Cinema para o feriadão: Croods

Programa bom de feriado!
 Nesse feriadão de Páscoa não viajamos, então aproveitamos para levar as crianças ao cinema. O filme escolhido desta vez foi Os Croods, que estreiou nos cinemas em 22 de março.

O desenho conta a história de uma família pré-histórica que sobrevive por mais tempo do que as demais porque passa a maior parte do tempo escondida dentro de uma caverna e nunca se aventura por locais estranhos ou diferentes. Mas o planeta começa a passar por transformações e eles são obrigados a mudar seus hábitos e explorar o mundo.

Imagem: fan page oficial do filme no FB
Fomos assistir com Vítor e Alice, mesmo correndo o risco dela não entender ou não gostar. Mas ela assistiu direitinho, entendeu muitas coisas e gostou (mesmo tendo tirado um cochilo no meio do filme, estava muito cansada...rs). Vítor adorou, ficou empolgado e deu boas gargalhadas.

Pausa para um cochilo, de óculos e tudo...rs
Este filme me lembrou um pouco o primeiro Era do Gelo, mesmo tendo enredos diferentes. Acho que é um filme que tem tudo para ganhar continuações e conquistar as crianças (e os pais).

Vi algumas reclamações pela falta de cópias legendadas (já que a voz de um dos personagens, no áudio original, é do Nicolas Cage), mas apesar de não ter reconhecido nenhum dos dubladores brasileiros, não achei a cópia dublada ruim não. Ah, esse filme não faz tanta diferença assistir em 3D, os efeitos não são tããão impressionantes assim.

Dica de livro infanto juvenil: As Crônicas dos Kane

Não é segredo para ninguém que aqui em casa adoramos livros. O próprio nome do blog já dá a deixa, não é verdade? Então por que não aproveitar e compartilhar as boas experiências que tivemos aqui em casa? Afinal, se a gente pode comprar um livro já tendo alguma recomendação as coisas ficam muito mais fáceis. Não garante 100% que a pessoa vai gostar, mas já é meio caminho andado. Por isso, a partir desta semana, publicarei aqui algumas dicas de livros que foram aprovados por aqui, tanto para as crianças quanto para as mamães.
Vou começar com uma dica para os maiorzinhos, mais ou menos da idade do Vítor (9 anos): As Crônicas dos Kane. Vou confessar que eu li primeiro e me apaixonei, depois é que o Vítor foi ler e gostar. Mas eu sou assim mesmo, minha mãe dizia que não podia passar uma letra na minha frente sem que eu soubesse o que era...rsrs Enfim, eu testei o primeiro, gostei e comprei os outros. Vítor só leu o primeiro, mas os demais já estão na fila de leitura. Este foi um dos (muitos) livros que comprei na Bienal do Livro de São Paulo, que aconteceu no ano passado.
Fonte da imagem: Ed. Intrinseca
  O autor é o mesmo da saga Percy Jackson, o Ladrão de Raios: Rick Riordan. Mas, ao contrário desta primeira, que fala da mitologia grega (e depois da romana), a história dos Kane é ambientada na mitologia egípsia. Confira a sinopse:
"Desde a morte da mãe, seis anos atrás, Carter Kane viaja o mundo com o pai, o egiptólogo Dr. Julius Kane. Ele não frequenta a escola e seus pertences cabem em uma única mala. Enquanto isso, Sadie, sua irmã mais nova, é criada pelos avós em Londres. Ela tem tudo o que Carter queria: casa, amigos e uma vida “normal”. E ele, o que ela mais deseja: conviver com o pai. Depois de tanto tempo separados, os irmãos não tinham praticamente mais nada em comum.

Até que na noite de Natal, em uma visita ao British Museum, o pai faz uma estranha promessa: tudo voltará a ser como antes. Mas seu plano dá errado, e os irmãos acabam assistindo ao momento em que um personagem misterioso desaparece com o egiptólogo e provoca uma explosão magnífica.

Para salvar o pai, os irmãos embarcam em uma perigosa jornada, na qual descobrem que os deuses do Egito Antigo foram despertados e algo terrível está para acontecer – e que tudo isso está relacionado com uma ligação ancestral entre os Kane e a Casa da Vida, ordem secreta que existe desde a época dos faraós."

O livro tem um ritmo muito gostoso e os ingredientes que agradam as crianças/jovens dessa idade: magia, ação e até um pouquinho de romance adolescente.

A editora Intrinseca, que edita os livros, tem um site só sobre essa coleção: http://www.ascronicasdoskane.com.br

Ainda nesta página, é possível dar download do primeiro capítulo do livro. Assim você pode testar antes com seu filho se ele vai realmente gostar ou não. Basta clicar aqui para baixar.

Coisas que aprendi com a 1a gravidez

*post de minha autoria publicado originalmente no blog Esperando Alice, que precedeu o Entre Fraldas e Livros

De tanto bater papo com outras barrigudas sobre gravidez e afins, descobri um monte de coisas que aprendi com a 1a gravidez e não me incomodam tanto (ou nada) nesta 2a:

- Cesárea ou parto normal? Na gravidez do Vítor eu comprei livros sobre parto normal, fiz exercícios, entrei em listas de discussão, troquei de médico aos oito meses porque o meu era cesarista assumido. No fim das contas, o Vítor se enrolou no cordão e não adiantava nem o Papa vir me dizer que isso não era motivo pra cesárea, porque pra mim era e pronto. E no fim das contas, pra mim não faz diferença por qual buraco ele saiu, eu o amei muito, demais. E o pior: falaram tão mal, mas tão mal de tudo e eu achei tudo tão tranquilo, que agora tenho medo é do parto normal! kkk (o desconhecido sempre assusta, né?)

- A hora do nascimento. Quando chega nas últimas semanas, os sintomas se intensificam: dores, cólicas, contrações de Braxton-Hicks... tudo isso faz a gente achar (quer dizer, TER CERTEZA) que a data provável do parto dada pelo médico está ABSOLUTAMENTE errada. E que o bebê vai vir antes, com certeza. Junte-se a isso o fato de que todo mundo começa a dizer que sua barriga tá baixa (ou alta) demais, a ligar dizendo "eu achava que já tinha nascido" e coisas do tipo. A medida que o tempo vai passando, a gente vai ficando ainda mais e mais ansiosa, um saco! Agora quando falam "tá pertinho", eu já falo logo "tá nada, vai demorar muito ainda". Já me basta a minha ansiedade, não preciso da ansiedade dos outros.

- Estrias. Desta vez não gastei rios de dinheiros com cremes caros contra estrias. Da última vez eu me lambuzava inteira todos os dias, com cremes de marcas caras, específicos pra gravidez ou não. O resultado? Fiquei com a barriga igualzinha a um mapa hidrográfico da bacia amazônica. E não estou exagerando não, é verdade mesmo. Eu até pensei em fazer tratamento (caríssimo), mas fui pesquisar antes e descobri que se eu engravidasse de novo, as mesmas apareceriam novamente. O que significa que o dinheiro iria todo ralo abaixo. Pergunta se dessa vez apareceu alguma estria nova!! Nenhumazinha, só as minhas "velhas" amigas mesmo! kkkk

- Peso e alimentação. Parece um pouco com a cantilena do parto normal. Se a gente fizer uma lista das coisas que grávida não pode comer, todas morreriam de inanição. Tudo bem, vamos colocar os pingos nos is: quando comemos uma coisa, nosso corpo se encarrega de "pegar" todos os nutrientes e distribuir "por aí", por meio do sangue. Aquilo que não presta é eliminado, pela urina e pelas fezes. O que é levado para o bebê é o sangue, não o que comemos. Então vamos esquecer aquela história de que tomar café ou coca-cola é a mesma coisa que colocar na mamadeira e dar pro bebê, porque não é.

Devemos evitar? Sim, devemos. Porque cafeína demais faz mal pra gente, quanto mais para o bebê. Assim como devemos evitar outras mil coisas, principalmente o álcool. Mas acredite, tomar uma lata de refrigerante não vai fazer seu bebê nascer diferente do que nasceria se você não tomasse. Em tudo no mundo a gente precisa ter meio termo, não precisamos exagerar, não é?

E o massacre sobre engordar demais? Estou realmente começando a achar que os médicos gordos que não conseguem emagrecer descontam toda a sua frustração na pobre grávida indefesa. Conheço pessoas que engordaram 20, 25, 30 kg na gravidez e todas estão muito bem, obrigada. É saudável? Provavelmente não, mesmo que não estivessem grávidas. Mas alguém acha que o terrorismo que alguns médicos fazem vai realmente mudar alguma coisa? Uma amiga de twitter contou que o dela chegou a dizer que iria fazer uma incisão vertical na barriga dela, já que ela não estava ligando mesmo pro peso. Detalhe: ela engordou 9 kg!!! Não seria muito mais razoável dizer a elas pra procurar uma nutricionista, que orientaria muito melhor, sem terrorismos inúteis?

Só pra constar: desta vez acompanhei toda a gravidez com uma nutricionista, que me orientou o tempo todo, inclusive nas minhas escapulidas. Até agora engordei 12 kg e tô muito feliz com isso. É muito? É pouco? Não tenho idéia, deixo essa preocupação pra ela! kkk

- Conselhos x palpiteiras de plantão. "Se conselho fosse bom, ninguém dava: vendia" Não concordo com isso. Ouvi muito os conselhos legais das minhas amigas que já tinham passado por isso e ainda ouço, adoro! Pra que cometer um erro se eu posso aprender com a experiência do outro? Acontece que conselho é muito diferente de palpite. E que é muito diferente de comentário. Coisas do tipo, "você está imeeeensa", "tem certeza de que é um só?", "como foi que isto aconteceu??" (fui mãe solteira da primeira vez) e "cadê o pai?" não acrescentam nada à sua vida e ainda te deixam mais irritada. O que aprendi: a deixar entrar por um ouvido e sair pelo outro. Confesso que de vez em quando ainda deixo o sangue subir, mas na maior parte das vezes só desabafo no twitter e não desconto na pessoa (embora algumas mereçam). Isso também vale

- Mitos. Nem caio mais nessas. Quando gosto muito da pessoa, esclareço com calma. Quando vejo que não tem futuro, nem ligo. Coisas do tipo: "azia é sinal de bebê cabeludo" (quase morri de azia e o Vítor só foi ter cabelo aos 2 anos), "barriga pontuda é sinal de menino, espalhada é sinal de menina" e "beber água gelada dá pneumonia no bebê". Já até desenvolvi um olhar bem atento e um balançar de cabeça, pra usar enquanto finjo que estou interessada e minha mente vagueia por outras coisas mais importantes.

Bem, por fim, digo que aprendi uma coisa: não existe verdade absoluta. Tudo o que eu disse aí em cima é o que EU acho. Não quer dizer que eu não tenha amizade com pessoas que pensem totalmente diferente de mim. Algumas são MUITO amigas mesmo, porque temos uma coisa em comum: respeito à opinião alheia. Eu acho uma coisa e não tento impor, a pessoa acha outra coisa e não tenta me impor. Pronto, tudo fica bem.

Ideias originais para presentear na Páscoa

Tem que dar várias lembranças de Páscoa e quer fazer algo original? Confira as dicas que separamos especialmente para você!

Esta cenoura basta imprimir, colocar as crianças para pintar e colocar balinhas!

Do blog Criando e Reciclando
Que tal fazer/comprar um cupcake e imprimir esses toppers e saias?

Do blog Pérolas e Panelas
Mais simples do que isso não há!

#pinterest
A caneca desta foto é temática, mas não precisa ser. Escolha uma genérica e coloque bombons ou docinhos.

#pinterest
E, por fim, se você quer fugir dos doces e chocolates:

Do blog *Дизайн и декор* 
Do blog *Дизайн и декор*

Chega de perder os prendedores de cabelo!

Se você é como eu e vive perdendo seus prendedores de cabelo, acho que essa dica vai ser valiosa: adapte um rolo de papel toalha para guardá-los!


Dica daqui

Pão em formato de coelho - Páscoa

Tem rolado pela internet a imagem (sem os créditos) de um pãozinho em formato de coelho, ideal para fazer na Páscoa. Aparentemente é super fácil fazer: basta fazer bolinhas com a massa e cortar as orelhas com uma tesoura. Mas será que é realmente assim tão fácil? Fui testar e trouxe o resultado aqui para vocês.



A primeira dificuldade que eu tive foi que a imagem vem sem receita. Então, depois de muito fuçar descobri não só a receita, como também os créditos da foto, o blog Saboroso Gostinho. Bem, então copiei aqui a receita do pão de cenoura e fiz meus comentários ao lado.

Ingredientes:

- 4 xícaras de cenouras cortadas em rodelas
- 2 ovos
- 1 xícara de água morna (aproveitei a água em que fervi a cenoura)
- 2 colheres de sopa de fermento biológico seco
- 3/4 de xícara de óleo
- 1/2 xícara de açúcar
- 1 colher de sopa de mel
- 2 colheres de chá de sal
- 8 1/2 xícaras de farinha de trigo

Modo de preparo

Em uma panela com água cozinhe a cenoura até ficar macia, e então drene a água e bata a cenoura no liquidificador ou em um processador até obter um purê. Se você quiser um sabor mais defumado para o seu pãozinho, pode assar a cenoura no forno ao invés de cozinhar na água. 

Para fazer no forno, coloque as cenouras em rodelas em uma assadeira e adicione 1 colher rasa de azeite, para besuntar as cenouras. Leve em forno pré-aquecido em 180°C e asse por 15 minutos ou até ficarem macias. Depois é só fazer o purê. 

Ainda no liquidificador ou no processador, adicione os ovos e 1/2 xícara de água, batendo até o purê ficar bem cremoso.


Numa tigela grande, coloque o fermento biológico seco e o restante da água, mexendo até dissolver totalmente o fermento. Despeje então o purê de cenoura e, na seqüência, adicione o óleo, açúcar, mel, sal e 5 xícaras de farinha, misturando e amassando com as mãos. Adicione mais farinha conforme achar necessário até obter uma massa de pão macia e lisa. Polvilhe a sua bancada com um pouco de farinha e sove a massa por 6 a 8 minutos, para que ela obtenha um pouco de elasticidade. 


 Se você tiver uma batedeira com o(s) gancho(s) para bater massa de pão, também pode usar. Em seguida, coloque a massa em uma tigela grande levemente untada com óleo cubra com um pano úmido ou um filme plástico e deixe descansar por cerca de 1 hora, para dobrar de tamanho. Divida a massa em bolinhas pequenas. Com ela é possível fazer 48 pãezinhos, mas a quantidade varia conforme o tamanho das bolinhas de massa. Coloque as bolinhas de massa em uma assadeira untada de óleo e cubra novamente com um pano úmido ou filme plástico, deixando descansar por mais 1 hora. É importante não deixar uma bolinha de massa muito próxima a outra, pois elas vão dobrar de tamanho nesta etapa. 

 
Passada 1 hora, os seus pãezinhos já estão prontos para assar. Para fazer o pão do coelhinho, como é a da ideia da foto, pegue uma tesoura e belisque a massa fazendo as orelhinhas. Em seguida, usando um palito de churrasco faça os olhinhos, apertando a massa. Leve então os seus pãezinhos para assar em forno pré-aquecido a 180°C por 18 a 20 minutos ou até ficarem dourados.

Se achar que são muitos pãezinhos para se fazer de uma única vez, após as bolinhas terem dobrado de tamanho, leve a assadeira para o congelador e deixe os pãezinhos congelarem. Depois de congelados, você pode colocar todos em saco plástico e deixar no congelador para fazer a hora que desejar (para mim foram MUITOS pãezinhos, então congelei um montão).

------------------------------------------------------------------------------------------

Bem, a teoria é essa aí em cima. Na realidade tive um pouco mais de dificuldade em consegui o ponto da massa e não usei só 5 xícaras de farinha, usei MUITO mais até conseguir que ela ficasse macia e lisa, como recomendado. E a receita diz que a massa dobra de tamanho enquanto repousa, mas em nenhuma das duas vezes a minha cresceu.Ainda bem, porque se deu tanto pão sem crescer, imagina se crescesse...rs

A outra dificuldade que eu tive foi em cortar as orelhas. Não ficou NEM UM POUCO parecido! hahahahahaha


Tá, eu não sou muito prendada, mas parecia tão fácil...rsrs Mas o importante é que ficou muito gostoso. As crianças comeram um montão, mesmo tendo jantado, quase não sobrou para eles levarem de lanche na escola.

Ovo da Kinder em parceria com a WWF: Natoon


Recentemente recebemos aqui em casa um kit muito lindinho da Ferrero, com os novos ovos de Páscoa da Kinder. Eu tenho visto muita polêmica por aí acerca do fato de haver ovos para meninas e para meninas, mas sinceramente nem estou com vontade de entrar no mérito da questão. Na verdade eu gostaria de falar sobre um fato que está passando meio que despercebido no meio de todo esse auê, o ovo Natoons, que tem sido erroneamente classificado como a opção "unissex", sendo que ele tem um objetivo muito mais "nobre": incentivar as crianças a lembrar da preservação dos animais.

O ovo Natoons surgiu de uma parceria entre a Kinder e a WWF-Brasil e é uma iniciativa que visa estimular o cuidado com o planeta no momento em que pais e filhos estão brincando juntos, incentivando os pais a ensinar seus filhos sobre as espécies e sobre a importância de cuidar da natureza, de forma lúdica e divertida.

Os brindes destes ovos são miniaturas de animais, macios ao toque e realistas (no caso dos ovos de Páscoa), além de surpresas lenticulares de animais (imagens que parecem mexer-se ao movimento do papel, no caso dos ovos comuns). Dentre as opções, há panda, onça-pintada, elefante, gorila, leão e hipopótamo.

Então, se você escolher este ovo para seus filhos na Páscoa, lembre-se de aproveitar a ocasião para conversar com eles sobre a preservação da natureza e o papel que todos nós temos nessa importante tarefa!


Meu filho se alimenta mal. E agora? - parte I

Dr. Carlos Nogueira, pediatra nutrólogo
Qual a mãe que não tem nenhuma preocupação com a alimentação dos filhos? Mesmo quando eles comem bem a gente acaba tendo dúvidas e nos perguntando se estamos mesmo fazendo o certo. Lá em casa eu tenho os dois lados da moeda: Vítor, que é MUITO chato para comer e Alice, que come de tudo, mais ou menos como uma refugiada da Etiópia. Então tenho sempre que me virar em mil para fazer com que os dois tenham seu aporte diário de nutrientes, porque comer muito não significa comer bem.

Na semana passada participei de um Workshop da Abbott com o pediatra nutrólogo Dr. Carlos Nogueira e confesso que fiquei que nem pinto no lixo com tudo que ele falou, principalmente por causa do Vítor, que é o que me dá mais trabalho com isso. E como sei que tem muita gente na mesma posição que eu, resolvi compartilhar um pouco do que aprendi lá, o que será feito em vários posts. Hoje vou falar sobre o estilo de ser pai/mãe em relação à alimentação:

Controlador

- Controla a alimentação dos filhos;
- Restringe alimentos;
- Pressiona as crianças a comer;
- Ignora sinais de fome e saciedade.

Passivo

- Desiste das responsabilidades;
- Não estabelece limites;
- Ignora sinais de fome ou necessidades físicas e psicológicas da criança.

Indulgente

- Não estabelece limites;
- Alimenta a criança com o que, onde e quando ela quer;
- Prepara comidas especiais para a criança;
- Ignora os sinais de fome.

Responsivo

- Orienta a alimentação da criança;
- Estabelece limites;
- Comem como modelo e conversam sobre comida de forma positiva;
- Respondem aos sinais de fome e saciedade da criança.


O que eu pude perceber, tanto pela conversa com outras mães e blogueiras de lá, quanto pela minha experiência, é que a gente acaba não se encaixando em uma só categoria. Temos traços de diversas e as vezes passamos um tempo em uma ou outra. De acordo com o Dr. Carlos Nogueira isso é perfeitamente normal, mas precisamos ter sempre o modo responsivo como objetivo a ser alcançado.,

E o que ensinamos a nossos filhos quando agimos de cada um dos modos acima?

Controladores

- Ajustam mal as calorias;
- Comem menos frutas e legumes;
- Maior chance de estar acima do peso.
Passivos

- Dietas baixas em nutrientes e ricas em gordura;
- Maior chance de estar acima do peso;
- Bebem menos leite.
Indulgentes

- Fraco senso de fome e saciedade;
- Relutância em provar novos alimentos e sabores;
- Gosto por alimentos não saudáveis.
Responsivos

- Compreensão de fome e saciedade
- Experiências com novos alimentos sem estresse
- Padrões de refeições culturais e familiares;
- Alimentos são bons;
- Comer é prazeroso.

Nos próximos posts vamos falar de como fazer para ser mais responsivos, qual a influência dos pais e das crianças nos hábitos alimentares, quando se preocupar e quando/como usar suplementos e vitaminas.

Novo curta da Pixar: O Guarda Chuva Azul


Já comentei aqui antes que estamos super ansiosos pelo lançamento de Universidade dos Monstros? Alice é apaixonada pelo Mike e anda agarrada com o dela pra tudo que é canto aqui em casa. Não pode ver um cartaz do filme que já acha que está passando e quer entrar no cinema...rsrs

Bem, hoje eu recebi o cartaz do curta que vai passar antes de Universidade dos Monstros e agora eu é que estou ansiosa. Adoro os curtas da Pixar, tenho um DVD cheio deles e que a gente assiste sempre por aqui.


Este curta chama-se O Guarda-Chuva Azul e conta a história de dois guarda-chuvas (um azul, outro não) que, em meio à chuva em uma cidade que canta, apaixonam-se para sempre.

Gostou? Eu adorei!!

O lançamento de Universidade dos Monstros será em 21 de junho.

Fomos conferir Oz - Mágico e Poderoso


Hoje eu e Vítor fomos conferir o novo filme da Disney, Oz - Mágico e Poderoso, que estreia nos cinemas nesta sexta-feira (08/03). O filme conta a história de Oscar Diggs (James Franco), um inexpressivo mágico de circo de ética duvidosa, que ao fugir de uma briga acaba indo parar na linda Terra de Oz. No começo ele acha que tirou a sorte grande, pois fama e fortuna o aguardam lá. Isso até encontrar três bruxas: Theodora (Mila Kunis), Evanora (Rachel Weisz) e Glinda (Michelle Williams), que não estão convencidas de que ele é o grande mágico que todos esperam, profetizado por um antigo rei e que irá salvar o povo.


Não é todo filme que vale a pena ser assistido em 3D, mas esse a gente recomenda, vale a pena! Eu e Vítor adoramos a cena em que o Oscar desce uma cachoeira com um balão, lembramos daquelas montanhas russas 3D, sabem? Sem contar que toda hora eu via, de rabo de olho, o Vítor estendendo a mão para a frente, querendo tocar alguma coisa...rsrs


Eu cheguei a pensar em levar a Alice, mas como a sessão que a gente ia assistir era legendada acabei desistindo na última hora. E foi a melhor coisa que fiz, não é um filme para crianças pequenas como ela (que tem 3 anos). Além da história ser complexa, algumas cenas podem assustar. Já para as crianças maiores o filme agrada muito, tanto pelo colorido quanto pelo enredo. Chegamos a cogitar que o Vítor escrevesse este post, de tão animado que ele ficou. Mas no fim ele disse: "faz você, mãe. Mas não esquece de contar que eu A-D-O-R-E-I, que tem muita ação e que as imagens são lindas!". Recado dado!



Sobre o filme:


Gênero: Aventura e fantasia
Classificação: Livre                
Data de lançamento: 8 de março de 2013
Tempo de duração: 127 min



Alguns fatos curiosos:

- James Franco, que interpreta Oscar Diggs (também conhecido por Oz), teve que aprender truques de mágica para interpretar com precisão o personagem domágico de circo. Ele chegou ao set duas semanas antes para poder trabalhar com o mágico de Las Vegas, Lance Burton. Trabalhando todos os dias, Franco aprendeu truques com pombas e fogo, bem como a tirar objetos da cartola e fazer coisas levitarem.

- A Terra de Oz não estaria completa sem os munchkins, então os diretores de figurantes da produção encontraram mais de 36 pessoas de baixa estatura, a maioria da região de Detroit. Sua altura média de pouco mais de 1 metro contrastava acentuadamente com os mais de 40 winkies, os guardas do palácio empunhando lanças, que não mediam menos do que 2 metros, sendo que alguns chegavam a exceder 2,12 metros de altura.

- O autor L. Frank Baum escreveu 14 livros entre 1900 e 1920, todos ambientados no reino da fantasia que ele tão vividamente criou. Mas ele nunca retratou inteiramente o passado do personagem feiticeiro em nenhum dos livros, então este filme  imagina as origens do adorado personagem mágico, que estreou no primeiro livro.

Reciclagem com crianças: vasos com latas de leite em pó

Tem um monte de latas em casa? Que tal botar as crianças para fazer lindos vasos?

Fonte: JoyBx

Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires