadeira diferença você faz é na vida de outra pessoa quando é gentil, quando "perde" esses míseros minutinhos em prol de outra pessoa, principalmente quando é um estranho.

Outro dia na rodoviária de Santos eu encontrei uma mulher com um bebê da idade da minha Alice (quase dois anos) e uma mala pesada, sem conseguir subir um lance imenso de escadas. Eu estava correndo pra comprar minha passagem, mas parei tudo para ajudá-la. Isso não me tomou mais do que 2 minutos e fez uma pessoa feliz naquele momento. Ontem a noite, no aeroporto de Congonhas, eu estava com a Alice agarrada em mim que nem um carrapicho e pegando sozinha minhas malas na esteira. Ninguém se ofereceu pra me ajudar, ninguém. Não quer dizer que eu não consiga fazer sozinha. Eu consigo e fiz. Mas se alguém se oferecesse pra me ajudar eu aceitaria de bom grado, pois me facilitaria as coisas. Aliás, acabo de me lembrar de um fato que deixaria aquele famoso político homofóbico de cabelos em pé: numa outra viagem que fiz com a Alice, tinha um travesti ao meu lado que foi extremamente gentil ao se oferecer pra me ajudar com minha bagagem. Aquela dezena de "machos alfa" que estavam no aeroporto ontem não tiveram um centésimo dessa mesma gentileza e cavalheirismo.

Então, enquanto dura essa minha onda de indignação, quero propor a vocês um desafio: pensem no que eu disse, avaliem suas vidas. Pensem que nossos filhos aprendem com o exemplo, que eles irão repetir os atos que nós fazemos, as vezes automaticamente. Avaliem no impacto positivo que vocês causam no mundo quando cedem dois minutos da sua vida pra ajudar alguém, por mais ínfimo que esse ato possa parecer. Que não é preciso de grandes atos, não é preciso largar todos os seus bens e se mudar para a África para combater a fome. Você pode ajudar muito fazendo um pequeno ato a cada dia. E, se ainda assim, vocês continuarem achando que sua atitude não vai mudar em nada o mundo, lembrem-se de que hoje é só a sua atitude, mas amanhã será a sua e a dos seus filhos, que irão repetir as boas ações, pois viram os pais fazerem assim. E depois de amanhã, a sua, dos seus filhos e a dos seus netos. Isso será multiplicado, podem ter certeza disso. Vamos tentar?

Uns dias de descanso

Estamos em Brasília, visitando a família e os amigos e descansando um pouquinho. Preciso dizer que estamos muito felizes? Então dê uma olhada nisso (e pensem que ainda temos 2 dias pela frente):

Eu e Paula Dini afastando o calor.
Meus amores aprontando na casa da vovó


Vovó e Harry Potter, ops, Vítor

Dindinha toda feliz com o sobrinho e afilhado

Primeira velejada da Alice
Tô alugando esse colo pra quem quiser fazer bebê dormir.

Vítor aprendendo a timonear. De verdade. Olha a concentração!

Nós duas morrendo de rir das palhaçadas dela.

Vítor com a camiseta e o lenço do GE Benjamin Sodré - 23o DF

Um produto revolucionário - Book

Neste sábado participei de um Mini Congresso de Atualização do Programa Escoteiro. O evento foi muito legal como um todo, mas algumas coisas foram bem especiais e eu vou compartilhar com vocês aqui, aos poucos.

A primeira que quero compartilhar é esse vídeo, que fala de um produto "revolucionário". Ele faz parte de uma campanha chamada "Leer esta na moda" e vale muito a pena ser visto.


Gostaria de agradecer à colega Neide, do GE Falcão Peregrino por me apresentar a este e muitos outros maravilhosos e instrutivos vídeos e por, tão gentilmente, compartilhar conosco todo o rico material que ela possui. Este é o verdadeiro espírito escoteiro. A ela, o meu bravo, bravo, bravissimo!
Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires