Novo Parque da Mônica será inaugurado dia 5 de julho


Vamos comemorar! Foi anunciada hoje a data de inauguração do novo Parque da Mônica:  próximo domingo, dia 5 de julho

 Localizado na Zona Sul de São Paulo, o parque ocupa um espaço de 12 mil m² no Shopping SP Market, terá capacidade para atender até mil pessoas e será o maior parque coberto da América Latina.

A compra do passaporte poderá ser feita diretamente na bilheteria do Parque da Mônica em dias e horários de funcionamento, conforme calendário de abertura disponível no site (www.parquedamonica.com.br). O visitante terá a opção de comprar pacotes promocionais para 2 a 5 pessoas, sendo 2 pessoas R$ 178,00, 3 pessoas R$ 264,00, 4 pessoas R$ 348,00 ou 5 pessoas R$ 430,00. O valor do passaporte individual será de R$ 129,00.

Mauricio de Sousa, criador da famosa turminha, está superansioso para ver o Parque da Mônica cheio: “O parque é muito especial para mim, para toda a minha família e creio que para várias outras famílias também. Estamos todos muito ansiosos para ver o Parque repleto de pessoas se divertindo com a Turma da Mônica.”

Para Mauro Sousa, diretor da Mauricio de Sousa AO VIVO, a abertura do parque vai matar a saudade de um público que está carente deste tipo de entretenimento. “Queremos resgatar o quintal perdido. As crianças de hoje ficam muito presas aos aparelhos tecnológicos. Sinto falta de vê-las brincando de maneira mais interativa, pulando, correndo e se divertindo com os pais. O parque não poderia ser inaugurado em momento melhor, afinal 2015 é o ano em que o Mauricio completa 80 anos!”, diz Mauro.

 empreendimento contará com praça de alimentação* principal e diversos pontos com alimentos e bebidas* variados, rede wi-fi gratuita para acesso à internet, guarda-volumes*, enfermaria para atendimento médico, Serviço de Atendimento ao Visitante (SAV), loja temática e estacionamento* localizado no próprio Shopping SP Market. Também terá o Espaço Família com trocador, sala de amamentação, sala da papinha, banheiro família e carrinhos de bebê que estarão à disposição dos pais. (*Serviços pagos à parte)

Serviço:

O que: Parque da Mônica

Onde: Shopping SP Market – Av. das Nações Unidas 22.540 – São Paulo – SP

Quando: De acordo com o calendário do parque – www.parquedamonica.com.br

Passaportes:

Pacote para duas pessoas: R$ 178,00
Pacote para três pessoas: R$ 264,00
Pacote para quatro pessoas: R$ 348,00
Pacote para cinco pessoas: R$ 430,00
Individual meia entrada: R$ 64,50
Individual inteira: R$ 129,00 (para visitantes desacompanhados)
Pacote para excursões: vendas@parquedamonica.com.br
Público: Famílias com crianças de 2 a 14 anos
Estacionamento no local (área externa do shopping) – pago à parte.
Facebook: @parquedamonica
Instagram: @parquedamonica

Site: www.parquedamonica.com.br

Respeitem meus cabelos, brancos



De noite, enquanto todos dormiam, eu fui ao banheiro e cortei aproximadamente dois palmos do meu cabelo. Mas, espera aí. Não é assim que a história começa. O início está lá atrás, na minha luta oara que a Alice goste dos cachos dela e tenha orgulho do cabelo que tem. Mas um dia ela virou pra mim e disse: mas o seu cabelo é um pouco liso. Desde esse dia eu não paro de pensar: como querer que meus filhos se aceitem como são se eu mesma não dou o exemplo?

Fiz uma conta, por alto, e calculo que faça uns 25 anos ou mais que não uso meu cabelo ao natural. Nem lembro direito como ele era e tudo que tenho são algumas fotos em que ele não está preso em maria-chiquinhas. Há algum tempo minha irmã teve uma reação alérgica e resolveu parar de fazer alisamentos. Olhar as fotos dela me deixou ainda mais pensativa. Conversei com ela sobre o assunto e ela foi toda elogios ao novo estilo.

Quando meu marido chegou do trabalho, abordei o assunto com ele. Pode parecer besteira, mas depois de tanto tempo seguindo uma mesma linha, a insegurança quanto à aceitação dele bateu forte. Expliquei o que queria fazer, o motivo e como ficaria. Ele me olhou, sorriu e disse que eu era quem precisava me sentir bonita, que isso era o importante. Meu coração ficou ainda mais apaixonado, não é?

Comecei a olhar alguns sites, fiz algumas buscas no Google por casos de pessoas que deixaram de fazer alisamentos e resolveram assumir os cachos. Olhei várias fotos de cortes de cabelo, vi vários modelos que me agradaram. Faz um mês que ando procurando tempo para ir ao salão, a raiz estava grande e sem alisamento. Então peguei a tesoura que eu estava utilizando para a costura do meu poncho e, enquanto todos dormiam, eu fui ao banheiro e cortei aproximadamente dois palmos do meu cabelo.

Não tenho como descrever a sensação que tive naquele momento. Eu só conseguia pensar "sou completamente louca!", mas o alívio era imenso. Parecia que estava tirando dez quilos de mim. olhei no espelho e namorei o resultado, disse olá para o cabelo que eu não via há 25 anos.

No dia seguinte mandei um whatsapp para meu marido dizendo que tive um "surto" durante a noite e tosei o cabelo. Ele respondeu, rindo: Meu Deus, ainda bem que foi o seu cabelo. Aproveitei para lembrá-lo que é bom ter medo de mim kkkkkk

Nesse dia tive um evento na Paulista e estreei meu novo cabelo, livre, leve e solta. Também reparei na quantidade de mulheres que estão usando seus cachos ao natural, o que me deixou ainda mais feliz.

Bem, para completar a historia só me resta dizer que, no dia seguinte, fui ao salão e cortei o cabelo decentemente 😂😂😂 E que ainda estranho ao me olhar no espelho, mas que estou me sentindo radiante!



As mães e suas batalhas diárias (será preciso mesmo)

Mães precisam lutar um monte de batalhas diárias: fazer o filho comer, fazer o filho dormir, fazer o filho botar o casaco e por aí vai... E a gente sabe o quanto tudo isso é desgastante. Ao final do dia parece que a gente REALMENTE esteve numa batalha.

Mas outro dia me peguei pensando no quanto muitas dessas batalhas são inúteis e criadas por nós mesmas, pelas nossas necessidades, de controlar tudo, de que as coisas sejam exatamente do nosso jeito. E o quanto seríamos muito mais felizes se pudessemos abrir mão de algumas coisas.

Uma das combinações da Alice

Quando o Vítor era pequeno ele só se vestia com as roupas mais loucas do mundo, como fantasia do Homem-Aranha, galochas verdes com cara de sapo e gorro. Ou a máscara do Homem de Ferro. Dá para imaginar a sensação na rua? Durante meses só usou uniforme escolar e a fantasia do Harry Potter. Alice usa, há 4 anos, uma meia de cada par. Era um parto colocar duas meias iguais nos pés dela.

Nesses dois casos (e em muitos outros) eu tinha duas opções: arrumar uma briga monstruosa para que eles fizessem do jeito que eu queria ou deixar que eles fizessem do jeito deles. Afinal, qual é o grande mal, além de acharem que a mãe é louca? 😀 O tempo passou e as coisas foram mudando, o Vitor não usa mais galochas verdes (agora usa um boné de aba reta, urgh) e Alice já aceita colocar (as vezes) meias iguais sem chorar litros.


Com uma das fantasias, mas sem galochas hehehe

Nunca me esqueço de uma vez que li um livro sobre maternagem que falava um pouco sobre essas pequenas guerras domésticas. E um dos exemplos era chamar para o jantar na hora do desenho favorito e ter que arrancar as crianças da frente da tv. Ou combinar que vai esperar os 5 minutos que faltam se eles vierem imediatamente.

Claro que é mais fácil falar do que fazer, mas sinceramente é uma questão de acostumar o pensamento e as ações. E de treinar o desapego, da necessidade de ter sempre a palavra final. No fim, acho que aquela frase "você quer ser feliz ou ter razão? " tem o seu valor.

E vocês, já pensaram sobre o assunto
Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires