Como o escotismo influencia a vida das pessoas - depoimento de Marcelo Dipp


Hoje temos um convidado especial aqui no blog, o Marcelo Dipp. Ele é um grande amigo lá do Rio Grande do Sul, de muitos e muitos anos, de quando nenhum de nós dois nem pensava em casar e ter filhos. E nos conhecemos por meio do Movimento Escoteiro! Agora ele está casado com a lindissima Lu e tem uma filhinha ainda mais linda, a Juju. E ele veio falar um pouquinho de como o escotismo influenciou a vida dele, vamos conferir?

"A Thaty não faz idéia de como gostei do convite para escrever no blog.. ainda mais se tratando de um assunto que eu amo mesmo. Afinal, foi através do escotismo que nos conhecemos.

Como o escotismo influenciou a minha vida? Bom para começar, ser escoteiro (no sentido geral da palavra, sem distinguir sessões internas) é muito mais que ir acampar, participar de uma aventura, saber fazer nós... ser escoteiro é saber realmente honrar a palavra, é ter consciência cívica, ser leal ao que acredita, nossa.. se eu for falar tudo que é ser escoteiro só escrevendo um livro.

Entrei no movimento escoteiro com 11 anos, fiz minha promessa com 12, aos 15 recebi a condecoração LIZ DE OURO, ao 18 entrei no Clã Pioneiro, na qual participei de inúmeras atividades de apoio a instituições, soube realmente o que é ajudar ao próximo e aos 21 me tornei chefe, onde eu pude visualizar os jovens aprendendo tudo que eu já havia aprendido.. e qual era a importância daqueles ensinamentos aos olhos de um adulto.

Aprendi, depois de ser chefe escoteiro, que no escotismo, cada faixa de idade tem seus próprios desafios a serem enfrentados, proporcionando com que a criança/jovem, aproveite a sua idade. Fui ouvinte, fui pai (antes mesmo de ser pai), fui irmão, fui conselheiro, fui amigo... Na verdade, para alguns que foram meus escoteiros, eu ainda sou.

O Movimento Escoteiro surgiu da necessidade de treinar jovens para tarefas de staff durante uma batalha militar, mas BP(Baden Powell) viu além, por que não ensinar a estes jovens, sem tirar sua juventude, seus valores? Sei que dei uma volta enorme para falar como fui influenciado, e ainda sou, mas eu precisava colocar esses dados.

Bom, temos na “Lei escoteira” 10 artigos e nem sempre os segui, porém nos dias de hoje eu os sigo com orgulho. O que os nossos chefes/orientadores nos mostram são as leis.. e eles sabem que não vamos seguir elas de uma hora para a outra, mas tem como função sempre nos mostrar o caminho dos acertos.

- Não Mentir: já menti.. já escondi boletim da minha mãe e do meu pai, porém como vamos crescendo, vamos entendendo que a cada mentira sofremos um prejuízo, e eu realmente sempre sofri algum quando mentia.. rsrsrsr...

- Ser Leal: para uma criança o que é lealdade? É simplesmente ser amigo e não abandonar seu amigo, porém o escotismo me mostrou que é muito mais.. ser leal é estar em parceria com o mundo e com seu eu interno, é entender que uma mentira (voltamos a mentira..rsrs) pode quebrar o elo com quem mais acredita em você (você mesmo... te deixando noites em claro).

- Estar Atento:  todos brincam que o escoteiro tem que estar sempre alerta, mas o sempre alerta vai além de perigos reais (que são muito importantes), abrange estar atento ao que nos rodeia, estar atento à possíveis ruas que podem ser utilizadas para assalto e não passar por alí, estar atento no trabalho para que consiga focar em um assunto e ir até o fim do mesmo. O lema SEMPRE ALERTA é sim para TUDO.

- Valores morais: muito se fala em valores morais hoje em dia, mas pouco se faz, cada vez mais vemos jovens se encaminhando para marginalidade, criminalidade, prostituição.

Todas essas coisas aprendi sim em casa e foram reforçadas no escotimo. Vou repetir uma frase que vi esses dias: “a maioria dos grandes nomes da história, passaram pelo movimento escoteiro. E nenhum presidiário passou pelo movimento escoteiro!”. Eu vi essa frase de um chefe brasileiro. Não recordo o nome dele, porém acredito nela e acho que ela diz tudo.

É difícil dizer como um movimento grandioso, sério e dedicado que é o movimento escoteiro me influenciou se ainda hoje me influencia, mesmo estando afastado. Com o escotismo aprendemos a cada dia, a cada encontro. 

Hoje, como pai, espero ver minha filha se tornar uma lobinha, escoteira, guia, pioneira e quem sabe chefe... mas fica uma pergunta: e se ela não gostar ou não quiser seguir os princípios do movimento? Não tem problema, aprendi nos escoteiros que cada um tem seu jeito, se ela tiver um pedacinho da influência que eu tive do Movimento escoteiro, aí sim posso dizer que fiz a minha parte...

Terminarei o meu depoimento com um grito clássico para nós: ´UMA VEZ ESCOTEIRO, SEMPRE ESCOTEIRO – UM POR TODOS, TODOS POR UM – ROMPE-SE À CADEIA? NUNCA, JAMAIS´

Fica o meu SEMPRE ALERTA PARA SERVIR O MELHOR POSSÍVEL.
"

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires