Vamos fazer uma festa de Halloween?

Amanhã, 31 de outubro, é comemorado o Dia das Bruxas, o tal famoso Halloween. Tá certo que é uma festa mais comemorada lá fora, principalmente nos EUA. Mas por aqui também tem algumas festinhas e acho bem legal participar, sem entrar na onda do debate de "amerizanização", "capitalismo" e bla bla bla. Para mim essa é apenas mais uma forma legal de se divertir e usar fantasias bem legais.

Por isso vou disponibilizar alguns arquivos aqui que irão facilitar muito a sua festa. Basta imprimir, recortar e voilá! Você terá um lanchinho de Halloween!

Forminhas para doces e salgados

Saias para cupcakes

Toppers para docinhos ou cupcakes
Divirtam-se!!

Devemos deixar as crianças aprenderem com seus erros?


Eu acredito que as pessoas aprendem com seus próprios erros. As crianças inclusive. Se a gente insiste em fazer tudo por elas estamos privando-as desse aprendizado tão importante. Claro que há limites. Mas deixar que eles cometam pequenos erros não vai prejudicá-los, pelo contrário!

Algumas pessoas ainda ficam horrorizadas quando eu digo que deixei o Vítor fazer sozinho a mochila para a Noite do Pijama, feita pelo grupo escoteiro que a gente ia na época. A verdade e que eu não deixei fazer sozinho assim, do nada. Eu pedi que ele fizesse uma lista de tudo que achava necessário levar, depois dei uma lista minha para que ele comparar e acrescentar o que estivesse faltando. E só aí ele faria a mochila.

Claro que ele tem 8 anos e, como todo bom menino de 8 anos, tem o foco extremamente reduzido. Mesmo com as duas listas ele esqueceu sabe o que? O pijama! Como eu não conferi a mochila (claro que não, senão o aprendizado ia por água abaixo), só descobrimos isso DURANTE a Festa do Pijama. Ele não deixou de participar das brincadeiras e nem de se divertir. Mas não estava de pijama como os demais colegas.

Ele não passou dias se remoendo por causa disso. Na verdade, mal ficou triste no dia (a gente minimizou e o incentivou a participar. Aliás, um agradecimento especial à Fernanda, Akelá dele na época, pelo incentivo extra). 

Quer saber se ele aprendeu a lição? No último fim de semana ele foi acantonar com sua nova Alcatéia e, na lista que a Akelá enviou não tinha pijama (não precisava). A primeira coisa que ele fez foi vir correndo pra mim e dizer: tá faltando o pijama!!!

Isso me lembra uma história contada por um amigo meu, escotista há vários e vários anos, Nilton Brandão. Ele contou ao Vítor que uma vez foi acampar e esqueceu de levar toalha. Teve que fazer mil malabarismos para se secar depois do banho e nunca mais esqueceu uma toalha na vida. Era sempre o primeiro item a entrar na mochila. De tanto contar essa história ao filho Victor ele também sempre pensou em toalhas ao fazer suas mochilas...rs

Claro que o aprendizado ainda não terminou. Agora ele está aprendendo que precisa ter foco na hora de fazer a mochila, que se ficar zanzando por toda a casa enquanto trabalha vai esquecer alguma coisa. Mas pra quem o aprendizado terminou, não é verdade?

Reciclagem com crianças - embalagem de amaciante

Praticamente todo mundo usa amaciante em casa. E, se você é como eu, também fica com a maior dó na hora de jogar fora. Então que tal fazer com as crianças algumas coisas úteis? Veja algumas dicas:

Jardim suspenso. Imagem: Jardinaria

Para fazer esse é só cortar a parte de cima. Imagem: Jardinaria

Organizador de lápis de cor. Dá para colocar pendurado na parede também. Imagem: Jardinaria

Pá de lixo. Imagem:Ciclo Vivo
Peso de porta com cara de gatinho. Imagem: ...silvio!
Carrinho com embalagem de amaciante e rodas de garrafa PET. Imagem: Portal de Artesanato
Um ótimo regador para molhar suas plantinhas. Imagem: Idéias Green

3 anos da Alice - Aniversário dos Smurfs



A minha princesinha completou 3 anos no dia 16 de outubro. Fizemos uma festa na casa da avó dela no interior de SP, da Barbie Vida de Sereia, com tudo o que ela tinha direito. Mas fizemos um bolinho no escoteiro também, lá em Santos, meio que uma despedida, já que estamos mudando para um grupo aqui de Sampa mesmo. 



