Dia do Livro. E a nossa paixão hereditária por esse mundo fantástico

A foto é antiga, mas nossa paixão por livros também é :)

Hoje é o Dia Nacional do Livro. Com um blog com esse nome e sendo eu tão loucamente apaixonada por livros, não poderia deixar essa data passar em branco, concordam? Então resolvi contar que estou fazendo escola e que estou muito, muito orgulhosa por isso!!

No domingo eu comprei o segundo livro do Harry Potter para o Vítor. E até agora ele já leu quase 50 páginas!! Se a gente considerar que ele tem 8 anos, que o livro praticamente não tem figuras, e que ele tem pouquissimo tempo em casa para ler, acho que é uma coisa que merece muita comemoração, não é mesmo? Afinal conheço muito adulto que não faz isso...rsrs

Mas ele não chegou nesse ponto do nada (posso falar apenas do gosto pela leitura, não posso falar da velocidade), lá em casa sempre houve (e há) muito incentivo pela leitura. Desde pequenos os dois ganham livrinhos, eu sempre leio para eles, passeamos por livrarias... E o que eu acredito ser mais importante: eles vêem a mãe ler. Porque acredito que não vale a pena incentivar e não dar o exemplo.

O Vítor aprendeu a ler com 5 anos. A partir daí os livrinhos tradicionais, de uma ou duas frases por página ficaram para trás. Claro que não saiu lendo a Bíblia de cara, mas a cada etapa que ele passava era uma comemoração. Ele mesmo sentia que queria mais. Um pouco antes dele começar a ler eu li a primeira Crônica de Nárnia para ele. E logo depois li a segunda, que é a mais famosa: O Leão, a Feiticeira e o Guarda Roupa. A essa altura ele já sabia ler, mas não dava conta desse tipo de livro, apesar de gostar muito. Então eu lia um capítulo ou mais por dia, todas as noites antes dele ir dormir.

Até que comecei o primeiro Harry Potter. Quando fomos chegando no final  eu parava na parte mais empolgante e dizia que continuaria no dia seguinte. Até que um dia ele me perguntou, antes da hora que eu começaria a ler, se ele não podia ler sozinho e eu só continuaria. Adorei! Desta forma ele foi aprendendo a ler sozinho.

Uma mais recente, na rodovíaria de Sampa, lendo o livro que a tia Márcia deu
De um tempo para cá ele nunca mais tinha lido livros assim, sem figuras e onde o texto predomina. Tem devorado revistinhas em quadrinhos, assim como a mãe fazia na idade dele. Uma revistinha com ele só dura meia hora porque ele faz a parte dos passatempos. Me lembro que meus pais compravam revistinhas para me entreter na longa viagem de ônibus entre Brasília e Rio de Janeiro, mas quando o ônibus saia da plataforma (veja bem, eu não disse da rodoviária) eu já tinha terminado de ler. E outro dia me lembrei que nas compras do mês eu ficava na sessão de livros do supermercado, as vezes lia um livro inteiro nesse tempo. Bem, pelo menos com isso eu compensava o gasto com as revistinhas das viagens...rs

Nos últimos dias ele tem me feito milhões de perguntas sobre o Harry Potter, que não têm nos filmes, mas têm nos livros. E eu perguntei: porque você não lê o segundo livro e descobre tudo isso? E ele, na lata: porque você ainda não me comprou. Toma mãe, é verdade, eu tinha dito que ia comprar. Resolvemos o problema no mesmo dia e lá está ele, todo encantado com as milhões de descobertas que só o mundo dos livros pode nos proporcionar...:)

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires