Falando de Geração Alpha

Você já ouviu falar em geração Alpha? E Baby Boomers, X, Y, Z? Estas são as diferentes denominações para as gerações que vêem surgindo desde a década de 40, cada qual com características bem específicas (BB década de 40 a 60, X 70, Y 80, Z 90 e Alpha a partir de 2010).

Uma das coisas que acho interessante nessas definições e classificações - e que aprendi em um curso escoteiro - é que o modo de ensino de uma geração não necessariamente funciona para a outra, pois nasceram em momentos diferentes da evolução.

E fui assistir a um documentário que fala justamente sobre isso, lançado pela Heinz. Com o depoimento de pais e avós, o filme fala justamente sobre o desafio de educar esta nova geração, que não se contenta com os meios tradicionais (e, a meu ver, ultrapassados) de ensino, já que têm acesso praticamente ilimitado à informação.

Bem, melhor do que ficar aqui falando é te convidar a assistir...:)


Leitura? O que é isso?

Quanto ganha um chefe escoteiro?


Para responder à pergunta do título, primeiro é preciso saber o que faz um chefe escoteiro (oficialmente chamado de escotista). Entre outras coisas, ele acompanha a progressão pessoal dos jovens de sua tropa, proporciona atividades interessantes e educativas e busca integrar-se com as crianças de forma a que vejam nele a figura de um irmão mais velho.

Dito isso, qual a remuneração de um chefe escoteiro? Monetariamente falando, nada. Este é um trabalho voluntário e vale a pena lembrar que a maior parte deles paga para trabalhar. Mas existem coisas muito mais importantes do que dinheiro e é disso que quero falar nesse post. Não há nada mais satisfatório do que ver uma criança feliz após uma atividade que você programou. Ou receber um elogio deles depois de um dia particularmente espinhoso. O pagamento de um chefe escoteiro está num cumprimento escoteiro que recebe na rua, está na correria das crianças para abraça-lo quando chega na sede. São os parabéns sinceros pelo aniversário, são as ofertas de ajuda, são os comentários dos pais contando das mudanças de comportamento.


Faz quase cinco meses que estou ajudando em dois grupos escoteiros. E posso dizer que ando recebendo pagamento em dobro. Aliás, quando digo que estou em dois grupos posso perceber uma série de reações, desde acharem que sou louca, corajosa ou traidora (pois é). O que posso dizer é que é bem cansativo, exige um bocado de jogo de cintura para equilibrar todas as atividades e me deixa meio doida, mas que vale cada segundo do meu tempo. Não me arrependo de nada e faria tudo novamente, sem pestanejar. Porque doando, fui eu quem mais recebeu.

Precisa de uma ajudinha para beber mais água?


Outro dia eu comentei no Instagram e na Fan Page do blog que eu estava testando um novo aplicativo para me ajudar a lembrar de beber água. Mas nada dessa mesmice de alarme que te avisa de tanto em tanto tempo, esse prometia algo mais motivador. Afinal, para quem está querendo emagrecer é essencial beber muita água. E, com tantas barreiras a transpor, com tentações e tudo o mais, motivação é a palavra chave.


Então agora, depois de algum tempo utilizando, eu posso dar minha opinião: aprovado! O nome é Plant Nanny e funciona da seguinte forma: você coloca o seu peso e nível de atividade física e ele indica a quantidade de água que deve ingerir durante um dia. Aí você escolhe uma planta, um vaso e pronto. Toda vez que você beber água, vai lá e rega virtualmente a plantinha. Você pode personalizar o intervalo de tempo dos lembretes, mas se não molhar sua plantinha, ela vai definhando até morrer.

Confesso que fiquei surpresa com a quantidade de água que ele disse que eu preciso beber: quase 3 litros! No começo eu até tentei seguir a risca, mas como tudo que eu sempre ouvi foi que esse valor seria de líquidos em geral, comecei a acrescentar outros líquidos que bebo nessa conta aí. Mas mantendo a maior porcentagem como água mesmo.

E por falar em emagrecimento, em breve venho contar direitinho como estou. Por enquanto basta comemorar: já emagreci 11 quilos!

E ela faz 4 aninhos


Parece que foi ontem que ela nasceu e encheu o meu mundo de rosa. Logo eu, que nunca tinha usado uma peça de roupa rosa sequer. Ela, que tem voz doce e jeito meigo de falar, mas é brava que nem uma jaguatirica. De quem só recebo elogios na escola, de que é amiga e obediente, mas em casa também sabe ser pirracenta e chorona.


Hoje minha gatinha Alice completa 4 anos. Aquela que é responsável pela parte das fraldas do título do blog, mas que nem usa mais, porque é "mocinha" e fica furiosa se é chamada de bebê. Que me abraça e beija muitas e muitas vezes durante o dia, diz que me ama e me chama de linda. E me acorda cedo todos os dias, pedindo leite rosa e ficando muito brava se for de chocolate.


Essa menina linda que tem o escotismo nas veias, que participa de atividades e acampamentos desde os 5 meses, que estranha se não tem zumbalibalizumba depois dos parabéns e praticamente sabe bater a palma escoteira.

Alice veio ao mundo para unir ainda mais a nossa família. E ensinar a mim, ao pai e ao irmão o que cada um de nós precisava aprender. Princesa linda, parabéns por mais este ano de vida! Te amamos muito!!

Está chegando o dia das crianças



Faz tempo que eu não posto aqui. E volto com um assunto que eu já sei que vai ser, no mínimo, polêmico: o dia das crianças. Mais especificamente os presentes e as propagandas.

Sim, eu dou brinquedos para os meus filhos no dia das crianças. Sim, eu sei que é uma data comercial e bla bla bla. Eu até posso levá-los para brincar ao ar livre nessa data, mas isso não é uma regra. Porque aqui em casa brincar ao ar livre não é uma exceção, algo a ser feito só em datas especiais. Aqui a gente tem brincadeiras ao ar livre e na natureza todos os fins de semana, principalmente por causa do escotismo.



Meus filhos assistem tv e estão vendo essa enxurrada de propagandas que sempre precede esse tipo de datas. Mas eu não perco meu tempo culpando os publicitários, o consumismo, o capitalismo ou sei lá quem. Eu simplesmente educo meus filhos. Vítor já sabe que vai escolher UM presente e ponto final. As vezes ele comenta comigo que mudou de ideia sobre o presente que quer, mas é isso, sem encheção ou dramas.

Alice ainda pede TUDO que ela vê na tv ou em qualquer outro canto. E eu digo: você vai querer isso de aniversario ou de dia das crianças? Ela vai ter que entender que não vai ganhar tudo o que quer só porque viu na propaganda. É simples, mas não é fácil. Nada na educação de uma criança é fácil. Mas olho pro Vítor e vejo que funciona, então respiro fundo e continuo repetindo as mesmas frases. Quando a paciência começa a acabar ê claro que eu solto um: você pede tudo, hein?? Afinal sou humana, não é? Hahahaha

Só finalizando: nada contra as campanhas de passar um fim de semana lúdico com as crianças nesse dia ou afastá-las dos brinquedos eletrônicos. Pelo contrario, acho bem legal, porque o que eu mais vejo são crianças enfurnadas em casa e hipnotizadas pelos games. Mas lembrem-se: não privem seus filhos, não restrinjam essas brincadeiras lúdicas e ao ar livre a datas especiais! Não há nada melhor do que incluir isso na sua rotina.

E vocês, o que acham? Como lidam com  o dia das crianças, a enxurrada de propagandas e os eletrônicos?
Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires