Pokémon Go: como garantir a segurança das crianças e ainda aproveitar um tempo com elas


Recentemente a Niantic lançou no Brasil o aplicativo de realidade aumentada,  Pokémon Go. Com este aplicativo a pessoa precisa caminhar para encontrar os pokémons e capturá-los. Da mesma forma que aconteceu em outros países, o jogo também virou febre aqui no Brasil e já se ouve muito mimimi sobre o assunto, inclusive com publicação de diversas notícias falsas.

Mas o que fazer? O aplicativo realmente oferece riscos? Bem, vou começar dizendo: jogue com seu filho. Não há melhor forma de você saber se algo é realmente bom ou ruim a não ser experimentando. Eu entendo que nem todo mundo tem muita afinidade com esses jogos modernos, eu mesma não dou muita bola. Mas se eu quero saber, preciso testar. E vou confessar: estou curtindo! Mais por acompanhar as crianças e ver que elas estão felizes por eu estar com elas do que realmente por jogar. E, por estar jogando com meus filhos, posso dizer que o Pokémon Go oferece os mesmos riscos que o whatsapp ou o Facebook quando utilizados na rua. Ou seja, o problema não é o aplicativo e sim o usuário.

A primeira coisa que precisamos ter em mente é: crianças não têm juízo (e adolescentes são crianças grandes, também não têm juízo). Quem precisa ter juízo somos nós, os adultos. Quanto antes as pessoas aceitarem isso, menos problemas terão em suas vidas. Tendo isso em mente, não ache que seu filho vai prestar atenção em outras coisas que não sejam o jogo, crianças são assim. Portanto cabe aos adultos se certificarem de que a criança estará em local seguro e acompanhada. Nos últimos dias eu tenho saído com os dois para que possam jogar, mas o Vítor já me pediu para ir com os amigos. Antes de deixar eu impus um monte de regras: deve ser com um grupo relativamente grande de amigos, deve ser num parque (eles esquecem que existem ruas), eles não devem se afastar muito uns dos outros. E eu devo ficar por lá também, afinal Alice também vai querer jogar e eu prefiro estar por perto do Vítor caso seja necessário (sem estar grudada nele o tempo todo).

Para complementar este post, recebi esses dias umas dicas da Norton sobre o aplicativo e achei interessante compartilhar aqui também, com algumas alterações e complementos meus:

1. Cuidado com estranhos. O jogo não envolve interação com outros jogadores na vida real, mas sempre acabamos puxando papo com um ou outro. De certa forma isso é legal, porque eles fazem novas amizades. Mas pessoas mais velhas também jogam e isso pode ser um problema, pois não há como garantir que tipo de pessoa é. Sem contar que criminosos podem se aproveitar disso para roubar as vítimas. Por isto, caso não possa supervisionar a criança, sempre a oriente a sair em grupos grandes de amigos. 

2. Estabeleça limites. Para capturar os Pokémons, é necessário caminhar pelas ruas. Estabelecer limites para que as crianças não explorem locais muito afastados sozinhas.

3. Fique atento à “Lure” de estranhos. O “Lure” é um item que serve para atrair Pokémons a Pokéstops. Quando um jogador utiliza o item, todos os usuários próximos conseguem ver e se aproveitar deste recurso. É possível que criminosos o usem para atrair vítimas a um local. Oriente as crianças sobre este perigo e defina um local seguro (ex.: um shopping próximo) para que elas possam brincar tranquilamente.

4. Controle as compras dentro do aplicativo. Assim como muitos outros jogos, o Pokémon Go oferece compras dentro do aplicativo e os pais precisam supervisionar esta opção de perto por meio de um controle parental no dispositivo. No caso do iOS, a Apple possui um recurso chamado “Pedir para Comprar”, que irá alertar sempre que alguém da família tentar comprar ou baixar algo e lhe pedirá permissão. Já para dispositivos Android, o Google Play Store possui uma opção de autenticação para compras dentro de aplicativos. Mantenha sempre estas opções ativadas.

5. Apesar do jogo avisar com uma vibração e uma música diferente na hora que um pokémon aparece, as crianças ficam completamente hipnotizadas pela tela. Fique atento para ruas, árvores, raízes, meio-fios e afins.

6. Se seus filhos são mais velhos e sairão de carro com amigos para jogar, certifique-se de que o motorista não irá jogar enquanto dirige. Uma espécie de "amigo da vez" para o jogo.

7.  Muitos parques estão reclamando de desrespeito das regras por parte dos jogadores, como pisar em plantas raras, desligar tomadas de bebedouros para carregar celulares e jogar lixo no chão. Ensine seu filho a respeitar o local onde ele está.

Boa captura! Divirtam-se!

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails
 

Entre Fraldas e Livros Copyright © 2015 | Tema por Girly Blogger Template | Ilustração por Anne Pires