O bolinho lá foi com o tema dos Smurfs, que ela adora! Tirei poucas fotos, com o celular mesmo. Foi uma correria danada, mas as crianças se divertiram bastante! Da próxima vez vou deixar alguém a postos só para tirar fotos...rsrs



Como personalizei tudo, aproveitei para disponibilizar aqui no blog os arquivos que eu fiz, mas sem o nome e idade. Assim, quem quiser fazer um bolinho rápido e personalizado pode baixar as imagens aqui e fazer, bem rapidinho. Aproveitem!

Rótulos para bisnagas de brigadeiro

Rótulos para bolhinha de sabão

Topper (docinhos, cupcakes, etc)

Rótulos para tubos de ensaio

Blogagem coletiva "É da nossa conta - Trabalho infantil e adolescente"


Quando a Samantha me chamou para participar do projeto "É da nossa conta - Trabalho infantil e adolescente", eu fiquei super empolgada e topei na hora. Quando fui conhecendo mais sobre o assunto, começaram a surgir as dúvidas e questionamentos. Afinal, eu realmente acredito que é da nossa conta. Mas a pergunta que não quer calar é: o que eu posso fazer? E acho que um monte de gente tem as mesmas dúvidas.

Então hoje, que é o dia da blogagem coletiva sobre o assunto, eu resolvi escrever exatamente sobre isso. O que eu, você, ele, ela e todo mundo pode fazer, para que todo mundo entenda porque é da nossa conta. Mas antes de explicar o motivo, vamos começar pelo começo: o que é?

"Trabalho infantil é quando a criança ou adolescente é submetido a uma atividade regular (por exemplo, todas as tardes), com ou sem remuneração, na qual ela tem compromisso (se ela não fizer outra pessoa não vai assumir) e que limita seu tempo para brincar, estudar e descansar, afetando seu desenvolvimento físico, psicológico e emocional."

Agora que você já sabe o que é, vamos a outro fator importante: a legislação.

"No Brasil, é qualquer trabalho exercido por criança e adolescente com menos de 16 anos, exceto na condição de aprendiz, e é proibido por lei. Os programas de aprendizagem, cujo objetivo é facilitar a formação técnico-profissional de adolescentes a partir dos 14 anos, devem atender a uma série de condições específicas, de modo a garantir que esse trabalho não prejudique o cotidiano e a vida escolar do jovem, entre outros"

Mas o que nós temos a ver com isso?

Um dos redatores do Estatuto da Criança e do Adolescente, o pedagogo Antonio Carlos Gomes da Costa, diz: "A exploração da mão-de-obra infantil rouba ao menino ou menina o direito de ser criança". Dá pra imaginar uma criança que cresceu e virou adulto sem nunca ter a chance de realmente ser criança? De curtir a infância, de aproveitar tudo de bom que essa fase proporciona? O que você pensaria se isso tivesse acontecido com você? E se você soubesse que outras pessoas tinham o poder de te ajudar e não fizeram nada simplesmente porque acharam que não era da conta delas?

E o que podemos fazer, afinal?

O primeiro e mais importante passo é: saiba mais sobre o assunto. Quanto mais você souber, mais vai conseguir reconhecer e passar este conhecimento para outras pessoas. A campanha tem um site bem legal, da Fundação Pró-Menino, com várias informações interessantes (clique aqui

Para saber mais também tem vários vídeos interessantes. Vou colocar só um, mas recomendo muito que vocês assistam todos, vale muito a pena!


Depois de aprender mais sobre o assunto, compartilhe essa informação  com as pessoas ao seu redor. Assim como é da nossa conta, também é da conta delas. Quanto mais gente for esclarecida, mais gente vai poder combater.

E, por fim, entre em ação. Não compre nada de crianças nas ruas, bares ou restaurantes. Não dê dinheiro a crianças em semáforos. Seja um eleitor consciente, procure saber se o seu candidato tem propostas sobre este assunto. Não compre no mercadinho da esquina que tem crianças fazendo entregas. E denuncie o qeu vê por aí. Não tenha dó, eles não serão castigados, serão encaminhados para um futuro melhor! Para denunciar você pode usar o Disque 100 - Disque Denúncia Nacional ou o site www.disque100.gov.br

Participe também do papo que fazemos todas as terças e quintas, das 15h às 16h, na fanpage do projeto Promenino da Fundação Telefônica ou no Twitter usando a hashtag #semtrabalhoinfantil.

DIY - Dia do professor

Todo ano eu sofro para encontrar um presente criativo e em conta para dar aos professores das crianças no dia 15 de outubro. E todo ano eu faço em cima da hora e acabo comprando algo até interessante, mas que não é exatamente o que eu gostaria de dar. Esse ano eu vou fazer diferente, graças a algumas sugestões bem legais que vi ainda em agosto.

Já que eu sei que a maior parte de vocês tem o mesmo problema, vou compartilhar aqui algumas dessas sugestões!

Biscoito com rótulo personalizado

Imagem daqui
Se você é prendada, faça o biscoito. Se não, compra em casa de biscoitos caseiros, não tem problema. O importante é a intenção e o carinho. E se você também não é boa em fazer artes no computador, pode deixar a criança fazer a personalização.

Esmalte personalizado

Imagem daqui
Dá pra fazer o rótulo no computador ou pedir pra criança fazer o desenho em uma etiqueta, recortar e colar.

Copo/caneca personalizados


Deixe as crianças fazerem o desenho ou mensagem. Os detalhes de como fazer estão neste post aqui.

Caixa SPA

Arrume uma caixa bonita (dá pra fazer uma com caixa de sapato e papel contact, como fiz neste post aqui) e coloque algumas coisas que sirvam para ela relaxar depois de um dia de trabalho, tipo: creme de massagem para os pés, sais de banho, óleo perfumado, velas aromatizantes, etc.

E você, qual dica tem? O nosso presente vai ser surpresa, depois conto aqui! :)

Eu A-D-O-R-O animais. E você?

Como hoje é dia mundial dos animais, resolvi fazer uma homentagem aos meus "filhos de rabo", como diz minha tia Tereza. Eu não sei se vocês sabem, mas aqui em casa temos dois gatos e dois cachorros, todos vira latas e adotados. Todos lindos e encantadores!

(Antes de começar, um comentário extra: hoje também é dia do lobinho e o Vítor fez um post sobre isso lá no blog dele. Não deixe de conferir também!)

Os gatos foram os primeiros a chegar, a gente nem tinha a Alice ainda. São o Tico e o Teco (embora o Tico tenha sido Cristal por algum tempo, longa história...rs), sempre juntos e deitando nos locais mais improváveis!

Bacia é pra lavar roupa? Não, é pra dormir...rs

Vida boa!

No chão é mais fresquinho
Depois, aqui em São Paulo já, a gente adotou um lindo labralata, o Sirius Black. Ele é um amor, as vezes um pouco bruto demais e destrói TUDO, mas é um dengo. Toda vez que toca algum sinal na Academia militar que tem aqui perto, ele uiva junto, é muito engraçado. Olha só que lindão:

No dia em que nos conhecemos, ele tinha 4 meses.

Depois de um banhozinho (claro que ele destruiu a gravata logo depois) :)
O último a chegar foi o Thor. Ele veio com a mãe e um irmão, fomos lar provisório para eles. O Thor era o mais fraquinho da ninhada, muita gente achava que ele não ia vingar. Mas nos dias em que ele ficou aqui em casa foi ficando mais forte e mais esperto, principalmente depois que resolvemos ficar com ele e a mamãe e o irmãozinho foram embora. Agora ele tem em torno de 3 meses e é uma fofura, o bebezão da casa.

Aqui ele tinha uns 2 meses. Agora ele tá muito maior!
Lindos!
Agora, só para finalizar, claro que eu não podia esquecer das minhas "sobrinhas de rabo", as duas lindas cachorrinhas da minha irmã, lá em Brasília: Melanie e Ninna.

A Melzinha pegando um sol (sim, ela enxerga..rs)

Ninna toda linda e sapeca

Dá pra unir tradição com tecnologia e ainda causar uma mudança social?


Outro dia eu recebi um convite da Samantha Shiraishi: escrever sobre casos em que a tecnologia ajudou a mudar uma realidade social. Eu pensei durante um tempo e me lembrei de um caso, um que eu gosto bastante de citar. A princípio pode até não parecer que essa iniciativa cause uma mudança social, mas eu vou explicar e vocês vão concordar comigo, certeza.

Eu já escrevi aqui sobre as especialidades escoteiras (se você não leu, clique aqui). Mas, para resumir, a especialidade é uma conquista pessoal que indica o conhecimento de determinado tema por certo escoteiro. Para obter uma especialidade no nível 1, é preciso cumprir 1/3 dos requisitos. Ou seja, se houverem 9 requisitos, basta cumprir 3. Se houverem 12, é preciso cumprir 4, e assim em diante. Para obter o nível 2, são necessários 2/3 dos requisitos, e para o nível 3, todos os requisitos. Existem cinco ramos de conhecimento para as especialidades e as mesmas são necessárias para diversas conquistas escoteiras.

Esses ramos de conhecimento precisam refletir a realidade que os nossos jovens vivem. E não dá para negar que, atualmente, eles respiram tecnologia. Mas como unir tecnologia ao escotismo? E é assim que a gente entra na iniciativa que eu falei ali em cima: foi criada uma especialidade de video game. Mas não é simplesmente uma especialidade em que o jovem tem que "zerar" um jogo ou vários. É muito mais do que simplesmente isso. Dá uma olhadinha nos itens necessários para conquistar esta especialidade:

1 - Compreender o roteiro do jogo escolhido, terminando o jogo e fazendo um relatório.

2 - Relatar sobre procedimentos de segurança ao ligar aparelhos na rede elétrica.

3 - Explicar a um colega de Patrulha ou da Alcatéia como surgiram os vídeo-games.

4 - Explicar a importância da restrição de faixa etária em determinados jogos.

5 - Montar com seu responsável ou pais, uma lista de tarefas incluindo um horário para jogar videogame e realizar isso durante um mês.

6 - Escolher um jogo de videogame que gostaria de comprar, efetuar uma pesquisa de preço com três estabelecimentos, juntar e adquirir com suas economias, de preferência de pequenos trabalhos.

7 - Promover um debate ou estudo de caso com a sua Seção sobre o tema da pirataria, juntamente com convidados.

8 - Jogar no mínimo duas horas de videogame com uma pessoa com mais de 65 anos, ao fim, aprender com essa pessoa, no mínimo dois jogos da infância dela e aplicar aos jovens de sua patrulha ou alcatéia.

9 - Organizar, coordenar e executar um torneio de videogame na sua tropa ou alcatéia, convidando outros escoteiros e jovens da mesma faixa etária.

Confesso que um dos itens que eu mais gosto é o número 8, porque promove uma interação muito gostosa entre os jovens e os mais velhos, que não tem tanta familiaridade assim com a tecnologia atual. E eu acredito muito que é assim, de grão em grão, que uma grande mudança pode ser feita. Ao decidir tirar essa especialidade o jovem começa pensando de uma forma e termina com outra visão das coisas. Não é uma mudança social muito legal? Eu pelo menos adoro!!
Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires