Zika vírus e microcefalia: pediatra e infectologista explicam as doenças

Recentemente ouvimos várias notícias preocupantes sobre a relação entre microcefalia e o Zika vírus. Mas o que realmente precisamos saber? Eu recebi umas informações muito esclarecedoras do Hospital Sabará e resolvi compartilhar com vocês!

As notícias sobre o surto de microcefalia na região Nordeste do Brasil, atingindo principalmente os estados de Pernambuco, Sergipe, Rio Grande do Norte e Paraíba, tem deixado a população em alerta para um problema até então pouco conhecido. O governo brasileiro acabou por decretar “Estado de Emergência Sanitária” devido aos casos confirmados. Desde a última terça-feira, o Ministério da Saúde publicou balanço de 739 casos notificados.

Ainda não é possível definir a causa, mas existe uma forte suspeita de que esta condição esteja relacionada à infecção materna pelo Zika Vírus. A infecção pelo Zika chegou ao Brasil em 2015 e atingiu principalmente a região Nordeste.

Transmitida pelo Aedes aegypti - o mesmo mosquito transmissor da dengue e da febre Chikungunya -  a infecção pelo Zika vírus é assintomática em cerca de 80% dos casos. Quando presentes, os sintomas como febre, manchas vermelhas pelo corpo com coceiras e dor nas articulações costumam ser brandos e desaparecem espontaneamente em um período que varia entre três e sete dias.

“Já foi observada também, recentemente, uma possível correlação entre a infecção pelo Zika vírus e a ocorrência de síndrome de Guillain-Barré, quadro neurológico caracterizado por perda de força em membros inferiores, em locais com circulação simultânea do vírus da dengue”, explica Dr. Francisco Ivanildo de Oliveira, infectologista do Hospital Infantil Sabará.

O que é a microcefalia?

De acordo com o pediatra Dr. José Luiz Setúbal, do Hospital Infantil Sabará, bebês com microcefalia nascem com perímetro cefálico menor do que a média. “O problema pode ser provocado por uma série de fatores, desde desnutrição da mãe e abuso de drogas, até infecções durante a gestação, como rubéola, toxoplasmose e citomegalovírus”, completa.

Confira as principais informações sobre esta condição neurológica:

§  A microcefalia é uma condição neurológica rara em que a cabeça de uma criança é significativamente menor do que de outras crianças da mesma idade e sexo.

§  Pode ser causada por fatores genéticos e ambientais. Outras causas podem incluir:

Craniosinostose: A fusão prematura das articulações (suturas) entre as placas ósseas que formam o crânio de uma criança mantém o cérebro de crescer.

Anormalidades cromossômicas: Síndrome de Down e outras condições podem resultar em microcefalia.

Diminuição de oxigênio: Certas complicações da gravidez ou o parto podem prejudicar o fornecimento de oxigênio para o cérebro fetal.

Infecções do feto durante a gravidez: Estes incluem as doenças virais como Zika, toxoplasmose, citomegalovírus, rubéola e catapora (varicela).

Exposição a drogas, álcool ou determinados produtos químicos tóxicos no útero: Qualquer um destes pode colocar o bebê em risco de anormalidades cerebrais.

Desnutrição grave: Não ter uma nutrição adequada durante a gravidez pode afetar o desenvolvimento do bebê.

§  Crianças com microcefalia, muitas vezes, têm problemas de desenvolvimento.

§  Não há nenhum tratamento para a microcefalia, mas a intervenção precoce com terapias de suporte tais como fonoterapia e terapia ocupacional, podem ajudar a melhorar o desenvolvimento da criança e melhorar a qualidade de vida.

§  O médico pode detectar microcefalia no nascimento do bebê ou em um checkup regular do recém-nascido.

§  Algumas crianças com microcefalia têm inteligência e desenvolvimento normal. Porém, dependendo da causa e gravidade da microcefalia, as complicações podem incluir: atrasos de desenvolvimento neuromotor; dificuldades de coordenação e equilíbrio; nanismo ou baixa estatura; distorções faciais; hiperatividade e retardo mental.

15 livros infantis para espantar os medos mais comuns das crianças

Praticamente todas as crianças tem medo de alguma coisa. Mas algumas vezes os medos acabam impedindo essas crianças de fazer alguma coisa ou atrapalham na rotina diária (como o medo do escuro). Para a nossa sorte, existem vários livros infantis que nos ajudam a lidar com os mais diferentes tipos de medo, dando mais segurança às crianças. 

Por isso, resolvi fazer um post só com essas dicas. Ah, mas eu não fiz sozinha! Me ajudaram com dicas a Gisele do blog Kids Indoors, a Andréia do blog Coisas da Lara, a Anna do instablog Sobre Isso e Aquilo

1 - Chapeuzinho Amarelo - Chico Buarque (Editora José Olympio)

Conta a história de uma menina com medo do medo — uma menina amarela de medo — que transforma a fantasia dos contos em sua própria realidade, chegando ao ponto de não brincar, não se divertir, não comer, nem mesmo dormir.

Enfrentando o desconhecido “O Lobo”, ela supera medos, inseguranças e descobre a alegria de viver. Com sensibilidade, Chico Buarque constrói um texto no qual aparece com transparência o valor mágico que o autor atribui à palavra e não só trata com maestria nossos medos, como também, ensina as crianças a superar suas fobias.

2 - Grande Livro dos Medos - Emily Gravett (Editora Salamandra)

Todo mundo tem medo. O medo pode fazer qualquer pessoa se sentir incapaz. 'O Grande Livro dos Medos' foi pensado para ajudar pessoas a superarem suas fobias. Mas sua autora nem podia imaginar que um minúsculo ratinho ia ler o livro e dar a ele sua contribuição autoral. Cheio de buracos, páginas roídas, puídas e rabiscadas.






3 - A Princesinha Medrosa - Odilon Moraes (Editora Cosac Naify)

Neste livro, a pequena - e aparentemente frágil - princesa usa toda autoridade e prepotência para lidar com seus maiores inimigos: os medos do escuro, da solidão e da pobreza. Com toda sutileza característica das obras de Odilon, a princesinha não percebe que seu medo é, na verdade, do próprio medo. E, enquanto se ocupa em temer o invisível e o improvável, deixa escapar a própria felicidade. Será com a ajuda de um garoto, que lhe ensina a ouvir o sussurro das estrelas, que ela conseguirá lidar com a tristeza. Na quarta capa, a consagrada autora alemã Jutta Bauer exalta o talento de Odilon: "Como um grande cozinheiro, ele acrescenta alguns temperos secretos à receita. Com isso, faz da fábula algo inconfundivelmente seu".


4 - Gildo - Silvana Rando (Editora Brinque-Book)

Gildo é muito corajoso. Ele gosta de montanha-russa, de avião, de filme de terror e de cantar em público. Mas como quase todo mundo, existe uma coisa que o deixa apavorado... Sempre na noite anterior a alguma festinha de aniversário de um amigo, ele não consegue pregar os olhos, por que será? Acontece que ele tem muito medo de balões e isso o deixa muito preocupado de ir a festas.




5  - Cássio e o Monstro da Noite (Editora Biruta)


Cássio acorda no meio da noite ouvindo um ruído estranho. Animado, corajoso corre para pegar o monstro. Como será o Monstro da Noite que aparece quando Cássio quer dormir? Será que Cássio conseguirá pegar o monstro?







5 - Eu Não Tenho Medo - Todd Parr (Editora Panda Books)


Com seu estilo bem-humorado, Todd Parr incentiva as crianças a enfrentar os seus medos e dizer: Eu não tenho medo!








6 - Papai! - Philippe Corentin (Editora Cosac Naify)


Uma história antes de dormir para pegar no sono. Mas no meio da noite: 'Pai! Tem um monstro na minha cama!'. Afinal, quando começa o sonho e quando despertamos? Brincando com o ponto de vista do narrador, Philippe Corentin mostra neste livro que o outro talvez não seja tão diferente assim. 'Papai!' adentra o imaginário infantil para incitar as crianças a rirem dos próprios medos. E qual é a criança que não sente medo da noite, do escuro e de pesadelos? Uma prova de que é possível lidar com os temores infantis com leveza e bom-humor. 

7 - Alguns Medos e Seus Segredos - Ana Maria Machado (Editora Global)

Sentir medo de algo, real ou imaginário, nunca foi privilégio de ninguém. Até o mais valente dos valentes, no fundo, no fundo, sente medo de alguma coisa. Todo mundo tem seu medo, cada um tem seu segredo. Quem parece sempre forte, no fundo é meio sem sorte - tem que aguentar bem sozinho, sem ajuda, nem carinho. A obra mostra diversas maneiras de enfrentar os medos e as inseguranças, em três histórias.





8 - O Menino que Tinha Medo de Errar - Andrea Viviana Taubman (Editora Escrita Fina)

A gente erra e se engana e isso é bom para aprender! Pedro vive preocupado, com medo de errar. Prefere passar os dias sozinho, confinado em sua casa, a aproveitar a companhia dos amigos, porque tem medo de fazer alguma coisa errada nas brincadeiras. A escola, então, é uma preocupação sem fim para ele! Um lugar onde não faltam oportunidades para cometer deslizes. Mas com a ajuda de uma fada, Pedro percebe que viver reprimido o impede de experimentar momentos incríveis.

9  - Você Não Consegue Dormir, Ursinho? - Martin Waddel (Editora Brinque-Book)

Assim como muitas crianças, Ursinho tem medo do escuro. Quando chega a hora de dormir, ele não consegue pegar no sono - nem mesmo com o maior lampião de todos aceso ao seu lado.






10 - Coleção "Os Medos que Eu Tenho" - Ruth Rocha (Editora Salamandra)



 - Fantasma existe? fala sobre os temores simbólicos, ou seja, aqueles que sentimos e não conseguimos explicar. Lobo, monstro e escuridão entram nessa categoria. A história mostra que esse tipo de medo é só um sintoma e que é preciso investigar o que há por trás desse sentimento. 

-  Ninguém gosta de mim trata dos medos de não ser amado, de ser abandonado ou de ser trocado por outra pessoa. É uma boa pedida para crianças que estão vivendo a separação dos pais ou que estão prestes a ganhar um irmão. 

- Será que vai doer? traz à tona o medo que sentimos de nos machucar e o receio de sermos descobertos fazendo algo errado. Ele aborda também o medo do dentista, tão comum entre as crianças. 

- Tenho Medo mas Dou um Jeito explica os medos saudáveis, ou seja, aqueles que nos servem de alerta e são importantes para nossa sobrevivência. O livro mostra como lidar com esse tipo de receio, evitando que se torne nocivo.


11 - O Medo - Monteiro Lobato ( Editora Globinho)

Pedrinho está prestes a realizar um grande desejo: desvendar os segredos da mata. E o Saci é quem irá mostrar ao menino os misteriosos “entes das trevas”. Neste lançamento da Globinho, Pedrinho e Saci passam uma noite inteira no coração da mata e o neto de Dona Benta coloca à prova sua coragem. Guiado pelo Saci, ele vê de perto o Curupira e a sacizada, e conhece histórias de arrepiar como a do Jurupari, do Boitatá e do Negrinho do Pastoreio. Em meio a sustos e descobertas, Pedrinho aprende muito com o seu amigo de uma perna só que diz: “Uma coisa existe quando a gente acredita nela; e como uns acreditam em monstros e outros não acreditam, os monstros existem e não existem”. Mais do que falar sobre o folclore, essa história trata do fascínio que o medo dos seres fantásticos exerce sobre as crianças.

12 -  Coleção "Meus Medinhos" - Pedro Bandeira e Carlos Edgard Herrero (Editora Moderna)


Os dois escritores se uniram para criar esta série bem-humorada, com seis livros que fisgam o leitor desde o início. As narrativas atentam as crianças para a existência de diferentes pontos de vista e as estimulam a olhar por outros ângulos. Como protagonistas, personagens que costumam ser vilões mostram suas fragilidades ou o seu lado bom. 

- O pequeno bicho-papão apresenta o simpático Papinho, filho da mais assustadora das famílias de bichos-papões. O problema é que ele é muito medroso. Quando seus pais decidem que ele tem de fazer a menina Lucinha dormir, como tarefa para aprender a ser bicho-papão, o resultado não podia ser mais interessante... 

- A pequena bruxa. Na Pré-Escola de Bruxaria, a bruxinha Lalá tira de letra todas as lições, até as mais complicadas. No teste final de sua formatura, ela tem que sair sozinha pelo mundo e só voltar depois de ter feito sete maldades. Mas será que Lalá é mesmo malvada? 

-  O pequeno dragão fala sobre Dadá, o dragãozinho mais lindo que não é deste mundo. Afinal ele vem do mundo da imaginação. Na história, em vez de ser assustador e meter medo nas pessoas, o pequeno ser é bonzinho, simpático e faz todo mundo se divertir com ele. 

-  O pequeno fantasma explica que os fantasmas nascem nas fábricas de lençóis. Aquelas peças que saem com algum defeitozinho são rejeitadas pelo controle de qualidade e viram fantasmas que saem voando por aí. O protagonista desta história também tenta cumprir seu destino, determinado a se tornar corajoso. 

- Lobisbebê: Se todo mundo pode ter uma família e os filhos dos humanos são sempre fofinhos, por que os bebês dos lobisomens deveriam ser diferentes? O pequeno lobisomem apresenta o Lobisbebê, um bicho fofo que qualquer criança gostaria de fazer cafuné em seus pelinhos. 

- O pequeno monstro: Pode um monstro ser bonzinho? Se ele já nascer beijado, sim. Isso foi o que aconteceu com Chuac neste livro. Ele foi atingido por engano pelo beijo de uma mãe humana. A seu modo, Chuac ajuda crianças perdidas a encontrar o caminho de volta para casa

13 - Maluquinho Assombrado - Ziraldo (Editora Globinho)

Toda criança tem medo, mas adora escutar um caso assustador, misterioso, e de sentir aquele friozinho na barriga quando o relato acaba. Pois com a Turma do Maluquinho não é diferente: no livro Maluquinho assombrado, Ziraldo apresenta treze histórias em quadrinhos que colocam essa garotada famosa em meio a situações de arrepiar. Inspirado na cultura popular, o autor põe a turma para contracenar com personagens folclóricos, como o lobisomem e a mula sem cabeça, e até com uma famosa lenda urbana – a da loura do banheiro. “As histórias de assombração têm tudo a ver com a tradição e a cultura de nossos avós, e com os causos que eles nos contavam”, lembra Ziraldo. Além das histórias em quadrinhos, o livro inclui dicas de surpresas e truques para a criançada brincar com as situações de insegurança e aprender a lidar com os temores irracionais. Sentir medo nunca foi tão divertido!

14 - Coleção  "Quem tem Medo?"  - Ruth Rocha (Editora Salamandra)


Nos cinco livros desta coleção, Ruth Rocha conversa diretamente com o leitor e compartilha situações comuns a todo mundo. Com versos, rimas e humor, ela fala sobre o medo de passar vergonha, de ir ao médico, de dizer não, de encarar uma situação nova, de parecer ridículo... Esses e outros receios são encarados com naturalidade e desenvoltura e é impossível não se identificar com as situações apresentadas. 

Os títulos de cada livro indicam qual o tema da obra em questão: Quem tem medo de cachorro?, Quem tem medo de dizer não?, Quem tem medo de monstro?, Quem tem medo de ridículo? Quem tem medo de quê? e Quem tem medo do novo? Todos aconselham o leitor a usar o bom humor e o jogo de cintura na hora de encarar o medo, seja ele qual for.

15 - Coleção coleção "Nada de Medo" - Frédérique Agnès.(Editora Panda Books)



 - Marcelo - O porco que tinha medo de sujeira: Marcelo é um porquinho que tem muito nojo de sujeira. Nem pensar que ele brinca na lama com os amigos! Um dia, seu amigo, o cachorro Tom, o empurra na lama sem querer. É aí que Marcelo descobre um jeito de se divertir com os outros, mas ficando bem limpinho depois, como ele gosta! Ele até faz novos amigos nessa situação, que no começo parecia ruim, mas que depois fica boa! Você consegue imaginar como?

- Léo - O pássaro que tinha medo de altura: Léo vai precisar de uma ajuda muito especial para finalmente aprender a voar, porque ele tem medo de altura. Os seus irmãos Beto e Pedro já aprenderam faz tempo e Léo se sente excluído por ainda não saber bater as asinhas. Mas a graciosa passarinha Leia vai incentivando-o aos pouquinhos e dando coragem pra ele levantar voo. Assim, um dia ele consegue e é uma festa só! O que será que a Leia fez?

- Mimi  A Coruja que tinha medo de escuro: Todo mundo tentava ajudar Mimi a perder medo do escuro, mas não tinha jeito: quando chegava a noite, a corujinha tremia e piava sem parar. Todos reclamavam e seus pais não sabiam mais o que fazer! Até que um dia eles ficam sabendo que na floresta vive um sábio coelho, que dá conselhos muito bons! Mimi e seu pai partem em busca dele, com esperança de curar o medo da pequena coruja. Será que eles conseguem?

- Gaspar - O lobo que tinha medo de lobo: Gaspar é um lobo um pouco diferente da família dele. Ele não tem algumas partes do corpo pretas, como têm seus pais e sua irmã Zoé, e ele também é bem mais rápido e ágil do que os outros. Um dia, em busca de aventuras, o curioso Gaspar vai brincar além do grande carvalho da floresta, onde seus pais não deixam. E aí ele dá de cara com lobos que, no começo o assustam muito, mas depois ele vai vendo que tem mais semelhanças com os lobos do que imaginava. Por que será?

Passeio à Kidzania


No último dia 20 aproveitamos o feriado e fomos visitar a KidZania, em companhia da Márcia, do IG @boaleiturabomapetite e seu filho lindo, Sylvinho. O espaço está localizado em uma área de 8.500m²  no segundo subsolo do shopping Eldorado, e trabalha com o conceito de “edutenimento”, fruto da união dos termos “educação” e “entretenimento” –, inédito no Brasil, destinando-se a crianças com idades entre 04 e 14 anos.  Desenvolvido pela KidZania, o formato já recebeu diversos prêmios internacionais de qualidade e inovação.



Na KidZania cada atração é uma réplica detalhada e perfeita de um estabelecimento verdadeiro, com suas próprias áreas reproduzindo a realidade. as crianças se divertem e aprendem, praticando atividades reais em hospitais, teatro, fábricas, restaurantes, estúdios, entre outros cenários. Assim, os pequenos vivenciam experiências que priorizam a educação, a sustentabilidade e a cidadania.


A Alice e o Vítor já tinham ido comigo uma vez, a convite da Brandilli e curtiram muito voltar lá. O Sylvinho foi pela primeira vez e ficou maravilhado com as atrações oferecidas. Uma coisa que eu acho muito legal é o fato de agradar tanto aos pequenos quanto aos grandes. Sylvinho tem 4 anos, Alice tem 6 e o Vítor está com 11, todos se divertiram muito, cada um a sua maneira. Além disso, crianças com diferentes aptidões podem desenvolver seus gostos, pois as opções vão desde a entregador de correspondência a ator de teatro, passando por bombeiro e policial. Sem contar que, quem cursar a universidade ganha uma carteirinha e recebe salário extra na área escolhida.


Sim, esqueci de falar do salário! Toda vez que a criança trabalha, ela ganha dinheirinho, o KidZo. Elas podem simplesmente andar com eles no bolso ou podem ir até o banco e fazer um depósito, recebendo um cartão que é aceito pelos os estabelecimentos que vendem alguma coisa.

Serviço
Endereço: Shopping Eldorado – Av. Rebouças, 3970, Pinheiros - segundo subsolo
Telefone: (11) 39954500
Funcionamento: 9h às 14h e das 15h às 20h, todos os dias (entre em contato com o parque para funcionamento durante as festas de fim de ano)
Preço: em torno de 120 reais para a criança e 50 para o adulto (esses valores variam de acordo com as datas, confime antes)
Idade: entre 4 e 14 anos
(Apenas crianças maiores de 8 anos podem ficar sozinhas na cidade, porém é necessário o cadastramento de um responsável, maior de 18 anos, que será o único a poder retirar a criança sob sua responsabilidade na saída da KidZania)
ATENÇÃO: De terça-feira à sexta-feira (exceto feriados), a KidZania funciona também para visitas escolares.
Site: www.kidzania.com.br

Tem criança lendo - Dia da Consciência Negra

O Dia da Consciência Negra é uma data celebrada no Brasil no dia 20 de novembro, em homenagem a Zumbi de Palmares, que morreu neste dia lutando pela liberdade do seu povo, em 1695. Zumbi ficou famoso por ser o líder do Quilombo de Palmares e dedicou sua vida a lutar contra a escravidão no Brasil colonial.

Apesar de muitas pessoas ainda acharem esta data uma bobagem e fazerem piadas sobre ser melhor ter um Dia da Consciência Humana (não que esse dia também não fosse interessante existir), o dia 20 de novembro é importante para gerar uma reflexão sobre a introdução dos negros na sociedade brasileira. Relembrar essas características culturais é uma forma de mostrar a importância dos africanos escravizados e de seus descendentes na formação social do Brasil. E, principalmente, de entender o motivo da grande diferença social que ainda existe entre negros e brancos no Brasil.

Aproveitando a data e o nosso amor por leituras, as blogueiras e instablogueiras do Tem Criança Lendo resolvemos falar sobre livros infantis que abordam assuntos relativos ao tema. Querem saber o que eu escolhi? Então confiram!!


O primeiro livro escolhido é da lista de favoritos da Alice: Menina Bonita do Laço de Fita, de Ana Maria Machado. Ele fala de um coelho branquinho que fica apaixonado pela cor da menina e quer saber como fazer para ficar igual a ela. Depois de muitas dicas "mirabolantes" que não deram certo, ele conhece uma coelhinha preta, se casa e têm muitos filhotinhos de várias cores.


Outro livro muito querido por aqui é O Amigo do Rei, de Ruth Rocha, que nos foi dado pela queridíssima Anna, do Sobre Isso e Aquilo e Ioiô eram muito amigos, mas um é escravo e o outro é patrão. Brincavam juntos e faziam muitas estripulias. Até que um dia os dois fogem, vão parar num quilombo e as coisas se invertem: lá Matias é rei.


A Influência Africana no Nosso Idioma é outro livro muito legal que a Anna nos presenteou. Nele as crianças podem conhecer de forma simples e lúdica as mais diversas palavras do nosso idioma que vieram de nossas raízes africanas.


O último livro de hoje foi um achado, encontrei na distribuição de livros da ONG Nas Estantes da ZN, no Dia Nacional do Livro. Ele tem vários contos, de origens diferentes, mas dois são africanos e valem muito a pena serem lidos.

Se quiserem saber mais sobre o que está rolando de dicas literárias hoje e quem está participando é só conferir no instagram Tem Criança Lendo, ou procurar pela hashtag #temcriançalendo.

25 Idéias de Árvores de Natal para quem tem filhotes em casa


Chegou novembro, todo mundo montando suas árvores e enfeites de Natal, correto? Acontece que, este ano, os novos integrantes da nossa família são dois lindos filhotes de gato, a Katniss e o Spock. E como todos sabem, filhotes AMAM árvores de Natal, porque são tentação pura! O que fazer então?

Fonte: fan page Miado de Gato
Eu lembrei que, em nosso último ano morando em Brasília, montamos uma árvore diferente, uma Árvore Familiar. E ela era toda na parede, com um monte de decorações. Então achei que seria uma boa ideia fazer um post só com essas inspirações, porque assim como eu tem um monte de gente pensando em como proteger suas amadas árvores desses bichinhos tão sapecas, curiosos e...destruidores! kkkkk

Árvore de Parede

Essa eu fiz escolhendo um desenho de enfeite de Natal e colocando dentro dele fotos das pessoas que amamos. Ficou assim:




Para saber mais detalhes do passo a passo, confira no post que fiz naquela época clicando aqui

Árvore Ecológica

Nada mais do que galhos secos e os enfeites e luzes que você já tem em casa, na parede. Fica lindo!

Fonte: site Vera Moraes
Árvores de Parede Diversas

Para que limitar a imaginação, não é verdade? Olhem várias outras ideias:

Fonte: Elo7

Fonte: Elo7
Fonte: Tudo Interessante

Fonte: Tudo Interessante
Árvores suspensas

Com essas árvores eles até podem ficar doidos, mas se você colocar alto elas estarão à prova de filhotes!

Fonte: Circumano

Fonte: Christmas Around the World
Fonte: Catraca Livre
Árvores Recicladas

As vezes temos um monte de cacareco em casa e nem sabemos que podemos usar para fazer algo legal. Então dá uma olhada nessas árvores que ás vezes você tem uma ideia genial! Só não esqueça de colocar em um local alto ou pendurar (porque "alto" é um conceito muito relativo para gatos rs)

Fonte: Follow the Colors

Fonte: Portal de Artesanato
Fonte: Etsy

Fonte: Craft for All Seasons

Árvore de Tecido

Se o seu filhote só derruba, mas não destrói (como é o caso dos meus gatos), dá para fazer uma árvore de tecido. Assim ela não vai quebrar quando for derrubada.

Fonte: Flickr
Fonte: Pinterest

Fonte: Squidoo
Fonte: All Free Sewing

Fonte: Pinterest
Fonte: Cincinnati Children
Árvore de Estante

Esta eu tenho minhas sérias dúvidas se funciona com filhotes de gato. Mas acho que funciona bem com filhotes de cachorro: basta transformar sua estante em uma grande árvore de Natal!

Fonte: Love from the oven

Resenha: Como criar filhos sem medos - um guia para mães, pais, cuidadores e profissionais de vacinação



Recentemente recebi da Editora Hyria um livro muito interessante e com uma abordagem bastante incomum: Como criar filhos sem medos, de Maria Cristina Martins Alvarega. Confesso que, pelo título, imaginei um tema e, ao ler o subtítulo, descobri que era algo totalmente diferente("Um guia para mães, pais, cuidadores e profissionais de vacinação")!

Ao ler o livro fiquei pensando em como teria sido importante para mim que ele já existisse em 2004, quando tive o meu primeiro filho. Aliás, seria melhor em 2003, quando eu ainda estava grávida, porque ele fala também das vacinas importantes que devem ser tomadas durante a gravidez, Mas não ache que este livro fala somente das vacinas que gestantes, bebês e crianças precisam tomar. Pelo contrário, isso é apenas uma informação extra que vem durante o desenvolvimento do texto, já que o objetivo é abordar o processo subestimado de vacinar: o medo da agulha, as dúvidas e anseios de mães, pais e cuidadores, entre muitas outras inquietações

A autora aborda tópicos muito interessantes e importantes, como reações às vacinas, melhores posições para vacinar o bebê/criança, dar ou não compensações, decisão de não vacinar os filhos, capacitação dos profissionais de saúde para a sala de vacinação, entre muitos outros. Ou seja, apesar de achar que esse livro é super útil para mães de primeira viagem, todas as outras mães também são beneficiadas com a leitura.

Vale a pena também ressaltar que a autora é Mestre pela Universidade Federal de São Paulo - Unifesp/EPM, enfermeira, Especialista em Saúde Pública e mãe. Ela atua no desenvolvimento profissional e capacitação técnica de profissionais de enfermagem em sala de vacinação, vigilância epidemiológica e imunização, sendo responsável por diversas campanhas de vacinação desde 1992.

 Sinceramente, eu recomendo essa leitura!

P.S.: Para saber mais sobre o livroe sua autora, além de ler o primeiro capítulo em pdf, acesse: http://www.ehyria.com.br/como-criar-filhos-sem-medos
Não deixe também de visitar o blog do livro em http://comocriarfilhossemmedos.blogspot.com.br/

Espaço de Leitura reinaugura quiosque de leitura para bebês


Os dias 7 (sábado) e 8 de novembro (domingo) serão agitados no Espaço de Leitura, projeto realizado pelo Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. No domingo, o destaque é a reinauguração do Coreto do Aconchego, uma das seis casinhas temáticas do Espaço de Leitura. O espaço, que conta com um acervo especificamente dedicado a atender o público materno e seus pequenos, acaba de ganhar uma nova identidade visual e concepção cenográfica.

O Coreto ganhou uma nova adesivagem lúdica e está agora totalmente adaptado para a visita dos pequenos leitores – de 0 a 3 anos –, com estantes adaptadas à altura do bebê, piso adequado, tudo para criar um ambiente acessível onde o bebê possa engatinhar, brincar e descobrir com conforto e nenhum risco. A coordenadora do acervo do Espaço de Leitura, Taís Mathias, explica que este é um passo de experimentação que propõe uma nova forma de apresentar o mundo aos bebês. “Acreditamos que livro para bebê não é só livro de banho ou aqueles que apresentam palavras e ensinam a contar. Oferecemos narrativas curtas, ilustrações diferentes, histórias que estimulem o aprendizado. Temos muito a aprender com os bebês no sentido de ler com o corpo. Com tantos anos de escolarização, somos estimulados a interagir com o ambiente mais com a cabeça do que com as mãos, o nariz, os olhos”, explica.

No domingo, o Espaço de Leitura abre às 9h, e a programação de reinauguração começa às 10h; a última atração do dia começa às 15h. Confira a programação completa pra não perder nenhum detalhe:

DOMINGO, 8 DE NOVEMBRO

09:00 Abertura do Espaço de Leitura

09:30 Reinauguração oficial do quiosque de bebês

10:00 Coral Materna em Canto 
Um grupo de mulheres cantantes que utilizam a música, as técnicas vocais e a expressão corporal para acalantar e trazer benefícios para a relação entre mães e bebês. Nos palcos desde 2008, o projeto é uma ramificação do Acalanto, curso de vivência musical na gestação, fundada pela musicista Isadora Canto. No repertório, cantigas do universo feminino e infantil.

10:30 Dança Materna 
Na Dança Materna, mamães e papais são convidados a dançarem com seus bebês acomodados em slings, permitindo movimentos livres e fluidos. A bailarina Tatiana Tardiolli, organizadora do projeto, explica que grávidas também podem participar, já que as técnicas de improvisação e movimento fortalecem o vínculo com o bebê. A vivência trabalha também a ressocialização da mãe no pós-parto e reeducação corporal, além de melhorar dores nas costas e posturas na hora de carregar a criança. A atividade é conduzida pelas professoras Larissa Bertagnoni, Débora Platon e Cláudia Lima.

11:30 Slingada, com Rosângela Alves 
A Slingada é um projeto itinerante, aberto e gratuito criado em 2004 e realizado em vários cantos do Brasil para discutir os benefícios do sling na relação entre mães e bebês. A proposta é criar um ambiente onde mães e pais possam tirar dúvidas, ouvir sugestões sobre o mundo dos carregadores de bebês e encontrar outros pais e mães para trocar experiências e dicas sobre a maternidade.

13:00 Roda de leitura e bate-papo com Ana Basaglia
Um encontro de pais para troca de experiências e informações sobre educação mediada pela escritora Ana Basaglia, autora do livro “Besa-me Mucho – Como educar seus filhos com amor”. O fio condutor da conversa será um trecho do livro que instiga os pais a pensarem em seus filhos como seres integrais e autônomos.

15:00 Apresentação teatral O BECO DOS GATOS, com Núcleo Educatho​
Pepê, Mortadela, Edgar e Socorro são gatos que vivem em um beco escondido na cidade. Seu único amigo é o morador de rua Zé dos Gatos, que vive junto com os bichanos e adora oferecer presentes toda vez que volta das ruas. Essa vida muda quando empresários decidem comprar o beco e expulsar os felinos. É neste conflito que os pequenos animais decidem se juntar e criar uma companhia de teatro para salvar seu único lar, O Beco dos Gatos.

E também tem programação cultural no sábado!

SÁBADO, 7 DE NOVEMBRO

15h | Apresentação musical
PROJETO GURI
Com Projeto Guri
Crianças e jovens de 6 a 18 anos participam do projeto que visa o crescimento cultural e a inclusão social. Neste dia, o grupo de alunos da modalidade coral do polo Julio Prestes, que é dirigido pela professora Luciana Hoerner, apresenta canções do folclore brasileiro e composições de Chico Buarque, Gabriel Levy e Julio Cesar de Figueiredo. O Projeto Guri é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, gerido pela Organização Social Santa Marcelina.

E a exposição “Medo de quê?” continua! Venha criar suas receitas

“Medo de quê?” - Sessões de histórias de terror + Atividade educativa de criação coletiva

Sábados e domingos – Até 29.11
Das 10h às 17h (sessões a cada 1 hora)
Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires