Passeio com crianças - férias no Museu de Futebol

As férias estão quase no fim... mas ainda não acabaram! E enquanto não acabam, a gente tem que arrumar coisas para distrair essas crianças e não deixar que elas nos enlouqueçam com tantos "mãe. mãe, mãe". Então aí vai mais uma dica que testamos: programação especial de férias no Museu do Futebol.

Aproveitamos e visitamos também o Museu.
O espaço fica localizado do lado esquerdo de quem chega no Estádio do Pacaembu e conta com oficinas de origami, desenho e contação de histórias. Ainda há um espaço para o futebol de botão e contação de histórias. As atividades gratuitas acontecem de quinta a domingo, das 10 às 17 horas, até o dia 3 de agosto. Vale a pena também fazer como a gente e dar um pulinho no Museu do Futebol, antes ou depois das brincadeiras.

Confira o que cada oficina oferece:

Oficina de origami: o visitante aprende a criar peças lúdicas e decorativas, por meio da técnica de dobradura japonesa que utiliza papéis de diferentes tamanhos, cores e texturas.

Oficina de Origami

 Oficina de desenho: pais e filhos ficam à vontade para produzirem as suas imagens. O oficineiro estará a disposição para orientar na criação de desenhos e escudos dos times e seleções.

Vítor e a caricatura do Neymar que ele fez na Oficina de Desenho
Futebol de botão: Sob um tabuleiro em forma de campo de futebol, os “jogadores” de discos de plástico disputam uma animada partida de futebol de botão. O público atua como "técnico", impulsionando seus jogadores a atacarem o gol adversário com uma bolinha.

Espaço de leitura: O público tem acesso às obras que abordam o universo do futebol de várias maneiras. Nesse espaço, a contadora de histórias também anima a roda de livros disponibilizando fantasias, onde as crianças são as personagens, como Saci, Sereia entre outras.

Alice ouvindo atentamente a história que a tia estava contando.
SERVIÇO 

Férias no Museu
Local: Museu do Futebol (Lounge “100 anos de Seleção Brasileira”)
Endereço: Praça Charles Miller, s/n
Data: 17 de julho até 3 de agosto (quinta a domingo)
Horário: 10h às 17h
Quanto: Entrada gratuita (acesso separado da entrada do Museu do Futebol)
Tel.: (11) 3664-3848

Ingressos para visitar o Museu do Futebol: R$ 6 (inteira) /R$ 3 (meia-entrada para estudantes, idosos e professores). Deficientes não pagam. Entrada gratuita aos sábados. Aceita cartão de crédito e débito.

IMPORTANTE: Todas as vagas do Pacaembu são de Zona Azul. Os flanelinhas cobram 10 reais por uma folha para 3 horas, mas na bilheteria você pode comprar a mesma folha por 3 reais.

Horário: 9h às 18h (bilheteria até às 17h)

Informações: www.museudofutebol.org.br

Passeio com crianças: Brasília de bicicleta


Nessas férias de julho eu e Vítor desbravamos Brasilia de uma forma diferente: de bike! A gente adora passear de duas rodas por aí, mas onde moramos em São Paulo é difícil, a rua onde moramos é muito movimentada e o parque mais próximo não aceita bicicletas para adultos (correr atrás deles sem bicicleta está completamente fora de cogitação). Então aproveitamos todas as chances que temos, como quando fomos para Angra visitar meu pai, Bracuhy é um paraíso para quem tem bike.



O projeto Bike Brasília foi implantado na cidade recentemente, com o apoio do banco Itaú e da empresa Serttel.  Eu fiquei sabendo ainda em Sampa, por intermédio da minha irmã, que já estava aproveitando desde o começo e me sugeriu instalar o aplicativo antes mesmo de viajar. Fui dar uma pesquisada no site do GDF e no do Bike Brasília e vi que são 20 estações de bicicletas e que 20 outros pontos já estão para ser instalados.

Eu e Vítor pensamos em pegar as bicicletas no ponto do Memorial JK, mas não tinha nenhuma disponível (dá para ver isso antes mesmo de sair de casa, o aplicativo mostra). Então pegamos no Centro de Convenções, fomos até a Torre de TV, tiramos foto no novo cartão postal de Brasília (Eu amo Brasília), fomos ao Parque da Cidade e fizemos um tradicional passeio da minha infância: demos a volta pela pista interna. Depois devolvemos a bicicleta no ponto que fica em frente ao Parque (minha mãe foi nos buscar de carro).




Algumas dicas:

- Não dá para levar crianças pequenas na bicicleta. Não tem cadeirinha e nem bagageiro (Alice ficou com a vovó no parquinho enquanto eu passeava com o Vítor);
- Cada aplicativo libera uma bicicleta. Para liberar duas, é preciso dois celulares e aí por diante;
- As bicicletas têm marcha, então dá para encarar as subidas leves da cidade;
- Tem uma cestinha na frente, ideal para levar água e um lanchinho.



Como fazer:

- Baixe o aplicativo para iPhone ou Android ou Windows Phone (também está disponível nas páginas de downloads dos próprios sistemas, tipo Google Play), ou ligue do seu celular para o número 4003 9846
- Faça o cadastro de acordo com as instruções;
- Vá atá uma estação e escolha uma bicicleta. IMPORTANTE: verifique se o pneu não está vazio;
- Digite o número da Estação e o número da posição da bicicleta escolhida;
- Confirme a operação e puxe a bicicleta quando a luz verde estiver acesa;
- Você pode fazer quantas viagens quiser durante todo o dia. As Estações de compartilhamento funcionam todos os dias, das 6h à meia noite;
- Viagens de até 1 hora são gratuitas, desde que sejam realizadas com intervalo de pelo menos 15 minutos entre elas;
- Viagens com duração de mais de 1 hora serão tarifadas à parte, no valor de R$ 5,00 por cada 1 hora de utilização;
- A devolução pode ser realizada em qualquer estação; 
- Escolha uma posição livre, encaixe a Bicicleta e verifique se a mesma está devidamente travada;

Passeio com crianças - Feira de Troca de Brinquedos no Ibirapuera (Sampa)

Divulgação
Amanhã (26 de julho) acontece a última Feira de Troca de Brinquedos no Parque Ibirapuera, em São Paulo deste mês de julho. O evento é uma parceria entre o Instituto Alana e o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) e acontece das 10h às 12h, em frente ao painel dos artistas “Os Gêmeos”.

A feira é uma boa alternativa de lazer durante esse finalzinho de férias. Além de gerar reflexão sobre o consumismo, ela possibilita com que a criança dê um novo significado para os brinquedos.

Como será o encerramento deste projeto de férias, haverá apresentação da Banda Alana, grupo musical formado por 40 jovens moradores do Jardim Pantanal. Com um repertório variado, que inclui desde músicas infantis até grandes sucessos da MPB, a Banda garante diversão para toda a família.

Caldas Novas com crianças - Náutico e Water Park

Quem acompanha o blog sabe que AMAMOS Caldas Novas. Eu, as crianças, meu marido... até minha mãe! Já postei sobre o Le Jardin e a Pousada do Ipê, sobre o Hot Springs, Di Roma e Pousada Cariama, fora as vezes que postei sobre Rio Quente.

Dessa vez vou falar sobre nossos novos queridinhos: Náutico Praia Clube e Water Park, os dois da rede Privê. A primeira vez que fomos lá foi para testar. Meus sogros nos colocaram como sócios, eu queria um lugar baratinho para ficar uns dias com as crianças e minha mãe, resolvemos conhecer. Se fosse ruim, a gente compraria ingressos de outros parques e passaria o dia por lá. Ficamos hospedados no Náutico Flat, que fica a 150 metros do Náutico Praia Clube e não tem piscinas. É um quarto e sala, com ar condicionado, banheiro, copa, tv e varanda. O café da manhã e o almoço que são inclusos na diária são servidos dentro do parque aquático. Gostamos tanto que minha mãe, que raramente pede para ficar mais em algum lugar, foi na recepção e pagou mais uma diária, para que aproveitássemos mais. 
Náutico Praia Clube
Fomos lá outras duas vezes e, agora em julho, resolvemos testar o Enseada, que fica a 500 metros do parque aquático, tem quarto igualzinho, mas tem 3 piscinas, parquinho, pula pula, jogos e campinho de futebol.
Hotel Enseada
Todos eles ficam na beira do Lago de Corumbá, a 8 km do centro de Caldas Novas. Tem umas 6 ou 7 piscinas, parte infantil, bar molhado, toboáguas e piscina de ondas. Tem um amplo parquinho, muita área verde, campo de futebol de areia e atividades para as crianças durante a alta temporada. A água não é termal, mas aquecida por aquecimento solar. Isso faz com que as piscinas não fiquem tão quentes como as demais de Caldas Novas, o que geralmente não é problema, já que lá é bem calor. Mas esse inverno fez um pouquinho mais de frio lá e estava difícil usar algumas das piscinas. O que nos leva ao Water Park, o novo parque do grupo, que tem entrada gratuita para os hóspedes do Náutico.

O Water Park fica perto do centro de Caldas, ao lado do Privê. As crianças simplesmente AMARAM. Vários toboáguas, piscina de ondas, parte infantil com mini toboáguas, caverna e escorregadores. Piscina com correnteza, bóias para descer de alguns toboáguas e bar molhado. O espaço não é muito grande, mas foi o suficiente para que as crianças se divertissem bastante. Tanto que estamos pensando, da próxima vez, em pegar um flat que tenha acesso ao Water Park e que fique próximo, principalmente se formos no inverno. Apesar de gostarmos bastante do Náutico, no inverno está ficando ruim de usar as piscinas sem aquecimento. E as vezes gostamos de ficar um pouco mais perto do centro, embora isso não seja um grande problema (só desta vez, que em vez do almoço estar incluso, estava o jantar. Então ficou meio complicado o deslocamento).

Water Park
E vocês, quais dicas dão em Caldas Novas?

A hora em que decidi dar um basta no stress do jantar

Fonte: we heart it
(não deu tempo de tirar foto da nossa...rsrsrs)

Quem me conhece sabe que eu tenho em casa um grande chato para comer. E de tanto azucrinar durante as jantas (que têm, obrigatoriamente, legumes e/ou verduras todos os dias), a pequena começou a se juntar ao coro e reclamar de coisas que sempre comeu. Depois de muito me aborrecer, de muito explicar, de muito brigar, eu resolvi que não quero mais perder meus momentos preciosos com eles nessa guerra. E nem quero mais passar as noites tristes porque as jantas que eu passei um tempão fazendo foram sumariamente recusadas. Enfim, cheguei à conclusão de que minha função é alimentar e orientar, não ser a chata da família. E minha irmã, que era a criança mais chata para comer que eu já conheci na vida, depois de adulta virou vegetariana por algum tempo e hoje em dia alimenta-se maravilhosamente bem. Então acho que há uma luz no fim do túnel.

A parte do orientar eu sei como fazer direitinho. Mas como nutrir sem stress? Aí me lembrei que há muuuuuuuuto tempo comprei o livro Deliciosos e Disfarçados (Jessica Seinfield, editora Ediouro), e que ele estava lá na estante pegando poeira. Hora de colocá-lo em prática!

Primeiro dia, macarrão com queijo. Molho de queijo cheddar e purê de cenoura, vagem e batata. Foi só o primeiro teste, mandaram tudo para dentro, só avisei o que tinha ao final. No segundo dia fiz um risoto de carne com purê de abóbora, alguns legumes pequenos que eu nem estressei se eles comeram ou não. Terceiro dia foi lasanha verde ao molho bolonhesa, escondidos iam purê de batata doce e purê de couve flor. Nesse dia eles já sabiam que sempre teria algo escondido e brincaram de adivinhar os ingredientes.

Como muita gente me pediu as receitas, vou compartilhar aqui a da lasanha, que eu sei decorada, já que o livro ficou lá em Sampa e eu estou passando uns dias com a minha mãe em Brasília. Depois publico as outras.

A primeira dica importante é fazer os purês com antecedência e congelar, seja em pequenas vasilhas ou em saquinhos próprios de congelamento. Eu cozinho tudo no vapor, sem sal e bato no processador, as vezes com um pouco de água.

Lasanha à bolonhesa

- 300 a 500 g de carne moída (de acordo com o gosto do freguês)
- meia xícara de purê de batata doce
- temperos à gosto

Refogue a carne moída do jeito que estiver acostumado, com os temperos que preferir. Quando estiver cozida, misture o purê de batata doce.

- 2 sachês de 340g de molho de tomate pronto ou o equivalente de molho de tomate caseiro
- meia xícara de purê de couve flor
- temperos à gosto

Refogue o molho de tomate com os temperos que preferir. Ao final, misture o purê de couve flor.

- um pacote de massa de lasanha (eu me dou bem com a Petybon)
*preste atenção na hora de comprar: algumas massas pedem pré-cozimento
- 300g de queijo mussarela

Pegue uma assadeira ou lasanheira e vá alternando as camadas: molho, massa, queijo, carne. A ordem não importa muito, mas o molho sempre deve vir primeiro e as camadas de massa sempre devem ser cobertas com molho, pois é isso que a cozinha.

Se quiser, salpique um pouco de parmesão ralado por cima

Como diria a Alice, "eeeee pronto!". Se vocês testarem, me digam o que acharam. Lá em casa foi sucesso total, até o marido, que não gosta muito nem de batata doce nem de couve flor, comeu tudinho e aprovou!
Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires