A verdadeira vida de mãe

Ser mãe não é exatamente o que dizem por aí. E só quem já é mãe sabe o que estou querendo dizer. Antes de engravidar eu ouvi o mesmo papo que eu aposto que todas vocês também ouviram: que ser mãe é padecer no paraíso, que só depois de ser mãe a gente conhece o amor de verdade, que depois que nascem os filhos a gente nunca mais vai dormir novamente. Acontece que essas frases já são mais do que clichês batidos. E nenhuma delas diz exatamente o que é ser mãe.

Na verdade, eu acho que essas frases mais oprimem do que ajudam. Porque colocam uma "aura" de super mulher ao nosso redor e a gente mesma passa a acreditar nisso e nos cobrar quando não conseguimos cumprir todas os mil papéis que insistimos em nos atribuir. Queremos ser as melhores esposas, as melhores mães, as melhores profissionais e as melhores donas de casa. Assim mesmo, tudo ao mesmo tempo agora. E, de preferência, sem precisar da ajuda de ninguém.

Aí, quando as coisas começam a não sair do jeito que imaginamos, vem a nossa amiga culpa. Achamos que não somos boas o suficiente, que não sabemos educar corretamente nossos filhos, que não somos boas profissionais e por aí vai. Quando, na verdade, não é esse o problema! A maior parte de nós é completamente capaz de cumprir com tudo isso. Acontece que não dá para fazer tudo ao mesmo tempo, nem tudo perfeitamente, muito menos sem ajuda.

Quando a licença maternidade do meu primeiro filho acabou eu estava louca para voltar a trabalhar. Um mês antes eu pesquisei todas as creches dos arredores e e escolhi a que eu considerei melhor. Fiz a adaptação uma semana antes e tudo saiu maravilhosamente bem. Depois de algumas semanas, as coisas começaram a desandar. O Vítor ficava doente semana sim, outra também. Algumas vezes eu chegava em casa tão cansada que não tinha o menor ânimo de arrumar ou limpar absolutamente nada. No trabalho eu ficava me culpando pelo Vítor doente e pela casa bagunçada, então não rendia direito. Não preciso nem dizer que comecei a entrar em parafuso, né?

Levou muito tempo até eu entender que a maior parte das coisas pelas quais eu me culpo não são realmente culpa minha. Crianças ficam doentes e, com exceção de alguns casos específicos, isso não é culpa da mãe. Não dá para trabalhar fora o dia inteiro e deixar a casa um brinco todos os dias, como se tivesse ficado em casa esse mesmo dia inteiro. Aprendi a fazer o meu melhor possível e relaxar quanto ao resto. Não vou dizer que consigo fazer isso perfeitamente! Agora mesmo estou em casa cuidando da caçula que está com febre e tentando não morrer de culpa por não conseguir trabalhar direitinho do jeito que costumo fazer. Mas já estou muito melhor do que antes, agora já sei que ela não está doente por minha culpa e que estou fazendo o que posso. Se comparar com o que eu sentia antes, isso é um grande avanço! E sei que não estou sozinha neste sentimento, muitas e muitas mulheres se sentem exatamente como eu.

A grande vantagem de "investir" nessa aprendizado foi que, assim, aprendi a curtir a verdadeira maternidade, a verdadeira beleza de ser mãe. Aquela maternidade que não é o tempo todo boa e nem o tempo todo ruim. Que tem coisas difíceis sim, que me deixam sem saber o que fazer muitas vezes. Mas que, na maior parte do tempo, me traz muitas e muitas alegrias. Das coisas mais conhecidas até as mais simples, que só as mães podem saber.

*post de minha autoria publicado originalmente no blog Mulher e Mãe, em 2011.

Inspiração em feltro: kit costura

Quer guardar seus apetrechos de costura ou presentear alguém? O kit costura é super fácil de fazer e tem muitos modelos! Confira alguns:

Esse foi feito por mim com molde da Bonifrati

Esse eu achei no Pinterest, mas a página original não está mais no ar. Mas dá para fazer com o mesmo molde do marcador de páginas de cd.

Esse também veio do Pinterest sem página original.
Basicão, bom para homens. Fonte Fiztsu



A nova dieta queridinha das mamães: Dukan


Você já ouviu falar da Dieta Dukan? Tem feito o maior sucesso por aí e, claro, tenho visto várias mães aderindo. Mas também tenho visto muita gente fazendo (e entendendo) errado. Eu comecei a escrever esse post quando ainda não tinha recomeçado a fazer a dieta (minha primeira tentativa foi no ano passado). Ia escrever novamente, mas achei por bem manter, afinal eu realmente passei por tudo isso. Mas agora que estou fazendo novamente encontrei mais receitas, consegui fazer lanchinhos que dão para levar na bolsa, muitos nem levam ovo... Então não ache que eu sou doida por ter opiniões tão diferentes em um mesmo post...rs

- Para mim essa dieta é bem legal, porque eu não sei viver sem comer proteínas. Até gosto de carboidratos, mas não me faz tanta falta assim. Então, se você não vive sem carboidratos, pode esquecer a Dukan.

- Ao contrário da Dieta Atkins, nessa dieta só não se pode comer verduras durante a primeira fase, a Fase de Ataque. Isso é bom, porque amplia o leque de coisas para comer e evita que a gente enjoe.

- Se você gosta de cozinhar, essa é a dieta certa. Tem milhares de receitas por aí, até de pão, biscoitos, quiches e panquecas, entre muitos outros. E tem várias receitas de doces também.

- Da primeira vez, enquanto eu estava seguindo direitinho perdi 4 kg em duas semanas. Só que depois eu não segui mais nada ( o que não está acontecendo desta vez). O motivo está no próximo tópico.

- Um dos problemas mais complicados que achei nessa dieta está em comer quando estamos na rua. Em almoço/janta é mais simples, mas os lanchinhos não dá. Em viagem, na estrada, por exemplo. E foi justamente por isso que eu tive que parar: uma viagem de 4 horas para o barco do meu pai e depois mais 10 dias a bordo, com poucas opções de alimentação. Em um barco, em travessia, fica complicado fazer refeições diferentes para as pessoas. É muito mais prático fazer uma coisa só para todo mundo.

- Outro problema que encontrei é que tomei enjôo do ovo. Não aguentava nem sentir mais o cheiro do ovo, que tem em praticamente todas as receitas. Depois consegui dar uma contornada nisso comprando embalagens só com a clara pasteurizada. Não me perguntem o motivo, acho que o cheiro é diferente...rs Outra vantagem de comprar essa clara é que se você comer o ovo inteiro só pode comer xx unidades por dia. Só a clara você pode comer o quanto quiser, pois é proteína pura.

- É preciso ter uma força de vontade DAQUELAS para fazer uma comida que você adora para os seus filhos e não comer também. Mesmo que você faça uma gostosa para você, a vontade é bem forte.

- Não adianta só fazer a dieta: tem que fazer os exercícios que ele propõe. Emagrece sem os exercícios? Não tanto quanto poderia, mas sim. Mas os exercícios são essenciais para sua saúde e para dar pique. para mil outras coisas também, mas aí você dá um google aí e descobre...rs

Nessa minha segunda empreitada de fazer a Dukan eu já emagreci 7 quilos em aproximadamente 1 mês. Estou caminhando 5 vezes por semana, 3 quilômetros, e ensaiando correr. Vou com chuva ou com sol, com calor ou com frio. Só deixei de ir uma vez que estava muito dolorida do dia anterior, não acho que adiante forçar demais o meu limite. Não engordei da noite para o dia, não vou emagrecer da noite para o dia.

Meus conselhos:

- Leia  o livro antes de começar. Não dá para fazer nada sem ler o livro.

- Faça a avaliação no site do dr Dukan para saber quantos dias de ataque, cruzeiro e consolidação você precisa fazer.

- Procure um grupo Dukan no Facebook. É muito bom ter contato com outras pessoas que estão passando pelo mesmo que vocês. Eu estou no Meu Emagrecimento com a Dukan.

- Há muitos blogs e sites com receitas. Faça, teste, não tenha medo de mudar. Eu uso muito o Dieta Dukan Receitas e o blog da Geovana Centeno

Boa sorte e foco!!!

Reciclagem com crianças - alimentador para pássaros

Que tal ensinar as crianças que, melhor do que deixar os pássaros presos em gaiolas, é fazer com que eles venham até nós? O segredo para isso, mesmo nas cidades grandes, é deixar sempre comida disponível. Que tal então fazer um belo comedouro de pássaros aproveitando aqueles potes de sorvete que ficam sem utilidade em casa? Olha só como é fácil:

Fonte: Crie e Faça Você Mesmo

Outra dica boa é deixar a comida certa para cada tipo de ave:


Sanhaço: nos fins de tarde durante o verão, pode ser visto caçando aleluias ao redor dos postes de luz. Refeição predileta: banana e mamão maduros.

Bem-te-vi: para receber sua visita, vale oferecer mamão, banana e pitanga.

Rolinha: costuma ser a primeira a visitar janelas e varandas - e também a recordista em tentar atravessar portas de vidro. Aparece em bandos, por isso é importante ter uma oferta farta de sementes (painço, níger e alpiste).

Cambacica: alimenta-se de flores avermelhadas e frutas como banana, mamão e jabuticaba.

Maritaca: sua revoada é cada vez mais frequente na região urbana. Aprecia sementes, principalmente de açaí, paina e girassol, e frutas, como mamão, banana e goiaba. Adora o néctar do bebedouro do beija-flor.

Beija-flor: também conhecido por colibri, ele é atraído por flores em tons vivos de amarelo e vermelho, como russélia, helicônia e camarãozinho.

Sabiá-laranjeira: adora caroço de dendê, mamão, banana e laranja.

(fonte das dicas de alimentação: M de Mulher)
Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires