As coisas com as quais não adianta se estressar



Com o tempo eu aprendi que tem coisas com as quais não adianta se estressar. Aos poucos eu descobri que o problema era eu e não a Alice. Era eu que tinha programado fazer o almoço naquela hora, lavar a louça, a roupa ou varrer a casa. A Alice era apenas um pequeno bebê querendo a atenção da mamãe, quem não quer isso também? E como a mamãe não estava prestando atenção nela, ela arrumava mil modos de conseguir o que queria. Começou mexendo no que não podia, milhões de vezes. Como a mamãe a "prendeu" no cercadinho, ela resolveu usar outra tática infalível: chorar na maior altura possível. Como assim a mamãe se atreve a não prestar atenção nela??

Quem tava errada na história? Eu, é claro! Um bebê não tem a menor idéia do que significa horário. Ele não tem a menor idéia de onde vem a comida que ele come e nem pra onde vão aqueles "troços" onde o papá fica na hora de comer, se ficam sujos e precisam ser lavados. Um bebê não tem idéia de que a casa precisa ser varrida, de que tem visita em casa e a mamãe precisa "fazer sala". Bebês apenas têm necessidades e eles acham que precisam ser atendidos imediatamente cada vez que aparece alguma delas. E se a gente não dá bola pro que eles querem, pode contar que eles arrumam um modo de chamar a nossa atenção.

Com o tempo eu aprendi que tem coisas com as quais não adianta se estressar. Aos poucos eu descobri que não faz diferença se você almoça miojo de vez em quando, pra ter mais tempo de ficar coladinha com seu bebê. Descobri que a louça não precisa ser lavada imediatamente, que a roupa na máquina pode esperar um pouquinho pra ser estendida, que ninguém morre se a casa ficar suja um dia. Porque esses momentos que tenho com minha filha agora eu não terei mais no futuro. Eu já vejo isso com o Vítor. O meu vínculo com ele hoje é muito mais de personalidade do que físico, os abraços e beijos não são mais como eram antigamente. E não dá mais pra dormir com ele em cima da minha barriga, por motivos óbvios...rs

Claro que não dá pra fazer isso todos os dias. Então o negócio é ser mãe polvo e ir se virando nos 30. Pra fazer a janta as vezes eu coloquei um tapete no meio da cozinha e dei a ela um monte de panelas. Em outra vez coloquei no cadeirão do meu ladinho e fui dando uns trocinhos pra ela comer. É, eu sei que isso não é o ideal, que diminui o apetite dela, que faz bagunça e bla bla bla. Mas quer saber? Não tô concorrendo ao prêmio de mãe do ano, nem de dona de casa do ano. Minhas amigas que vêm me visitar sabem que tenho dois filhos, que trabalho o dia inteiro e que não tenho empregada. Elas são umas queridas (por isso são minhas amigas...hehehe) e não reparam nas bagunças por aí, mas se reparassem também eu só poderia dizer: sinto muito, é o que tem pra hoje.

Com o tempo eu aprendi que tem coisas com as quais não adianta se estressar. Aos poucos eu descobri que os meus momentos de estresse com o que eu queria fazer e não saia do jeito que eu queria só minava ainda mais os momentos que eu podia curtir com meus filhos. Quanto mais estressada eu ficava, mais eles também ficavam e, no final do dia, estavamos todos esgotados e irritados. Dormir era ainda mais complicado, por causa da agitação e da energia negativa.

Então minhas amigas, se eu posso dizer algo pra vocês, é: quando estiverem muito irritadas com um bebê que não te deixa fazer nada, que apronta todas, que não dá um minuto de sossego, tentem respirar fundo e inverter o ponto de vista. Coloquem-se no lugar dos pequenos e tentem imaginar como eles enxergam as coisas e porque estão agindo do jeito que agem. E permitam-se curtir mais alguns carinhos, mais alguns luxos, permitam-se largar um pouco as coisas. Eu sei muito bem que não é nada fácil. Sei muito bem porque passei e passo por isso todos os dias. Mas também sei muito bem que vale muito a pena parar esses segundos, respirar e tentar. Porque eu também sei que parece um grande clichê dizer que passa rápido, mas é a mais pura verdade! Com crianças nada permanece do jeito que está, tudo sempre está em constante mutação. E daqui a pouco você vai estar fazendo todas as suas tarefas domésticas tranquilamente. Mas não se engane, você vai ter outro desafio pra enfrentar (como banhos intermináveis, roupas que nunca são guardadas na gaveta, etc), é claro!

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires